Brasileirão Série A

Com dez vitórias no ano, Cruzeiro precisa de mais sete pra ficar na Série A

Cruzeiro voltou a tropeçar nesse domingo, ao empatar em casa com o RB Bragantino, chegando a marca de duas vitórias nos últimos 18 jogos

O torcedor do Cruzeiro pôde comemorar dez vitórias em 36 jogos no ano de 2023, contando todas as competições: estadual, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. E estamos em setembro. Dentre as equipes da Série A, o clube celeste é o que menos venceu — junto do Coritiba — na temporada. E com 26 pontos em 22 partidas no Brasileirão, com dois triunfos nos últimos 18 encontros, somente cinco pontos acima da zona de rebaixamento, o sinal de alerta já aparece forte na Toca da Raposa II.

Matemáticos definem os 45 pontos como a pontuação de segurança no Brasileirão para que as equipes se mantenham na Série A. Para o Cruzeiro chegar nesse objetivo, faltam 19 pontos. Pelo menos seis vitórias e um empate nos 16 jogos restantes. Parece uma pontuação plausível de ser alcançada. E é, desde que muita coisa mude no time celeste. Atualmente, vencer um jogo sequer se tornou missão quase impossível na Raposa. No confronto desse domingo, mais um frustrante empate em casa, dessa vez com o RB Bragantino.

Como o Cruzeiro volta a campo somente no dia 14 de setembro — o Brasileirão para por causa da data Fifa —, é certo que o time alcançará a marca de dois meses sem uma vitória sequer. A última vez que o time celeste ganhou um jogo foi no dia 8 de julho, quando bateu o Vasco por 1 a 0, num São Januário de portões fechados, com gol de falta de Filipe Machado. De lá para cá, nenhum triunfo sequer. No período, o time enfrentou equipes de cima, do meio e da parte de baixo da tabela. Jogou bem, mal. Fora e em casa. Mas os resultados não apareceram.

E como se não bastasse, o Cruzeiro voltará a jogar contra um adversário direto na briga pelo rebaixamento e fora de casa. No dia 14, o Santos receberá a equipe que atualmente é dirigida por Fernando Seabra, treinador do sub-20 celeste, mas que provavelmente não será quem comanda na ocasião. Apesar de que as dificuldades encontradas pela gestão da SAF da Raposa em encontrarem um novo nome não permitam ter tamanha certeza de nada.

O que se sabe é que caso haja um perdedor neste jogo, este sairá bastante desmoralizado para a sequência do Campeonato Brasileiro. E, se tratando de Cruzeiro, uma sequência difícil. Veja:

  • 23ª rodada – Santos x Cruzeiro – 13/9 (quarta) – 21h30 – Vila Belmiro
  • 24ª rodada – Fluminense x Cruzeiro – 23/9 (quarta) – 21h – Maracanã
  • 25ª rodada – Cruzeiro x América-MG – 30/9 (sábado) – (A confirmar)
  • 26ª rodada – Cruzeiro x Flamengo – (A confirmar)
  • 27ª rodada – Cuiabá x Cruzeiro – (A confirmar)
  • 28ª rodada – Atlético-MG x Cruzeiro – (A confirmar)

Problemas se repetem no Cruzeiro

O Cruzeiro demitiu Pepa na última terça-feira (29). Hoje, quase uma semana depois, o time voltou a jogar e os problemas seguiram os mesmos, assim como a escalação e as substituições. O que mudou foi a coletiva. As do português eram repetitivas, mas realistas. A de Fernando Seabra foi corporativista e fantasiosa. O resultado também seguiu a linha: não vencer.

Jogadores sem confiança e com uma dificuldade monumental para marcar gols perseguem o Cruzeiro desde o início da temporada e isso explica o baixo número de vitórias. Fato esse que é cruel com o torcedor, já que o cruzeirense, em 2023, mal pôde celebrar as alegrias mais simples do futebol: bola na rede e os três pontos.

Espera-se que a SAF do Cruzeiro, que assim que demitiu Pepa prometeu um substituto para os próximos dias, o que ainda não aconteceu — mas claro, próximos dias é uma temporalidade relativa, ah o poder das palavras — possa ser feliz em sua escolha, que até o momento parece ser refém de uma metodologia bem confusa. O novo comandante terá trabalho e sabe disso. Talvez, por isso, a dificuldade até o momento em anunciar um nome.

Trabalho psicológico, de confiança, entender e sanar a falta de gols, reduzir os lapsos de concentração, fazer do time um conjunto menos previsível. Todos esses detalhes precisarão de solução.

São dez vitórias em 2023 e tanto quanto ficar na Série A, o cruzeirense quer comemorar um gol. Ir dormir sabendo que seu time venceu. E, quem sabe, voltar a ter prazer em ver o Cruzeiro atuar.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo