Brasileirão Série A

A estratégia inédita de Luis Zubeldía para fazer São Paulo ter melhor jogo do ano

Técnico repete escalação e muda jeito de jogar na vitória por 3 a 1 sobre o Bahia de Rogério Ceni

Os quase 50 mil torcedores que tomaram as arquibancadas do MorumBIS neste domingo (30) entoavam um sonoro “olé” a cada passe que a equipe trocava dentro de campo. Eram os minutos finais da vitória do São Paulo por 3 a 1 sobre o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro.

Cabia à torcida reger a melhor atuação do Tricolor sob o comando de Luis Zubeldía. Não apenas pelo placar elástico, mas pelo desempenho em campo.

E quem afirma isso nem é este repórter que vos escreve. E sim, Maximiliano Cuberas, auxiliar técnico que substituiu o treinador, suspenso, no comando da equipe.

 — Foi um bom jogo, completo. Quero felicitar os jogadores porque aplicaram tudo o que pretendíamos do ponto de vista tático e físico de forma inteligente.

— Tivemos um dia a menos de recuperação contra um adversário muito forte. No geral, pode-se dizer que foi o melhor jogo nosso desde que chegamos. Mas, no geral, tivemos bons jogos com o time organizado — Maximiliano Cuberas, auxiliar de Zubeldía.

Zubeldía adota estratégia inédita em melhor jogo do ano

O ponto de partida para o melhor jogo do ano foi uma estratégia até então inédita para Zubeldía. O treinador repetiu a escalação em duas partidas seguidas pela primeira vez desde que assumiu a equipe.

O São Paulo que já havia vencido o Criciúma por 2 a 1 no meio da semana voltou a ganhar. Mas o ineditismo não está apenas na formação inicial.

O técnico também mudou o jeito de jogar para neutralizar os pontos fortes do Bahia e explorar suas fraquezas. Acostumado a ter sempre a bola para propor o jogo, o São Paulo deixou a posse com o adversário.

A estratégia ficou evidente desde o início da partida. Como a equipe de Rogério Ceni tem por estilo a valorização da posse de bola, o Tricolor se posicionou mais recuado para evitar que as trocas de passe do rival gerassem perigo.

A ideia era explorar a velocidade dos extremos Lucas e Ferreira nos espaços deixados pelo adversário às costas da defesa, especialmente pelos lados do campo. Tudo isso funcionou e esteve presente nos três gols marcados.

A ressalva na melhor atuação do ano ficou apenas por conta dos primeiros minutos do segundo tempo. O time parecia “desligado”, e não à toa, o Bahia marcou e ameaçou a soberania da equipe neste momento do jogo.

São Paulo espanta turbulência e cola no G4

As duas vitórias consecutivas fizeram o São Paulo espantar de vez a turbulência recente que gerou certa instabilidade no ambiente interno do clube. O Tricolor vivia uma série de quatro partidas sem vencer, com duas derrotas seguidas — o pior momento do ano.

Agora, a equipe volta a encostar no G4 do Brasileirão. O São Paulo soma 21 pontos e ocupa a quinta colocação, a dois pontos do Palmeiras, que é o quarto.

> Os próximos três jogos do São Paulo

  • Athletico-PR x São Paulo — Brasileirão — quarta-feira, 3 de julho, às 21h30 (horário de Brasília);
  • São Paulo x Red Bull Bragantino — Brasileirão — sábado (6), às 21h (horário de Brasília);
  • Atlético-MG x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira (11), às 21h30 (horário de Brasília).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo