Brasileirão Série A

Cruzeiro: chegada de Zé Ricardo vira esperança para jogadores ‘encostados’

Jogadores encostados ou em sub rendimento com Pepa podem ganhar nova vida com chegada de Zé Ricardo ao Cruzeiro

Mudanças de treinadores costumam gerar reviravoltas nos clubes e mesmo que Zé Ricardo afirme que não vem para revolucionar e mudar todo o trabalho feito por Pepa, a tendência é que surjam novidades no Cruzeiro com a chegada do novo comandante. Jogadores com pouco espaço e em má fase podem ter no técnico a oportunidade de resetarem seu trabalho, ocupando posições mais relevantes no clube.

Entre as principais críticas recebidas por Pepa quando treinador do Cruzeiro, estavam a insistência com as mesmas peças e as poucas modificações no time, mesmo nas piores fases. Não é difícil escalar o time base do português, mantido até os momentos finais de sua passagem como treinador da Raposa. E os questionamentos pela utilização constante de certos nomes enquanto outros ficavam encostados não partiram somente de torcedores e imprensa, mas até mesmo de alguns jogadores. O volante Wallisson e o meia Daniel Jr deixaram o clube celeste alegando falta de oportunidades com o treinador português.

Tanto Wallisson quanto Daniel Jr não poderão aproveitar a mudança de técnico para procurar espaço, pelo fato de terem se transferido para Portugal e Rússia, respectivamente. Por outro lado, uma série de jogadores que pareciam sem muito horizonte no Cruzeiro têm a oportunidade de conquistarem seus espaços e terem papel mais importante no time celeste.

João Marcelo

Contratado após se destacar na segunda divisão portuguesa defendendo o Porto ‘B’, o zagueiro João Marcelo só tem um tempo jogado com a camisa do Cruzeiro, tendo entrado no intervalo da pesada derrota celeste para o Grêmio, por 3 a 0, no último dia 27 de agosto. O jogador, que se destaca pela bola aérea ofensiva, ainda não teve oportunidade de mostrar seu futebol e, caso venha a aparecer com Zé Ricardo, poderá reforçar as jogadas por cima da Raposa, um dos pontos fracos do time na temporada. Seus concorrentes são Luciano Castán, Neris e Lucas Oliveira, que voltou de lesão recentemente.

Kaiki

Uma das grandes promessas do Cruzeiro, o jovem lateral-esquerdo Kaiki, de 20 anos, não deve se tornar titular com Zé Ricardo, até porque Marlon vem se destacando na temporada e é um dos melhores jogadores do clube em 2023. Ainda assim, a revelação celeste, que vinha ganhando pouquíssimos minutos com Pepa, pode voltar a aparecer com maior frequência, mesmo que saindo do banco de reservas. O ganho de rodagem é muito importante tanto para o atleta, quanto para a Raposa, que tem a oportunidade de ver um de seus principais ativos se valorizar.

Fernando Henrique

Emprestado pelo Grêmio, o jovem volante Fernando Henrique é mais um que quase não jogou com Pepa, tendo entrado no decorrer de apenas uma partida. Visto como uma promessa, o jogador de 22 anos tem contrato até o final de 2025 e sabe que precisa justificar sua presença no clube celeste.

O jogador, que se lesionou gravemente durante a pré-temporada e voltou a ficar disponível em maio, tem tão pouco tempo jogado que só é possível imaginar como poderia ajudar a equipe. Com Zé Ricardo, a tendência é que o camisa 15 atue em mais partidas e, quem sabe, traga algo novo ao Cruzeiro.

Ian Luccas

Com passagens por Seleções Brasileiras de base, o jovem Ian Luccas, de 20 anos, recebeu oportunidades durante o Campeonato Mineiro, com Paulo Pezzolano, mas acabou esquecido por Pepa, com quem quase não jogou. Muito técnico, o volante, que voltou a atuar na partida contra o RB Bragantino, sob o comando do interino Fernando Seabra, pode se aproveitar do fato de Zé Ricardo afirmar gostar de trabalhar com jovens para ter mais espaço no Cruzeiro.

Cruzeiro: chegada de Zé Ricardo pode ser ‘renascimento’ de jogadores
Xodó de Pezzolano, Ian Luccas não caiu nas graças de Pepa – Mateus Bonomi/Icon Sport

Nikão

Principal contratação do início da temporada no Cruzeiro, o meia Nikão não teve o sucesso esperado no clube e logo foi encostado por Pepa, chegando a ficar próximo de deixar o clube. Sem sucesso na empreitada, o camisa 10 decidiu seguir na Raposa e buscar seu espaço. Reintegrado ao elenco, o atleta voltou a figurar nos jogos mas sendo acionado na maioria das vezes nos minutos finais.

Bastante experiente, técnico e com boas temporadas na carreira, Nikão pode ter em Zé Ricardo a motivação necessária para reencontrar seu melhor futebol e enfim atuar com desenvoltura por seu clube do coração. Mas se quiser ser titular, o camisa 10 precisará se esforçar, já que a concorrência no setor é grande, principalmente com a aproximação do retorno de Matheus Pereira, em fase final de recuperação de lesão.

Mateus Vital

Ao contrário dos atletas já citados, Mateus Vital vinha jogando bastante com Pepa e sua continuidade no time era questionada pelos torcedores, já que o camisa 7 vive momento ruim no clube. Mas com a chegada de Zé Ricardo, com quem Mateus viveu bom momento no Vasco, o jogador passa a ter uma grande oportunidade de recuperar a confiança e, consequentemente, seu melhor futebol.

O próprio Zé Ricardo chegou a falar do jogador em sua coletiva de apresentação, elogiando Vital e demonstrando um carinho todo especial por seu ex-comandado. A possibilidade de uma sobrevida do camisa 7 é grande, inclusive com mudança de função em campo, mas já carregando certa antipatia da torcida celeste, ele terá que apresentar um bom rendimento para se manter recebendo minutos.

— Foi um momento muito importante do Mateus Vital, sua subida no Vasco. Ele estava começando a surgir no profissional. Estávamos num momento até mais difícil do que vive o Cruzeiro. Por coincidência, o Vital é responsável pelo primeiro gol de quando eu vou para o Vasco. A gente vence o Grêmio em São Januário e ele faz o gol. Eu tinha uma relação muito forte com ele. Muito provável que a gente consiga recuperá-lo. Ele tem muito potencial.

Zé Ricardo, durante coletiva de apresentação.

Gilberto

Zé Ricardo disse, em sua coletiva de apresentação, que pretende recuperar a confiança de alguns jogadores, em especial do centroavante Gilberto, atleta que o novo treinador rasgou elogios. Sem clima no Cruzeiro após grande sequência de atuações muito ruins, o camisa 99 pode voltar a atuar depois de dois jogos sem entrar em campo.

Essa é a segunda chance para Gilberto, que parecia não ter mais chances de defender o Cruzeiro, principalmente após o erro que custou a vitória contra o Corinthians, no último dia 19 de agosto. Ainda assim, o jogador terá que ultrapassar toda a raiva dos cruzeirenses para poder se colocar, novamente, como uma peça importante no clube.

Com a lesão de Rafael Elias, sofrida num treino durante esta semana, que pode tirar o atacante de combate por até três semanas, Gilberto passa a ser cotado para uma vaga no ataque azul, caso Zé Ricardo deseje seguir com um centroavante de ofício.

— O Gilberto, se a gente fizer um recorte para um tempo atrás, metade ou mais de todas as equipes da Série A estariam buscando-o para ser o centroavante. É um jogador que sabe fazer gol, tem faro de gol. Vai partir dele recuperar a confiança para que ele possa ter as oportunidades e marcar. Estarei do lado dele. Não podemos descartar nenhum jogador. São ativos do clube — falou Zé Ricardo.

Gilberto, do Cruzeiro, sendo consolado por Arthur Gomes
Gilberto tem sido o principal alvo da torcida do Cruzeiro – Foto: Gilson Lobo/Icon Sport

Stênio e Robert

Jovens da base celeste, Stênio e Robert tiveram chances com Pepa, mas, depois de não irem bem, acabaram sendo deixados de lado. A concorrência nos lados do ataque celeste é muito forte, mas com um treinador que gosta de usar a base, a possibilidade de que ganhem mais minutos e, consequentemente, mais experiência, cresce.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo