Brasileirão Série A

Queda de rendimento de Arrascaeta pode explicar oscilação do Flamengo

Meia uruguaio viveu grande início de temporada, mas, com o início das competições importantes, teve queda de rendimento gritante pelo Flamengo

Um craque pode decidir um jogo a qualquer momento e, quando em grande fase, é o catalisador de um time campeão. Arrascaeta é esse jogador no Flamengo. Quem tira um coelho da cartola quando a equipe mais precisa, e garante resultados quando o desempenho não é bom. Nos últimos jogos, contudo, o uruguaio parece estar vivendo o oposto.

Sem participar de gol há oito partidas, Arrascaeta teve uma queda de rendimento nítida, que coincidiu, justamente, com a oscilação do Flamengo depois de um grande início de temporada. Os problemas não aparecem só com a bola no pé, já que a parte física, tão celebrada em fevereiro e março, também caiu. Como o próprio Tite disse, na coletiva após a derrota para o Botafogo, é hora de dar um passo atrás.

A comparação entre o início de 2024 e o mês de abril

O início de ano de Arrascaeta pelo Flamengo foi interessante demais, e a Trivela produziu uma matéria com os números do atleta (clique no link para acessar). Foram oito participações diretas — três gols e cinco assistências —, a segunda maior marca da equipe, atrás apenas do artilheiro Pedro. Não à toa, o uruguaio foi eleito o principal jogador do Campeonato Carioca.

Arrascaeta começou bem o ano, mas não vive bom momento desde as finais do Campeonato Carioca (Foto: Iconsport)

Depois de conceder bela assistência para Pedro no jogo de ida da semifinal do Carioca, tudo parecia caminhar bem. Arrascaeta foi convocado pela Seleção Uruguaia para a Data Fifa e participou de 45 minutos do amistoso contra a Costa do Marfim. Desde então, o camisa 14 foi perdendo o protagonismo, e não voltou a marcar.

Claro que não devemos nos atentar apenas para as estatísticas de participação direita. Na estreia da Libertadores, contra o Millonarios, por exemplo, Arrascaeta sofreu o pênalti convertido por Pedro, o único gol do Flamengo no jogo. Ainda que eficiente, concedendo 13 passes decisivos, o uruguaio não conseguia mais ser tão efetivo quanto anteriormente.

Parte física também cai

A queda de rendimento pode ter a ver, claro, com o desempenho físico abaixo do esperado. Arrascaeta iniciou o ano na ponta dos cascos, elogiado internamente, pelo Departamento de Saúde e Alto Rendimento, mas abril veio para quebrar a boa sequência. Um dos mais utilizados por Tite na temporada, o meia começou a ter que ser preservado e apresentar desgaste.

  • 18 jogos (terceira maior marca do Flamengo em 2024);
  • 1429 minutos (entre as cinco maiores marcas do Flamengo em 2024);
  • 79 minutos por partida jogada.

Arrascaeta precisou ser poupado de duas partidas só neste mês, contra São Paulo, pelo Brasileirão, e Bolívar, pela Libertadores. Fora isso, esteve em campo os 90 minutos em três jogos, diante de Millonarios, Atlético Goianiense e Palmeiras. A preocupação de Tite com uma possível lesão do craque uruguaio era nítida e não seria em vão.

— Hoje, tivemos que tirar o Arrascaeta. Você acha que eu quero tirar o Arrascaeta? Eu fico aqui com… ‘Ah, tirou o (camisa) 10 do time. Eu fico aqui exposto por tirar (Arrascaeta), mas não dá… Vou estourar o cara nessa sequência de jogos? Agora (depois do jogo) é fácil. Mas e antes para tirar o 10? — analisou, após a vitória sobre o São Paulo.

O grande medo de Tite apareceu neste domingo (28), na derrota diante do Botafogo. Mesmo tendo sido poupado de duas das últimas três partidas, Arrascaeta sentiu um incômodo na coxa direita e será reavaliado amanhã no Ninho do Urubu. Se for constatada a lesão, o Flamengo perderá sua grande referência técnica para maio, um mês importante neste início de temporada.

Arrascaeta é fundamental para o Flamengo

Não resta dúvida que Arrascaeta funciona como uma espécie de cérebro para o Flamengo. Normalmente, quando o uruguaio não está bem, o time carece de criatividade. Por isso é tão importante que ele esteja preservado fisicamente, para poder desfilar seu melhor futebol dentro das quatro linhas, algo que cativa, também, a torcida rubro-negra.

O próximo desafio do Flamengo, com ou sem Arrascaeta, será nesta quarta-feira (01), diante do Amazonas, pela terceira fase da Copa do Brasil. A estreia de Tite e companhia no mata-mata nacional será realizada no Maracanã, a partir das 21h30 (de Brasília).

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo