Brasileirão Série A

São Paulo mostra que Rogério Ceni é seu maior ídolo e também seu maior freguês

Em tarde de reencontro com Rogério, São Paulo se impõe e goleia o Bahia por 3 a 1 no MorumBIS

Assim que Rogério Ceni deixou o vestiário do MorumBIS neste domingo (30) gelado, as arquibancadas fizeram soar uma ovação não menos do que justa e obrigatória para aquele que é o maior ídolo da história do São Paulo. O reencontro com o goleiro que virou mito sempre deve ser saudado assim.

Até porque além de ídolo, Rogério é também o maior freguês do Tricolor e não foi diferente desta vez. Pois o São Paulo venceu o Bahia comandado pelo treinador por 3 a 1 e com autoridade, em partida válida pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Calleri, Ferreira e Luciano marcaram os gols são-paulinos no jogo. Gilberto descontou para o Bahia.

Maior ídolo e maior freguês

O retrospecto de Rogério Ceni contra o São Paulo fala por si só para explicar por que ele é também o maior freguês do clube. Esta foi a décima vez que o ex-goleiro enfrentou o Tricolor como técnico. O treinador não só nunca venceu, como já amargou oito derrotas, com dois empates, nestes dez jogos.

Ainda no ano passado, Rogério comandava o Bahia na única vitória do São Paulo fora de casa pelo Brasileirão. E o histórico não é nada animador mesmo nas passagens por Fortaleza e Flamengo.

Rogério Ceni contra o São Paulo

  • 10 jogos
  • 8 derrotas
  • 2 empates
  • 6,6% de aproveitamento

Torcida pediu até para Rogério bater falta

Rogério se posicionou à beira do campo com um nada chamativo casaco preto para se proteger do frio na capital paulista. Um sinal de que ele optava pela discrição para comandar o Bahia no retorno ao MorumBIS.

O técnico, de fato, subiu as escadas até o gramado de forma discreta. Levou um tempo até o torcedor perceber que Rogério estava entre eles e aí então entoar o nome do ídolo.

O momento mais emblemático da recepção a Rogério foi durante o primeiro tempo. O São Paulo teve uma cobrança de falta no campo de ataque, e a torcida voltou a gritar o nome do treinador. Na chegada ao MorumBIS, o técnico também recebeu carinho e tirou fotos com torcedores

Zubeldía repete escalação e dá muito certo

Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Luis Zubeldía foi substituído por seu auxiliar Maximiliano Pablo Cuberas à beira do campo. Mas uma decisão do argentino se provou certeira: o treinador repetiu a escalação em jogos seguidos pela primeira vez no cargo.

E a estratégia desenhada para a partida foi perfeita — ao menos na primeira etapa. Acostumado a ter mais posse que os adversários, especialmente em casa, o São Paulo deixou a bola com o Bahia.

A equipe de Rogério Ceni tem por estilo a valorização da posse de bola. E o Tricolor se posicionou mais recuado para evitar que as trocas de passe do rival gerassem perigo.

A ideia era explorar a velocidade às costas da defesa rival pelos lados do campo. Assim surgiu o primeiro gol. Igor Vinicius apareceu na linha de fundo e cruzou na medida para Calleri bater de primeira de sem-pulo e abrir o placar.

Um belo gol, seguido de outro belo gol dois minutos mais tarde. Luciano se aproveitou da instabilidade do Bahia e deu um ótimo lançamento para Ferreira. Na velocidade, o atacante ganhou do goleiro e finalizou com muito estilo.

No segundo tempo, Ferreira retribuiu Luciano à altura — ou até mais do que isso. O atacante recebeu de Lucas na entrada da área e entortou dois marcadores com um só drible. Depois, aplicou mais uma finta, e a bola sobrou para o camisa 10 finalizar de primeira, no cantinho.

O gol foi o 11º de Luciano, artilheiro isolado do São Paulo em 2024. Antes disso, ele recebeu o terceiro cartão amarelo e virou desfalque para o duelo com o Athletico-PR.

E a vitória só não virou goleada por conta de alguns poucos centímetros. Pois Calleri anotou (mais) um golaço em chute da entrada da área, mas ele estava impedido na origem do lance.

São Paulo sofre mais do que precisava (de novo)

Aconteceu na vitória por 2 a 1 sobre o Criciúma, na última quinta-feira (27) e se repetiu neste domingo. O São Paulo até venceu o Bahia com um confortável 3 a 1, mas novamente sofreu mais do que precisava para isso.

A equipe voltou do intervalo em rotação mais lenta e viu o Bahia assumir o controle do jogo a ponto de ameaçar seriamente o resultado. O gol de honra dos visitantes saiu de uma jogada em que o São Paulo não foi nada intenso na marcação.

Everton dominou na entrada da área e teve toda a liberdade para conduzir a bola sem que alguém o pressionasse. Ficou fácil para ele encontrar Everaldo em condições de finalizar. Jandrei até defende, mas no rebote, Gilberto estava livre para empurrar para as redes.

A situação do São Paulo na tabela

Com a vitória, o São Paulo sobe duas posições na tabela e retorna ao G6 do Brasileirão. A equipe agora ocupa a quinta colocação, com 21 pontos.

> Os próximos três jogos do São Paulo

  • Athletico-PR x São Paulo — Brasileirão — quarta-feira, 3 de julho, às 21h30 (horário de Brasília);
  • São Paulo x Red Bull Bragantino — Brasileirão — sábado (6), às 21h (horário de Brasília);
  • Atlético-MG x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira (11), às 21h30 (horário de Brasília).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo