Brasileirão Série A

Entenda o novo capítulo da velha polêmica entre Fluminense e Vasco sobre o Maracanã

Divisão do público no clássico deste sábado, pelo Brasileiro, reacendeu a velha disputa entre Fluminense e Vasco pelo Setor Sul do Maracanã

A velha polêmica dos lados das torcidas no Maracanã voltou a chamar a atenção após o clássico entre Fluminense e Vasco, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Depois da vitória por 2 a 1 do Tricolor, o técnico Ramón Diaz ironizou, em coletiva, a falta de público no estádio e foi rebatido, nas redes sociais, por Mattheus Montenegro, vice-presidente do clube das Laranjeiras. E este novo capítulo está relacionado, é claro, a esta divergência dos clubes pelos setores do Maracanã.

Na coletiva, Ramón Diaz disse não entender porque a divisão do público neste domingo foi feita em 90/10, e não meio a meio, como historicamente acontecem os clássicos cariocas. Além disso, ironizou ao falar que Maracanã deste clássico, com 25 mil presentes, lembrou os tempos de pandemia. Ao rebater o técnico do Vasco, o VP do Fluminense revelou que o Tricolor ofereceu a possibilidade de divisão de público 50/50, o que não foi aceito pelo Vasco.

— O público não foi dividido porque o Vasco não aceitou o acordo proposto pelo Fluminense. Somos favoráveis a clássicos 50/50, mas, claro, respeitamos a decisão. Se o treinador trabalhasse mais e ironizasse menos, poderia ter conseguido um resultado melhor no jogo. Boa noite! — publicou Montenegro.

Como foi a negociação para o clássico deste domingo

A Trivela apurou que, de fato, o Fluminense ofereceu ao Vasco a possibilidade do clássico ser realizado com público dividido. O Vasco considerou a oferta, mas só aceitaria se os dois clássicos do Campeonato Brasileiro fossem realizados no Maracanã, com o mandante podendo escolher o lado do público. Ou seja, o Cruz-Maltino poderia colocar a sua torcida no Setor Sul, como entender ter direto por uma questão histórica relacionada ao Campeonato Carioca de 1950, conquistado pelo clube, que teria o direito de escolher o seu lado no estádio.

O Fluminense, que administra o Maracanã ao lado do Flamengo, não aceitou o pedido do Vasco. Desde 2013, quando assumiu o estádio, o Tricolor coloca a sua torcida no Setor Sul, historicamente ocupado pelos vascaínos — o Norte, por sua vez, é tradicionalmente ocupado pela torcida do Flamengo.

Dessa forma, sem o acordo pela divisão do público meio a meio, o Fluminense optou pela divisão 90/10, o que também será feito pelo Vasco no clássico do segundo turno do Campeonato Brasileiro. Ainda de acordo com apuração da Trivela, o Cruz-Maltino tentará levar o jogo para São Januário ou, caso não consiga realizar a partida na Colina, levar para o Nilton Santos, como aconteceu em 2023, também pelo segundo turno do Brasileiro.

O que disse Ramón Diaz sobre público do clássico?

Ao comentar sobre a falta de público no clássico deste domingo, Ramón Diaz questionou a divisão do estádio e cutucou ao dizer que o Maracanã lembrou os tempos de pandemia, com estádios sem torcida.

— Me surpreendeu que num clássico tão importante do Rio tenha tão pouca gente. Não sei o motivo, não pode dizer. É uma lástima porque é um espetáculo de dois times que têm muita torcida, com muitos fãs. E o Vasco poderia ter enchido tudo. Me surpreendeu, parecia na pandemia (risos). Um jogo na pandemia. Se você dá a metade do estádio ao Vasco, ele vai encher. Não sei por que não se pôde (dividir o estádio) — disse Ramón Díaz.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo