Brasileirão Série A

Flamengo reencontra o Vasco em momento bem diferente do que no primeiro (e único) duelo de 2024

Rubro-Negro ultrapassou momento de oscilação em 2024 para chegar ao Clássico dos Milhões com quatro vitórias consecutivas

O Flamengo encara o arquirrival Vasco da Gama neste domingo (02), em jogo atrasado da sétima rodada do Campeonato Brasileiro. O Clássico dos Milhões será disputado duas semanas depois do esperado, por conta da paralisação da liga nacional, e o Rubro-Negro chega em sequência interessante. O momento da equipe é a principal diferença para o primeiro, e único, duelo entre os times em 2024.

Os fatores para essa mudança do Flamengo estão na mesa e variam entre o excelente retrospecto da equipe no clássico, mudanças pontuais de Tite e a casca adquirida pelo Rubro-Negro em 2024. A Trivela te proporciona melhor a prévia para esse segundo clássico dos Milhões.

Flamengo superior no confronto direto

Ainda que o primeiro clássico de 2024 tenha terminado num empate sem gols, o Flamengo carrega um número de vitórias impressionante contra o Vasco. São 13 nos últimos 20 jogos, incluindo apenas duas derrotas, uma em 2021 e outra no ano passado. O recorte utilizado vem desde 2018.

Esse momento de domínio tem tudo a ver com a realidade dos clubes nos últimos anos. Enquanto o Vasco esteve na Série B, o Flamengo acumulou títulos, incluindo duas Libertadores. A disparidade até diminuiu com a chegada da SAF Cruz-maltina, mas o momento é de turbulência justamente por conta da 777 Partners, que vive problemas financeiros.

O arquirrival, inclusive, está vivendo uma reconstrução com a chegada do português Álvaro Dias, que substituirá Ramón Díaz como técnico. Tite, por sua vez, vive um período mais tranquilo do que em abril, quando esteve em seu período de maior turbulência pelo Flamengo.

Tite e suas cartas na manga

A principal mudança no Flamengo com relação ao primeiro confronto diante do Vasco é a configuração do time. Aquele clássico, válido pela Taça Guanabara, viu Tite utilizar um esquema com quatro meias, que custou muito caro pela falta de entrosamento. Pulgar acabou sobrecarregado na saída, e o ataque com Pedro e Cebolinha, apenas, não funcionou. Apesar disso, Gerson estava onde nunca deveria ter saído: a ponta direita.

Foi desde a mudança, implementada no jogo contra o Corinthians, que o Flamengo voltou a ganhar confiança no seu 4-3-3. Gerson deu a técnica que o setor ofensivo precisava e liberou De La Cruz para fazer a função de segundo volante, onde se sente mais confortável. O indício se tornou uma realidade para a temporada e deixou o Flamengo muito mais perigoso.

Gerson tem sido fundamental para o Flamengo (Foto: Icon Sport)

Outra mudança importante na zaga é o retorno de Fabrício Bruno, que recusou proposta do West Ham e vai permanecer no Flamengo. Seu companheiro será Léo Ortiz, já que o xará, Pereira, continua entregue ao departamento médico. O camisa 4, inclusive, foi o grande salvador de Tite e companhia no primeiro clássico dos Milhões de 2024.

O outro protagonista rubro-negro daquele confronto foi Gabigol, que perdeu o pênalti que poderia ter dado a vitória ao Flamengo nos acréscimos. Gabriel ainda não entrou em campo desde a polêmica foto vazada com a camisa do Corinthians.

Gabigol lamenta o pênalti desperdiçado no Clássico dos Milhões (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/SipaUSA/IconSport)

Além do time em si, o Flamengo também vive sequência diferente às vésperas do jogo contra o Vasco. Se o duelo do início de fevereiro era o primeiro de expressão do Rubro-Negro em 2024, o deste início de junho servirá como um teste para consolidar a volta por cima do clube.

O período de oscilação em abril fez com que o time perdesse confiança, que foi sendo recuperada aos poucos. O Rubro-Negro chega ao Clássico dos Milhões com quatro vitórias consecutivas na temporada.

Vale a liderança

Classificado para as oitavas de final tanto na Copa do Brasil quanto na Libertadores, o Flamengo está com todas as atenções voltadas para o Campeonato Brasileiro. O jogo contra o Vasco é o último da equipe antes de perder cinco titulares para a disputa da Copa América, ou seja, fundamental para as pretensões. Se vencer, o Rubro-Negro pode terminar a rodada na liderança.

A bola rola para o Clássico dos Milhões a partir das 16h (de Brasília), no Maracanã. Como tem sido rotina nos últimos anos, Flamengo e Vasco dividem o Mário Filho de maneira igualitária, a fim de protagonizar o melhor espetáculo possível para as torcidas.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo