Brasileirão Série A

Renato pede calma à torcida após vitória do Grêmio: ‘Parece que somos City ou Real’

Depois de duas derrotas consecutivas, o Grêmio jogou bem e venceu o Athletico-PR, o que fez Renato Gaúcho elogiar seus jogadores e pedir calma à torcida

A incontestável vitória por 2 a 0 sobre o Athletico-PR, na noite desta quarta-feira (17), pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, fez o Grêmio retomar o rumo após derrotas consecutivas para o Huachipato, pela Libertadores, e para o Vasco da Gama, na estreia na competição nacional. Após o triunfo diante do Furacão, o técnico Renato Portaluppi discordou que o momento do Tricolor Gaúcho era conturbado.

— Vocês colocam: momento conturbado do tricolor… momento do Grêmio é ótimo. Há dez dias o Grêmio foi hepta [campeão gaúcho], entramos para a história do clube. Eu concordo que a gente precisa melhorar. Perdemos um jogo da Libertadores que não poderíamos ter perdido, em casa. Estreia do Brasileiro a gente joga para buscar o melhor resultado. Infelizmente nós perdemos, e vimos o que aconteceu no jogo também. E assim, da noite para o dia, parece que o Grêmio é o City, o Real Madrid, o Barcelona, que não pode perder. Todo mundo perde, ganha apertado por aí. O Grêmio não tem plantel para ser campeão do mundo. Os tropeços vão acontecer. O que eu peço para o torcedor é calma. A gente sempre trabalha para melhorar — afirmou Renato.

Renato elogia competitividade do Grêmio na vitória

O treinador gremista exaltou a vitória sobre o Athletico-PR, principalmente pelo retrospecto do adversário. O Furacão vinha de oito vitórias consecutivas sob o comando de Cuca, as últimas quatro com goleadas, e tem o melhor ataque do futebol brasileiro em 2024, com 44 gols em 21 jogos.

— Hoje nós pegamos uma carninha de pescoço. Era o líder do campeonato até então, tem o melhor ataque do Brasil. É um time muito bom, e o Grêmio, apesar dos desfalques, jogou muito bem, competiu, tomou conta do jogo todo. Conseguimos fazer dois gols, criamos situações. Em momento nenhum tivemos um prejuízo ali atrás, a defesa não tomou gol. O time jogou bem, depois de três dias da derrota para o Vasco. Futebol é assim mesmo — ressaltou Renato. 

O treinador do Grêmio gostou principalmente da competitividade do seu time, o que havia faltado na derrota para o Huachipato, na semana passada. Isso passou principalmente pela entrada de Dodi no meio de campo, no lugar de Du Queiroz. Para Renato, o volante foi um dos três melhores em campo. Mas o comandante fez questão de exaltar toda equipe.

— Todo mundo competiu. A nossa marcação começou a partir do ataque. Por isso falo do [João Pedro Galvão]. Às vezes não aparece muito para o torcedor, mas aparece para o time. Não deu folga para os zagueiros do Athletico. E a partir daí a gente competiu o tempo todo com eles, e todo mundo começou a aparecer na partida. Todo mundo jogou bem. Essa entrega é o que mais cobro deles. Em todos os jogos. Independente de quem começa ou entra. É obrigação do jogador. Ele é pago para correr, para jogar. Hoje deu prazer de ver o Grêmio jogar — elogiou.

Renato desconversa sobre reforços

Renato desconversou sobre dois temas abordados na entrevista coletiva. Disse que ainda vai aguardar respostas do departamento médico para definir o planejamento para o jogo de sábado (20), contra o Cuiabá, que antecede o decisivo duelo contra o Estudiantes, pela Libertadores, na terça-feira (23), na Argentina.

O treinador gremista também evitou comentar sobre reforços. Apenas admitiu que o Grêmio está de olho no mercado. Conforme apurado pela Trivela, o Tricolor Gaúcho está próximo de sacramentar a contratação de Edenilson, do Atlético-MG. Outro jogador do Galo, Jemerson também é um nome ventilado para reforçar o elenco gremista. A janela para contratação de jogadores que disputaram campeonatos estaduais por outras equipes fecha na sexta-feira (19).

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo