Brasileirão Série A

Aliviado, Seabra celebra permanência do Cruzeiro e revela bastidores da luta contra o Z4

Parte da comissão técnica de Paulo Autuori, Fernando Seabra, treinador do sub-20 da Raposa, concedeu entrevista coletiva após Botafogo 0 x 0 Cruzeiro

O Cruzeiro garantiu sua permanência na Série A do Campeonato Brasileiro após empatar com o Botafogo, em 0 a 0, na noite deste domingo (3), no Estádio Nilton Santos, em partida válida pela 37ª rodada. Além de fazer seu papel pontuando contra o time carioca, a Raposa contou com derrotas de Bahia e Vasco para espantar qualquer risco de queda. Após a partida, Fernando Seabra, treinador do sub-20 do clube mineiro e parte da comissão técnica de Paulo Autuori, concedeu entrevista coletiva.

Durante a coletiva, Seabra demonstrou alívio pela conquista da permanência, grande objetivo do Cruzeiro na temporada, mas ressaltou que não é algo a se comemorar, já que essa não é uma luta comum na história da Raposa, recheada de títulos.

— O sentimento é de alívio e missão cumprida. Não é o tipo de objetivo que a gente atinge que nos permite comemorar, celebrar, ficar feliz, porque o Cruzeiro, gigante que é, tem que disputar títulos, brigar lá em cima, atingir objetivos mais altos — falou o treinador.

Jovens têm destaque em reta final do Cruzeiro

Fernando Seabra comentou, também, sobre a participação dos jovens jogadores, crias da base da Raposa, na reta final do Campeonato Brasileiro. Na partida de hoje, Ian Luccas e Japa começaram jogando, enquanto Robert e João Pedro foram acionados no segundo tempo.

— Os meninos conhecem bem esses espaços. É uma forma de atuar parecida com o que a gente vinha fazendo no sub-20, porém com alguns ajustes estratégicos defensivos. A gente teve uma atuação muito importante do trio de ataque no momento de organização defensiva, eles ajudaram a fechar o jogo interior do adversário e isso deu uma certa tranquilidade para que pudéssemos controlar os espaços — analisou Seabra.

Ele ainda afirmou que Pepa e Zé Ricardo, que também comandaram o Cruzeiro em 2023, tiveram papel importante na reta final do Brasileirão, já que a comissão técnica aproveitou parte do conteúdo deixado pela dupla. Ele destacou, ainda, que Zé teve papel importante no crescimento dos jogadores do sub-20, pela integração feita entre os jovens e o profissional, durante a passagem do treinador na Toca da Raposa 2.

Desgaste do time

O treinador do sub-20 apontou, ainda, que a pesada sequência de jogos fez com que os jogadores do Cruzeiro se desgastassem bastante. Além disso, o pouco tempo entre as partidas prejudicou os trabalhos estratégicos do time.

— Era muito importante a gente ter uma mescla (entre juventude e experiência), pela sequência de jogos e a desvantagem em relação aos adversários, se você for ver, o Athletico-PR teve cinco dias entre um jogo e outro e a gente teve três. O Botafogo tem quatro dias e a gente teve três. Isso é tempo hábil para análise do seu jogo, do seu adversário, de elaborar estratégia e operacionalizar alguma coisa de acordo com o que é possível. Então a gente já esperava uma certa queda física e cognitiva no jogo passado e isso não aconteceu, pelo contrário, a equipe jogou numa rotação altíssima — apontou o treinador.

— Hoje, já durante o primeiro tempo, ficou claro que a sequência de jogos decisivos, mentalmente desgastantes e fisicamente exigentes pesou, cobrou um preço. A gente precisou se ajustar, fazer a leitura do jogo. Tivemos algumas dificuldades, mas conseguimos ir se adequando. Apesar de ser um jogo em que a gente criou pouco, a gente cedeu pouco ao adversário, também. Em condições normais de jogo, com os jogadores fisicamente e mentalmente recuperados, a gente teria gerado chances claras — continuou.

Bastidores da luta do Cruzeiro contra o rebaixamento

Fernando Seabra revelou, ainda, que alguns jogadores vinham recebendo injeções para aguentarem as dores sentidas pelo desgaste da temporada e seguirem atuando. Além disso, contou que comissões técnicas do time principal e do sub-20 se uniram para otimizar o trabalho de análise do Cruzeiro e dos adversários, reduzindo os impactos da falta de tempo para treinamentos.

— Os jogadores foram muito solícitos com uma rotina extremamente pesada, que não é tão comum, mas o momento exigia e eles abraçaram — falou Fernando.

— O desgaste vinha sendo tremendo, não só dos jogadores como da comissão também, com essa rotina que a gente implementou para essa situação de emergência. Tem jogadores que fizeram um esforço muito grande, jogando com um nível de dor extremo, precisando tomar injeções para diminuir a dor. Quem está por dentro dos bastidores sabe o que está por trás de atingir uma meta como essa — revelou.

O treinador destacou que o Campeonato Brasileiro não acabou e que o Cruzeiro ainda possui um objetivo na competição.

— Vamos fazer nosso melhor contra o Palmeiras para buscar essa vaga na Sul-Americana, que é um objetivo institucional importante para a temporada — disse Seabra.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo