Brasileirão Série A

Se a glória é lutar, o torcedor deveria estar orgulhoso com o Flamengo

Mesmo com desfalques, Rubro-Negro ainda não perdeu durante o período de Copa América e se especializa em jogos marcantes

Sete pontos em nove possíveis. Esse é o desempenho do Flamengo com cinco desfalques no time titular, por conta da Copa América. Para quem esperava um Rubro-Negro apático, enfrentando dificuldades, encontrou um grupo fechado, que luta até o fim e faz jus ao que a torcida espera.

Se no hino original consta que “Tua Glória é Lutar”, esse Flamengo dá orgulho ao seu torcedor. Buscou pontos quando parecia complicado, se fechou, entendeu as dificuldades e, agora, colhe os frutos.

O trabalho de Tite vai se consolidando e mostrando, cada vez mais, que o elenco tem condição de voar muito alto.

Gols no fim aumentam parceria

Um resultado suado, batalhado, pode fazer toda a diferença para que um elenco se feche, mas dois funcionam como receita para o sucesso. O Flamengo buscou o empate contra o Athletico na bacia das almas e soube ser efetivo novamente nos acréscimos para despachar o Bahia. O clima no Maracanã foi de festa absoluta, tanto nas arquibancadas quanto no campo.

As reações do gol de David Luiz, que garantiu o triunfo, foram bem interessantes de se observar. Enquanto o zagueiro dava uma volta semi-olímpica no Maracanã, Rossi comemorou de maneira efusiva com os reservas.

Nem o joelho ruim impediu que Tite se juntasse à festa. Com um abraço apertado em Gabigol e elogios para a torcida, o treinador fez valer a liderança.

Esses movimentos só mostram como o Flamengo está unido nos bastidores. O pensamento é no mesmo objetivo e vai do mais jovem ao mais experiente, isso fica nítido para quem acompanha o dia a dia do clube.

A força do elenco

Momento de exaltação. O que o Flamengo fez nos últimos jogos parecia impensável até para o mais otimista dos torcedores. O clube foi até Curitiba com dez desfalques e conseguiu voltar com o empate, além de ter vencido um Bahia que pareceu melhor ao longo dos 90 minutos no Maracanã. Os testes de fogo foram superados com a união.

Os exemplos estão claros: os gols fundamentais das últimas duas partidas. O Flamengo foi salvo pelo jovem Evertton Araújo, que balançou as redes pela primeira vez entre os profissionais, e contou com o brilho de David Luiz nesta quinta-feira.

Nem Pedro, nem Cebolinha, nem Bruno Henrique. A única referência técnica a ter marcado foi Gerson.

— Talvez a metáfora que tu tenha usado de lutar é jogar. Jogou muito no segundo tempo, mas jogou muito. Engoliu o primeiro tempo, que teve bastante dificuldade. Jogou muito. Teve espírito que erradia do torcedor para o campo, nas ações que os atletas fazem. Esse unir de força faz ter esses momentos — analisou Tite, durante a coletiva.

Líder por mérito

O Rubro-Negro não está na ponta do Campeonato Brasileiro por acaso. A campanha é de constância, tendo perdido apenas um jogo de dez: o clássico diante do Botafogo, no fim de abril. Foram seis compromissos de lá para cá, com quatro vitórias e dois empates.

  1. Flamengo – 21 pontos (6 vitórias)
  2. Botafogo – 20 pontos (6 vitórias e 17 gols marcados)
  3. Palmeiras – 20 pontos (6 vitórias e 13 gols marcados)
  4. Athletico Paranaense – 18 pontos (5 vitórias)

Restam 28 rodadas ainda no Brasileirão, mas esse Flamengo já anima o torcedor. Com desfalques, pouco descanso e um elenco recheado de garotos, o Rubro-Negro consegue se manter na ponta da tabela. A torcida sabe do esforço, por isso, vive lua de mel com Tite e companhia.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme XavierSetorista

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo