Brasileirão Série A

Luciano sai do banco e dá vitória a um sonolento São Paulo sobre o Cruzeiro no Morumbi

São Paulo joga pouco e toma sustos do Cruzeiro no segundo tempo, mas conta com gol de Luciano para vencer e respirar no Brasileirão

O São Paulo não recebia o Cruzeiro no Morumbi há quase cinco anos – desde 18 de novembro de 2018. E a julgar pelo desenrolar da partida, a equipe bem que gostaria de adiar este reencontro após meia década. O Tricolor não conseguiu se impor onde sempre se impôs na temporada, viu a Raposa empilhar chances e escapava de uma derrota até os 38 do segundo tempo. Foi quando Luciano – sempre ele – apareceu. O camisa 10 saiu do banco e marcou o gol da vitória são-paulina por 1 a 0 nesta quinta-feira (2), em partida válida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sonolento, São Paulo esbarra no VAR no primeiro tempo

Esse São Paulo, que ainda não venceu um jogo sequer como visitante no Brasileirão, se encheu de esperanças com a volta para a casa. A expectativa era de um time diferente, agressivo, imponente como tantas vezes foi no Morumbi ao longo do ano. Mas não passou da expectativa. Ao menos, nos sonolentos 45 minutos do primeiro tempo. O Tricolor viu o Cruzeiro ter um começo ameaçador, mas logo assumiu o controle da partida. A partir daí, muito teve a bola, mas pouco fez com ela.

A primeira chance foi apenas aos 32 minutos, a partir de James Rodríguez. De seu pé esquerdo, saiu um passe na medida para David marcar, em um contra-ataque puxado pelo próprio meia. No rebote, o colombiano quase marcou, dessa vez de pé direito, em um chute colocado espalmado por Rafael Cabral. Mas a melhor chance do São Paulo no jogo veio quatro minutos mais tarde e só não virou gol por conta do VAR. Rato cruzou na medida para David obrigar o goleiro rival a operar um milagre após cabeçada. Alisson aproveitou o rebote para empurrar para as redes, em condição de um ajustadíssimo impedimento assinalado apenas com o traçar das linhas.

São Paulo parecia prestes a perder, mas venceu

Se o primeiro tempo foi sonolento, o segundo tempo parecia ser ainda pior para os são-paulinos. Não bastasse a lentidão em campo, o São Paulo sofreu contra o Cruzeiro, a ponto de escapar da derrota desde muito cedo. Aos dois minutos, William obrigou Rafael a fazer uma grande defesa em chute cruzado. Aos seis, o goleiro tentou um passe para o lado e quase marcou contra.

Dorival tentou dar novos rumos à partida com as entradas de Luciano e Michel Araújo nos lugares de James Rodríguez e Rodrigo Nestor. Mas as alterações, verdade seja dita, não mudaram muita coisa de início. O Cruzeiro seguiu em cima e parecia prestes a aplicar uma derrota ao São Paulo em pleno Morumbi. No mesmo lance, o Tricolor escapou duas vezes de levar o gol. Aos 34, Rafael Elias recebeu dentro da área e chutou colocado no travessão. O rebote sobrou para Matheus Vital, que mandou uma bomba para fora, com muito perigo.

E quando tudo indicava que a noite acabaria com um empate para deixar Dorival Júnior ainda mais preocupado, Luciano apareceu para salvar o São Paulo – uma rotina que já se repetiu em outros momentos da temporada. Aos 38, Alisson cruzou na cabeça platinada do camisa 10. Livre dentro da área, ele mandou no cantinho, sem chances para Rafael Cabral. Foi o suficiente para transformar o murmúrio da arquibancada em ovação. E festa.

São Paulo que não vence fora respira no Morumbi

O São Paulo fez valer o fator local com que tanto contava para voltar vencer no Brasileirão. O clube chega a 42 pontos e ocupa a 10ª colocação na tabela do Brasileirão. O Tricolor está de “folga” no fim de semana, porque o Fluminense enfrenta o Boca Juniors na final da Libertadores no sábado (4). A equipe só volta a campo na próxima quarta-feira (8), às 20h (horário de Brasília), quando enfrenta o Bragantino pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida será na Vila Belmiro, porque o Morumbi receberá shows de Red Hot Chili Peppers e RBD.

Cruzeiro começa bem, mas se perde no primeiro tempo

Vindo de duas vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro, contra Atlético-MG e Bahia, Zé Ricardo escolheu manter o time do Cruzeiro que iniciou a partida contra o Tricolor de Aço. Rafael Elias, o Papagaio, que tinha possibilidades de começar jogando, ficou no banco de reservas.

Jogando fora de casa, mas apoiado por mais de três mil torcedores, o Cruzeiro começou atacando o São Paulo e criando duas ótimas chances nos dois primeiros minutos de jogo. Primeiro, após escanteio cortado por Rafael, Machado pegou o rebote de fora da área e a bola desviou no meio do caminho e tomou a direção do gol, sendo cortada por Wellington Rato. No lance seguinte, Arthur Gomes avançou sozinho pelo meio e bateu colocado, para fora, assustando os são-paulinos.

Conforme os minutos se passaram, o São Paulo começou a sufocar a saída de bola do Cruzeiro, que tinha dificuldade em sair tocando e, consequentemente, criar chances. O time celeste só foi conseguir assustar Rafael aos 20 minutos, quando Jussa apareceu como elemento surpresa em contra-ataque e finalizou fraco para a defesa do goleiro Tricolor, revelado pelas categorias de base da Raposa.

No geral, foi um primeiro tempo ruim do Cruzeiro, que sofreu com a marcação alta do São Paulo e pouco criou. Erros de passe se tornaram comuns e as principais chances do Tricolor saíram após falhas do tipo da Raposa. Não fosse uma intervenção milagrosa de Rafael Cabral em chute de James e o impedimento milimétrico de Alisson, o time celeste iria para o intervalo perdendo.

Zé Ricardo repetiu o time, mas viu Cruzeiro parar na falta de precisão (IconSport)

Segundo tempo de chances desperdiçadas

O início do segundo tempo, assim como na primeira etapa, foi de oportunidades para o Cruzeiro. Após boa jogada de Matheus Pereira, William foi lançado na direita e resolveu arriscar direto para o gol, obrigando Rafael a espalmar. No rebote, Arthur Gomes brigou e ganhou a bola, conseguindo chutar, mas a finalização saiu com desvio e o goleiro são-paulino defendeu bem.

Jogando centralizado na segunda etapa, Matheus Pereira passou a ser o principal nome do Cruzeiro. Aos 22 minutos, o camisa 96 orquestrou mais uma boa chance da Raposa. O meia fez pela abertura para William, que livre, cruzou bem para Lucas Silva. O camisa 16, porém, cabeceou mal, para fora.

Cruzeiro manda bola no travessão e paga pelo erro

Depois do meio da primeira etapa, com o jogo ainda morno, Zé Ricardo decidiu mexer, primeiro sacando Arthur Gomes e colocando Rafael Elias. O atacante apareceu, primeiro, por tomar um amarelo por reclamação e ser suspenso para a partida de domingo (5), contra o Internacional. Logo depois, Zé Ricardo sacou William, Lucas Silva e Matheus Pereira, colocando Palacios, Wesley e Mateus Vital. E dois dos substitutos estiveram perto de abrir o placar.

Aos 34, Rafael saiu jogando mal e Machado ficou com a bola. O volante lançou Wesley, que cruzou para Bruno Rodrigues. O camisa 9 ajeitou para Rafael Elias que, de frente para o gol, carimbou o travessão. No rebote, Vital, também de frente, chutou para fora. Quatro minutos depois, após uma falha de marcação na defesa celeste, Luciano subiu sozinho após cruzamento de Alisson e guardou. O São Paulo fazia 1 a 0 reforçando a máxima de “quem não faz, leva”.

Com o gol sofrido e as mudanças feitas por Zé Ricardo, o Cruzeiro, que em alguns momentos pareceu satisfeito com o empate, perdeu o fôlego de vez e parou de levar perigo. E o time caminhou para uma nova derrota no Brasileirão. O Cruzeiro volta a jogar no domingo (5), quando recebe o Internacional, no Mineirão, às 16h, em partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Estatísticas de São Paulo 1 x 0 Cruzeiro – 31ª rodada do Brasileirão

  • Posse de bola: São Paulo 55% x 45% Cruzeiro
  • Finalizações (a gol): São Paulo 13 (5) x 19 (4) Cruzeiro
  • Grandes chances: São Paulo 2 x 2 Cruzeiro
  • Passes (certos): São Paulo 507 (442) x 405 (338) Cruzeiro
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo DecontoSetorista

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Foto de Maic Costa

Maic CostaSetorista

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo