Brasileirão Série A

Diniz admite que Fluminense está sendo displicente, e não esconde foco na Libertadores

Fernando Diniz criticou falta de concentração do Fluminense, que tem a cabeça na final da Libertadores e escorrega no Campeonato Brasileiro apesar de vitória

O Fluminense venceu o Goiás por 5 a 3 mas não sem sustos. O Tricolor saiu perdendo por 2 a 0 e, embora tenha tido boa atuação para reagir e virar o placar, mais uma vez mostrou falhas defensivas e teve um início sonolento no Campeonato Brasileiro que não podem se repetir na final da Libertadores.

Após o jogo, o técnico Fernando Diniz admitiu que o Flu está sendo “displicente” e que a equipe precisa de ajustes.

— A gente sabe que tem coisas para corrigir. Não são coisas muito simples. O número de gols que a gente tomou, a gente teve uma postura mais displicente em alguns jogos no Brasileirão como hoje e contra o Corinthians no primeiro tempo. Mas o time tem muito recurso tático. Estamos juntos há um ano e meio. Quando o time está concentrado, como estaremos na final, diminui muito os erros. Espero que o time na final vá estar muito ajustado e focado para fazer um grande jogo — disse Diniz.

Psicólogo de formação, o treinador do Fluminense vê a ansiedade pela final da Libertadores como um dos motivos para a desatenção. Diniz não negou o foco na decisão.

— Acho que algumas coisas têm a ver com a ansiedade. Vamos jogar a partida mais importante da história do clube e a mais importante da história de muita gente que vai jogar o jogo. Por mais que se tente ficar no presente, sem olhar para trás e nem para frente, é muito difícil ficar no aqui e agora num campeonato tão difícil como é o Brasileiro. Não tem sido fácil irmos para os jogos e estar presente de corpo e alma. Todo mundo está se esforçando muito para que consigamos entregar bons jogos e vitórias que precisamos — opinou.

Fernando Diniz admitiu Fluminense "displicente" no Brasileiro, mas projeta equipe concentrada na Libertadores - Foto: Mailson Santana/Fluminense FC
Fernando Diniz admitiu Fluminense “displicente” no Brasileiro, mas projeta equipe concentrada na Libertadores – Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Cabeça de Diniz também está na final da Libertadores pelo Fluminense

Nem mesmo o fato de ser o técnico da Seleção e do Fluminense ao mesmo tempo tem pesado tanto para Fernando Diniz quanto a final do Libertadores. O treinador falou sobre a preparação para a final, que chamou de “jogo mais importante da história do clube”.

— Obviamente que para mim também é um fator que na minha carreira passa a ser a mais importante. São poucos treinadores que tiveram a honra de disputar a final. Ainda mais na construção que fizemos no Fluminense, na identificação com a torcida. A maneira que estamos do ano passado para cá é uma coisa muito bonita. Também é um jogo que mexe comigo, mas trabalho muito com isso de ficar vivendo o melhor momento possível no presente.

Fluminense de Fernando Diniz tem final da Libertadores como grande objetivo de 2023 - Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC
Fluminense de Fernando Diniz tem final da Libertadores como grande objetivo de 2023 – Foto: MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC

Também por isso o mantra no CT Carlos Castilho é que “todo dia é dia 4 de novembro”. Essa foi a maneira que treinador e elenco encontraram para não perder o foco nos desafios pelo Campeonato Brasileiro e nem na preparação para a grande final.

— Quando vou para frente, no dia 4, ele tem que ser hoje, não pode ser só lá na frente. Temos que viver o melhor possível hoje. O que tento passar para os jogadores é o que tento trabalhar comigo mesmo: permanecer num estado de “presentificar” a vida, focar no hoje, que é importante e estamos vivos, treinando, comendo e dormindo. Temos que trabalhar dessa forma para chegar na melhor forma possível na final.

Diniz sai em defesa de Marlon após embate com torcida do Fluminense

A mente e os nervos estavam à flor da pele também para Marlon, que acabou sendo vaiado pela torcida do Fluminense em Volta Redonda. Ao marcar um gol que seria anulado pelo VAR, o zagueiro chegou a gesticular para os torcedores calarem a boca, mas em ato contínuo, contido por Felipe Melo, pediu desculpas. Diniz saiu em defesa do camisa 4.

— O ideal é que não aconteça, mas em alguns casos raros, como o de hoje, acontece e ele teve a reação e a aceitação da torcida ficou melhor do que se não tivesse acontecido nada. Muito pelo fato de ser cria de Xerém, jogador muito identificado com o torcedor, um grande jogador e que fez uma grande partida. Ele tem jogado bem sequencialmente. O ideal é que não se faça esse tipo de gesto porque a gente tem que aceitar, escutar e jogar bem para poder entregar as vitórias que eles querem.

Fluminense no Campeonato Brasileiro 2023

  • 7ª colocação após 29 jogos disputados
  • 51,8% de aproveitamento até o momento
  • 45 pontos conquistados com 13 vitórias, 6 empates e 10 derrotas

 

Foto de Caio Blois

Caio Blois

Caio Blois nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e se formou em Jornalismo na UFRJ em 2017. É pós-graduado em Comunicação e cursa mestrado em Gestão do Desporto na Universidade de Lisboa. Antes de escrever para Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo