Brasileirão Série A

Tragédia consumada: Santos perde para o Fortaleza e sela rebaixamento histórico em plena Vila Belmiro

Nem mesmo todo o apoio da torcida do Santos foi suficiente para evitar o rebaixamento histórico no Campeonato Braisleiro

O Santos está rebaixado no Campeonato Brasileiro. A equipe foi derrotada pelo Fortaleza, na Vila Belmiro, por 2 a 1, e, em razão das vitórias de Bahia e Vasco, sobre Atlético-MG e Red Bull Bragantino, acabou na 17ª colocação da tabela. O Santos vai para a Série B junto com Goiás, América-MG e Coritiba.

Os gols que decretaram o inédito rebaixamento do Santos foram marcados por Marinho e Lucero. Messias marcou para o Santos.

Dois centroavantes na equipe titular do Santos

Com toda a necessidade de vencer o Fortaleza para garantir a permanência na Série A, o técnico Marcelo Fernandes mandou o Santos a campo com novidades. Distribuído no 3-5-2, o Peixe iniciou o confronto com Gabriel Inocêncio na ala esquerda, além de Marcos Leonardo e Julio César Furch no ataque. Soteldo, o jogador mais talentoso da equipe, foi recuado para o meio-campo e recebeu a missão de municiar os dois centroavantes.

Fortaleza adota postura ofensiva na Vila

Apesar dos dois centroavantes, o Santos esteve longe de ser um time agressivo ofensivamente. A equipe alvinegra até criou oportunidades para abrir o placar com Marcos Leonardo,em lance anulado por impedimento, e depois com Jean Lucas, que, cara a cara com João Ricardo chutou o chão e desperdiçou a chance.

Muito mais organizado e leve, o Fortaleza foi se soltando na partida e colocou o sistema defensivo para trabalhar. Na primeira boa chance dos cearenses, Messias, com um carrinho travou o chute de maneira salvadora. Mais tarde, no entanto, aos 38 minutos, não teve quem salvasse. Após uma cobrança de escanteio a favor do Peixe, João Basso ficou com a sobra e, desnecessariamente, resolveu finalizar no gol com todo o time no campo de ataque.

O chute acabou ficando nos pés de Marcos Leonardo, que foi desarmado. Imediatamente Marinho foi lançado e partiu em velocidade em direção à área do Santos. Na saída de João Paulo, o atacante finalizou e abriu o placar para o Fortaleza.

Santos vai para o intervalo atrás dos concorrentes

Após o gol, o Fortaleza quase ampliou o placar numa cabeçada de Luchero, que João Paulo espalmou para escanteio. O Santos quase empatou com Julio César Furch, mas parou em João Ricardo.

Antes do fim do primeiro tempo, Marcelo Fernandes sacou Tomás Rincón e Dodô e colocou em campo Nonato e Lucas Lima com o intuito de melhorar a postura ofensiva do Santos. Mas isso não ocorreu na primeira etapa.

Com Bahia e Vasco vencendo Atlético-MG e Red Bull Bragantino, o Santos foi para o intervalo na 17ª colocação.

Dupla alegria na Vila Belmiro

Diante dos resultados, a torcida do Santos começou a ficar preocupada nas arquibancadas. Porém, sem deixar de apoiar os jogadores um minuto sequer. No embalo vindo dos torcedores, o Santos chegou ao empate.

Aos 13 minutos, após cobrança de escanteio de Lucas Lima, Messias subiu mais do que toda a defesa do Fortaleza e testou para o fundo das redes. A Vila Belmiro explodiu de alegria. Essa alegria se multiplicou com o gol de empate do Red Bull Bragantino, em São Januário, diante do Vasco.

Santos vai para o ataque

Na tentativa aproveitar a atmosfera positiva, Marcelo Fernandes usou as duas mudanças que ainda podia fazer. Saíram Jean Lucas e Furch e entraram Maxi Silvera e Weslley Patati.

O Santos passou a ficar no campo de ataque, mas sem exigir muito do goleiro João Ricardo. Aos 38 minutos do segundo tempo, a notícia de que o Vasco havia marcado o segundo gol diante do Red Bull Bragantino mudou o clima na Vila Belmiro.

A situação ficou ainda pior quando Lucero, se aproveitando uma ida de João Paulo ao ataque e, de longa distância, aos 50 minutos, acertou um lindo chute de cobertura e decretou o rebaixamento do Santos.

Assim que a bola estufou as redes, a torcida iniciou os protestos com bombas arremessadas no gramado. Imediatamente o árbitro Leandro Pedro Vuaden decretou o fim da partida.

Do lado de fora, a Polícia Militar entrou em confronto com a torcida,

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo