Brasileirão Série A

Ramón Díaz exagera ao dizer que Vasco merecia mais em derrota para o Fluminense

Técnico do Vasco, Ramón Díaz exaltou a atuação do Vasco na derrota por 2 a 1 para o Fluminense, neste domingo, no Maracanã, pelo Brasileiro

O Vasco teve uma atuação ruim e chegou a sua segunda derrota seguida neste começo de Campeonato Brasileiro. Com um primeiro tempo praticamente inofensivo no ataque, o time até teve chance de empatar, mas também sofreu com os contra-ataques do Fluminense na derrota por 2 a 1, neste sábado (20), no Maracanã. O técnico Ramón Díaz, no entanto, acredita que o Vasco merecia um placar melhor no clássico deste domingo.

Depois da partida, em coletiva de imprensa, o técnico Ramón Diaz até criticou o primeiro tempo da partida, mas exagerou ao dizer que o clube merecia algo melhor. O Fluminense foi melhor todo o primeiro tempo e parte do segundo, além de ter criado mais oportunidades em contra-ataques na reta final do jogo, obrigando Léo Jardim a fazer duas boas defesas.

— Entendo que o time não jogou bem no primeiro tempo. Fomos superados pela qualidade técnica que eles têm. Tivemos um par de situações com Pablo, depois tivemos algumas ocasiões em que poderíamos fazer o gol. No segundo tempo, melhoramos, fomos mais pulsantes. Tivemos uma situação muito clara com Rayan. Depois foi marcado impedimento com Clayton — afirmou Ramón Diaz em coletiva antes de completar:

– Não fomos claros no jogo. Creio que merecíamos um pouquinho mais porque a equipe sempre está lutando, estamos jogando com jovens. Rayan, David e outros jogadores jovens estão crescendo. Tivemos três jogos numa semana, temos pouca reposição, mas os jovens vão se adaptando e vão melhorar – completou o técnico do Vasco.

Ramón Díaz também exagera em provocação ao Fluminense

Além de exagerar sobre a atuação do time do Vasco, Ramón Diaz também terminou a coletiva comentando sobre a falta de público no Maracanã. Foram cerca de 25 mil presentes no estádio. O argentino até tem razão em questionar a falta de ingressos para a torcida do Vasco, que teve apenas 10% da carga de ingressos — diferente da maioria dos clássicos cariocas que têm estádio dividido meio a meio. Mas após a derrota, a brincadeira sobre a lembrança da pandemia pode ter soado exagerada pelo momento do seu próprio time.

– Me surpreendeu um clássico tão importante do Rio de Janeiro com tão pouca torcida. Eu não sei o motivo, mas me surpreendeu. É uma lástima. Pelo Vasco poderíamos ter todo o estádio cheio. Me surpreendeu. Parecia que estávamos na pandemia. Jogando uma partida na época da pandemia – disse, aos risos, Ramón Diaz.

Ramón Díaz mais uma vez reclama da arbitragem

Mais uma vez, Ramón Diaz ficou na bronca com a arbitragem neste começo do Campeonato Brasileiro. Mas, desta vez, sem o machismo usado na última coletiva. O técnico do Vasco reclamou de um possível pênalti não marcado em toque da bola no braço de Manoel, do Fluminense, dentro da área, após finalização de Vegetti.

– Não é para ser polêmico, mas Vegetti bate e pega na mão. E foi pênalti claro, muito claro. Não sei por que o árbitro não marcou. Ao longo da rodada, vocês vão ver situações muito semelhantes e vão marcar o pênalti. Não quero ser polêmico, quero ser justo. O Vasco faz um esforço enorme com contratações e com seu público. Não há polêmica, mas foi muito claro – afirmou Ramón Diaz.

Falta tranquilidade ao Vasco?

Mesmo com a derrota, Ramón Díaz valorizou as (poucas) chances criadas pelo Vasco no clássico com o Fluminense. Para ele, faltou tranquilidade ao time para conseguir ser efetivo. Além disso, ele também citou a sequência de três jogos em uma semana como motivo para a falta de um resultado positivo do Vasco.

— Que merecíamos muito mais. O que está faltando a nós é um pouquinho de tranquilidade. Vamos trabalhar nessa semana, e seguramente falta tranquilidade. A equipe pressiona, corre, mas falta tranquilidade. Nessa semana não podemos trabalhar porque jogamos domingo e quarta-feira. Não estão dando resultado, mas há chance. Estou contente com o elenco que tenho. Estaria preocupado se não criasse oportunidades e não fizesse gols. A torcida os acompanha. Veio um montão de gente, mas não permitiriam que completássemos nosso lado — disse Ramón.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo