Brasileirão Série A

‘Lei do ex’ funciona com Vitor Roque, mas Matheus Pereira desencanta e Cruzeiro e Athletico-PR empatam

Com o empate contra o Athletico-PR, o Cruzeiro se mantém com riscos de rebaixamento no Campeonato Brasileiro

Cruzeiro e Athletico-PR fizeram um jogo repleto de emoções nesta quarta-feira (30), pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida teve direito a lei do ex, com Vitor Roque marcando para o Furacão, pênalti perdido por Bruno Rodrigues, que parou em Bento, grande destaque do jogo, e Matheus Pereira desencantando e marcando o gol que empatou a partida, deixando o 1 a 1 como placar final do confronto.

A partida poderia praticamente garantir o Cruzeiro na Série A em 2024, em caso de vitória celeste, mas, com o empate, a Raposa segue ameaçada de rebaixamento, na 14ª colocação, com 45 pontos, quatro a mais que o Bahia, que abre o Z4. O Athletico-PR se manteve na oitava posição, com 53 pontos e sem chances de se classificar à Copa Libertadores. Apesar do resultado negativo, a torcida celeste reconheceu o esforço dos jogadores, aplaudindo-os ao final da partida.

Treinadores tiveram desfalques e retornos

O treinador Paulo Autuori ganhou um desfalque de última hora para escalar o Cruzeiro. O meia Mateus Vital, titular nas três partidas sob o comando do interino, foi vetado da partida contra o Athletico-PR, por ter sofrido um trauma no pé direito, durante a vitória de segunda-feira (27), sobre o Goiás. Cria da base da Raposa, o meio-campista Henrique Rodrigues o substituiu na lista de relacionados. Outra revelação da Toquinha, o meia Japa, de 19 anos, foi o escolhido para começar jogando na vaga que seria de Vital. A titularidade do garoto já era um pedido da torcida celeste.

Lucas Silva, ainda recuperando o ritmo de jogo após lesionar o joelho esquerdo, começa no banco de reservas e deve ser acionado durante a partida. Nikão, recuperado de quadro febril, voltou a ser relacionado e fica como opção. Arthur Gomes, que cumpriu suspensão, substituiu Wesley, que passará por cirurgia no ombro, entre os titulares.

Paulo Autuori escalou o Cruzeiro assim: Rafael Cabral; William, Neris, Luciano Castán e Marlon; Filipe Machado, Ian Luccas e Japa; Matheus Pereira, Bruno Rodrigues e Arthur Gomes.

Ex-Cruzeiro, Vitor Roque começa no banco

Assim como no time celeste, o Athletico-PR também sofreu com desfalques para o jogo desta noite. O treinador interino Wesley Carvalho perdeu o lateral-esquerdo argentino Lucas Esquivel, com uma pubalgia, e o atacante uruguaio Agustín Canobbio, que reclamou de dores musculares na coxa. Ambos não foram relacionados.

Mas se perdeu duas peças, o técnico do Athletico-PR poderá contar com os retornos do zagueiro Kaíque Rocha, do meia Alex Santana e do atacante Rômulo, que se recuperaram de lesão. O trio deve ficar no banco de reservas. Revelado pelo Cruzeiro e vendido ao Barcelona, o atacante Vitor Roque se recuperou de lesão recentemente e fica como opção.

Wesley Carvalho mandou o Furacão a campo num 4-3-3, com as seguintes peças: Bento; Cacá, Thiago Heleno e Matheus Felipe; Cuello, Erick, Fernandinho e Christian; Vitor Bueno, Bruno Zapelli e Willian Bigode.

Athletico-PR escapa de “blitz” inicial

Mobilizada pela possibilidade de praticamente se livrar do rebaixamento com uma vitória, a torcida do Cruzeiro começou a partida fazendo muito barulho e empurrando o time, que entendeu e passou a sufocar o Athletico-PR em campo. E a Raposa não balançou o placar nos primeiros dez minutos por uma série de milagres.

Primeiro, num lance incrível, aos sete minutos, Arthur Gomes completou cruzamento de William, cabeceando no travessão, no rebote o próprio Arthur cabeceou novamente e Bento salvou. Ian Luccas tentou o ex-cruzeirense Cacá travou. Na sequência, o camisa 19 rolou para Marlon que encheu o pé, mas o goleiro do Furacão salvou novamente. Em seguida, uma série de cruzamentos assustou o torcedor do Furacão.

Cruzeiro domina ações ofensivas

O Cruzeiro seguiu melhor em campo, enquanto o Athletico-PR criava pouco e errava lances bobos, como passes simples e domínios. Aos 11, Arthur Gomes, novamente, fez boa jogada individual e invadiu a área driblando. Quando tentou lançar para dentro da área, Bento fez ótima intervenção.

Apesar das chances ficarem mais escassas para a Raposa, o time celeste conseguia chegar bem e tabelando sempre que subia ao ataque. Aos 22 minutos, Machado assustou Bento com um chute forte, de esquerda, de fora da área, após bela troca de passes. Apesar de se tratar de uma pancada, o arqueiro do Furacão encaixou.

Aos 28, foi a vez de Matheus Pereira tabela bonito com Bruno Rodrigues e bater da entrada da área, fazendo a bola passar perto do canto direito de Bento. Quatro minutos depois, Pereira achou William com bom passe e o lateral-direito cruzou para a área. Ian Luccas completou de letra e o arqueiro do Furacão defendeu.

Rafael Cabral opera milagre e salva o Cruzeiro

Sem conseguir sair da blitz imposta pelo Cruzeiro, o Athletico-PR só foi assustar aos 39 minutos, em cobrança de falta, cometida por Neris, que foi amarelado no lance. Apesar da cobrança forte de Vitor Bueno, Rafael Cabral encaixou bem, no centro do gol. Mas a melhor chance do Furacão viria a acontecer aos 43, quando o também ex-cruzeirense Willian ganhou disputa de bola com Marlon, que ficou pedindo falta, e saiu cara a cara com Rafael Cabral. O camisa 11 bateu firme, mas o arqueiro celeste operou um milagre para salvar a Raposa.

Apesar do Atlético-PR crescer nos minutos finais, pode-se dizer que o primeiro tempo teve domínio cruzeirense. O Cruzeiro parecia tratar a partida como uma final, diferentemente do Furacão, que atuava numa rotação mais baixa. Como em outros momentos da temporada, faltou o gol. Ainda assim, com o time celeste atuando bastante ofensivamente, o time paranaense conseguiu encontrar alguns espaços nos contra-ataques, mostrando um caminho que poderia ser explorado na etapa final.

Revelação das categorias de base do Cruzeiro, Japa fez seu primeiro jogo como titular desde que se tornou profissional
Revelação das categorias de base do Cruzeiro, Japa fez seu primeiro jogo como titular desde que se tornou profissional – Foto: Staff Images/Cruzeiro

Cruzeiro segue em cima na segunda etapa

Visando aproveitar os espaços deixados pelo Cruzeiro, o treinador Wesley Carvalho mexeu no time, sacando Willian Bigode e Bruno Zapelli, e colocando Vitor Roque e Madson. Roque, revelado pelo Cruzeiro e que deixou o time de forma polêmica em 2022, era muito vaiado a cada toque na bola.

Apesar das mudanças, foi o Cruzeiro que assustou primeiro. Logo aos dois minutos, Marlon recebeu belo passe de Luciano Castán e cruzou para Japa, que chegou batendo, finalizando muito perto do gol de Bento. Aos 11 minutos, Matheus Pereira fez ótima jogada individual e cruzou para a área, após tentativa de Ian Luccas, Bruno Rodrigues bateu e, mais uma vez, Bento salvou.

Paulo Autuori resolveu mexer no time aos 12 da etapa complementar, sacando o amarelado Ian Luccas e Machado, que saiu de maca, colocando Lucas Silva e Fernando Henrique em campo. Logo após a entrada da dupla, Fernando teve chance de marcar, após escanteio de Matheus Pereira, mas bateu mal.

Lei do ex aparece e Vitor Roque muda o jogo

O Atlético-PR criava poucas chances no jogo e, assim como aconteceu em diversas vezes no Brasileirão 2023, contou com uma falha do Cruzeiro para marcar. Aos 19 minutos, Fernando Henrique errou passe bobo na saída de bola, a jogada caiu nos pés de Fernandinho, que com muita qualidade, colocou a bola na cabeça de Erick, que cabeceou para o centro da área, encontrando Vitor Roque. O camisa 9 marcou e não quis comemorar contra o clube que o projetou para o futebol.

O time celeste pareceu sentir o gol e piorou no jogo. Outra notícia ruim foi o cartão amarelo recebido pelo lateral-direito William, após falta em Vitor Roque. A advertência foi a terceira do camisa 12, que fica suspenso para a partida do domingo (3), contra o Botafogo.

Bruno Rodrigues perde pênalti

Aos 28 minutos, o Cruzeiro teve uma grande chance de empatar a partida. William cruzou para a área e Arthur Gomes escorou para Matheus Pereira, que sofreu pênalti quando se preparava para finalizar. Bruno Rodrigues, batedor do time, ficou com a responsabilidade da cobrança, mas bateu mal, fraco, e Bento, o nome do jogo, voou na bola para defender. O lance frustrou a torcida que cantava alto no estádio.

Apesar da oportunidade desperdiçada, o Cruzeiro seguiu em cima. Tentando ganhar mais poderio ofensivo, Autuori colocou Nikão na vaga de Japa. Logo em seguida, após cruzamento de Matheus Pereira, Bruno Rodrigues disputou bola com a zaga e quase conseguiu finalizar. No lance seguinte, Marlon cruzou para Nikão, que não conseguiu dominar, irritando a torcida.

Aos 36 minutos, Paulo Autuori fez as duas últimas alterações no Cruzeiro. Sacou Arthur Gomes e Bruno Rodrigues, que teve seu nome gritado pela torcida celeste, colocando Rafael Papagaio e o talismã Robert.

Matheus Pereira desencanta com golaço

Se a noite parecia se encaminhar para mais uma daquelas frustrantes para o Cruzeiro, Matheus Pereira, principal contratação do time na temporada, tratou de mudar esse script. Aos 38 minutos, em finalização digna de seu auge na Premier League, o camisa 96 bateu colocado, de fora, e enfim venceu Bento, que nada pode fazer.

Após o gol do meia, o Mineirão passou a pulsar, empurrando os jogadores, que chegaram a finalizar com Robert e William, sem sucesso. No final das contas, a partida terminou empatada, num resultado que não ajudou muito nem Cruzeiro, nem Athletico-PR. O time celeste precisará, agora, decidir sua continuidade no Brasileirão Série A nas duas rodadas finais, contra Botafogo, no domingo (3), e Palmeiras, na quarta-feira (6).

Estatísticas de Cruzeiro 1 x 1 Athletico-PR – 36ª rodada do Campeonato Brasileiro

  • Posse de bola: 57% x 43%
  • Finalizações (a gol): 26 (9) x (3) 6
  • Escanteios: 2 x 3
  • Passes (certos): 458 (396) x (287) 352
Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo