Brasileirão Série A

Ramon Diáz, técnico do Vasco, pode receber gancho pesado do STJD após fala machista

Argentino pediu desculpas por fala machista, mas seu comentário será analisado no STJD e pode gerar multa e até suspensão

Os problemas gerados pela fala machista do técnico Ramón Díaz, do Vasco, podem não ter se encerrado no pedido de desculpas feito após a coletiva, na última quarta-feira, depois da derrota para o Red Bull Bragantino, no Nabi Abi Chedid. A Trivela apurou que o comentário feito pelo treinador argentino sobre a árbitra do VAR do duelo com o Grêmio, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, será analisado pela Procuradoria do STJD. E, caso haja denúncia, Ramón Diaz pode ser até suspenso e desfalcar o Vasco na beira do gramado.

Ramón Diaz pode ser denunciado no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O artigo fala em “Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. Ramón Diaz pode ser suspenso de cinco a dez partidas, além de receber multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

Depois da derrota para o Red Bull Bragantino, ao ser questionado sobre a arbitragem do jogo, Ramón Diaz aproveitou para reclamar do VAR do duelo com o Grêmio, no último domingo. E fez um comentário machista sobre a árbitra Daiane Muniz (FIFA-SP). Cerca de trinta minutos depois da coletiva, o técnico pediu desculpas em conversa com os jornalistas e disse que foi mal interpretado, mas o estrago já estava feito.

– Com relação aos árbitros, não podemos falar muito. Tem o VAR. Na última partida, em casa, uma senhora, uma mulher, interpretou um pênalti de outra maneira. O futebol é diferente. Principalmente de que o VAR seja decidido por uma mulher. Acho que é bastante complicado, porque o futebol é tão dinâmico, tão rápido, com decisões tão rápidas. Hoje não sei sobre o árbitro num pênalti em nosso ponta. Que bate e leva, não sei também se foi pênalti – afirmou Ramón Diaz em entrevista coletiva no Nabi Abi Chedid.

Especialista fala sobre possível punição a Ramón Diaz

Para entender a possibilidade de Ramón Diaz ser suspenso pelo STJD, a Trivela conversou com Fernanda Soares, especialista em direito desportivo. Para a advogada, a possível punição vai depender da interpretação do Tribunal sobre a intenção ou não de Ramón Diaz com a sua fala.

– Para que seja aplicada essa punição, o tribunal precisa chegar a conclusão de que o Ramón Díaz quis praticar o ato discriminatório, ou seja, que ele teve a intenção de discriminar; que a fala dele realmente expressa um pensamento discriminatório em razão do sexo da árbitra de vídeo. Isso nem sempre é fácil porque não é fácil determinar a intenção das pessoas – afirmou Fernanda Soares à Trivela, antes de completar.

– Caberá ao tribunal determinar se a fala dele foi discriminatória ou se ele não soube se expressar corretamente na entrevista – disse a advogada.

Ramón Diaz e Vasco pediram desculpas por fala machista

Depois da derrota para o Red Bull Bragantino, Ramón Diaz falou sobre a árbitra Daiane Muniz (FIFA-SP), que foi a responsável pelo VAR na vitória do Vasco sobre o Grêmio, no último domingo. Na partida, o Cruz-Maltino ficou na bronca com o pênalti não marcado de Rodrigo Ely, do Grêmio, em Galdames, durante o segundo tempo. O árbitro Flavio Rodrigues de Souza (FIFA-SP) não foi nem sequer ao monitor para rever o lance.

Cerca de trinta minutos depois do fim da coletiva no Nabi Abi Chedid, com a repercussão negativa da fala machista, Ramón Diaz procurou os jornalistas presentes no estádio e pediu a tradicional desculpa após uma fala problemática. Pouco depois, o Vasco também publicou uma mensagem nas redes sociais lamentando a fala do treinador.

— Se interpretou algo mal da minha declaração. Quero pedir desculpas. Me pareceu que o que eu quis dizer é que uma só pessoa não pode tomar uma decisão tão importante como é a participação do VAR no futebol. Se se interpretou mal, peço desculpa, mas não é minha intenção — afirmou Ramón Diaz.

Desculpa de Ramón Diaz pode amenizar o caso

O pedido de desculpas feito por Ramón Diaz pode atenuar a situação para o treinador. Em 2021, o Botafogo foi julgado por gritos machistas de torcedores e foi punido com uma multa de R$ 10 mil. Na ocasião, durante um jogo contra o Brusque, no Nilton Santos, torcedores alvinegros xingaram a assistente Katíuscia Mendonça de “piranha”.

No fim do jogo, ainda no gramado, o presidente do Botafogo, Durcesio Mello, entregou uma carta com um pedido de desculpas a assistente. O clube acabou denunciado no artigo 243-G e poderia até perder pontos, mas levou apenas a multa de R$ 10 mil. Durante o julgamento, um dos auditores citou o pedido de desculpas do clube.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo