Brasileirão Série A

Cruzeiro: Ronaldo entra para lista de entrevistas desastrosas e erra ao comprar briga com torcida

Dono da SAF do Cruzeiro, Ronaldo deu declarações fortes, e equivocadas, sobre torcida celeste após ser xingado no Mineirão

As entrevistas desastrosas têm se tornado rotineiras no Cruzeiro. Após a pouco convicente explanação de Pedro Martins na apresentação de Zé Ricardo e a gafe de Gabriel Lima que criou um pandemônio entre os torcedores, sem contar com Zé Ricardo apontando a Copa Sul-Americana como grande objetivo após o insosso empate contra o Cuiabá, Ronaldo Nazário, mandatário da SAF celeste, mostrou que tudo pode piorar.

Após a péssima atuação da Raposa, que perdeu de 2 a 0 para um Flamengo que nem precisou se esforçar tanto, num jogo cheio de erros individuais, e que resultou na possibilidade de o time celeste entrar no Z4 após o clássico contra o maior rival, o Fenômeno elegeu o grande culpado da fase celeste: a torcida.

Sim, a torcida que tem enchido o Mineirão jogo após jogo, mesmo com o Cruzeiro vencendo apenas três de seus últimos 23 jogos, e que compareceu em peso no estádio, numa quinta, às 19h. Hoje, mais de 37 mil torcedores viram novo show de horrores e, dentro de seu direito, perderam a paciência. Além dos torcedores, Ronaldo culpou as dívidas, os anos na Série B, e a imprensa. Quando perguntado por um dos colegas sobre a responsabilidade da gestão no momento ruim da Raposa, respondeu assim:

— Eu não separaria nada disso que falei, acho que tudo é um conjunto. Nada disso é definitivo, então vamos ver como termina — disse o proprietário da SAF do Cruzeiro, finalizando a entrevista logo em seguida.

Tomei a liberdade de começar “de trás para frente”, já que a transferência de responsabilidades parece ser o problema mais grave da atual gestão celeste. Mas vamos para a cronologia correta.

Bem, a culpa é de todo mundo, exceto da gestão que montou um elenco fraco, até mesmo para os padrões de equipes de baixo investimento, que fez o time jogar em quatro estádios diferentes no Brasileirão, que está em seu terceiro treinador. Faltou autocrítica e sobrou descolamento com a realidade. Isso porque Ronaldo enxerga o “copo meio cheio”.

— A gente pode ver o copo meio vazio ou meio cheio, né? A gente está a um ponto do rebaixamento e a dois da Sul-Americana. Eu prefiro ver o copo meio cheio: perto do nosso objetivo. Logicamente, cria-se uma desconfiança pelo momento delicado e sensível que estamos vivendo, mas volto a repetir que temos confiança no trabalho. Acreditamos que podemos alcançar o nosso objetivo, mas, sinceramente, sem o apoio da nossa torcida, as coisas vão ficar infinitamente mais difíceis — falou, Ronaldo.

A torcida como principal problema do Cruzeiro

Ronaldo decidiu falar após o apito final de Cruzeiro 0 x 2 Flamengo. Assim como Rafael Cabral e Wesley, o Fenômeno foi alvo da torcida, indignada por mais uma derrota na temporada. O time celeste é o que menos venceu em 2023, dentre todos da Série A. Foram onze triunfos em 41 partidas. Diferentemente de outras ocasiões, a torcida celeste, que apoiou até os dois gols advindos de erros bizarros, sofridos em sequência, passou a vaiar e xingar o time durante o jogo.

A situação incomodou Ronaldo, que disse entender a insatisfação antes de usar do famoso “mas” para afirmar que, por outro lado, não entende a revolta, a hostilidade e a violência da torcida.

— Ninguém esperava um momento tão difícil. Sabíamos que enfrentaríamos oscilações, que seria difícil após subirmos para a Série A com orçamento não tão competitivo. Talvez se não tivesse a dívida bilionária que estamos tendo que pagar, o orçamento seria muito maior e teríamos uma outra equipe. É o que temos — falou Ronaldo.

— Temos que fazer um chamamento para a torcida, que do jeito que ela está se comportando, não nos ajuda em absolutamente nada. Aquela conexão torcedor e time que tínhamos no ano passado não teve em nenhum momento esse ano — apontou o gestor da Raposa.

Para Ronaldo, os torcedores são os principais culpados da fase lamentável do Cruzeiro
Para Ronaldo, os torcedores são os principais culpados da fase lamentável do Cruzeiro – Foto: Fernando Moreno/Icon Sport

O Fenômeno criticou a torcida, também, pelas vaias ao goleiro e capitão Rafael Cabral, motivadas pela discussão do jogador com um cruzeirense, no desembarque da equipe celeste em Belo Horizonte, após o empate em 0 a 0 contra o Cuiabá. O camisa 1 se desculpou pela atitude ao final da partida e afirmou “ter escolhido as palavras erradas”, apesar de citar que a situação foi diferente da “narrativa” passada.

— A gente está encontrando dificuldade, e encontraremos mais dificuldade se o torcedor não apoiar. Tem afetado diretamente nossos jogadores. Erros de passes inexplicáveis. Pra mim, é essa pressão que nossos jogadores estão recebendo. Hoje não foi grande partida, mas enfrentávamos o Flamengo, um time extremamente qualificado, que aproveitou duas falhas nossas. O segundo tempo foi bem melhor, tivemos controle do jogo, apesar do comportamento da nossa torcida que deixou de nos apoiar e escolheu o Rafael (Cabral) para ser o grande vilão da história — criticou Ronaldo.

“Imprensa tem criado revolta no torcedor”

Como dito anteriormente, nos momentos em que Ronaldo não atacou o torcedor cruzeirense, ele o fez com a imprensa. Segundo o gestor, a atitude dos jornalistas, que ele disse entender que muitas vezes são, também, cruzeirenses, criam revolta e estimulam a violência do torcedor.

— Hoje não foi grande partida, mas enfrentamos o Flamengo, um time extremamente qualificado, que aproveitou duas falhas nossas, mas que realmente aproveitaram. E nós não tivemos jogo que a torcida desejava. O segundo tempo foi bem melhor, tivemos controle do jogo, apesar do comportamento da nossa torcida que deixou de nos apoiar e escolheu o Rafael (Cabral) para ser o grande vilão da história — falou Ronaldo.

Ingressos mais baratos

Ronaldo também foi questionado sobre as possibilidades da adoção de um sistema de ingresso popular, para que a torcida possa comparecer em ainda maior peso aos jogos do Cruzeiro em casa. O gestor, porém, não pareceu cogitar a situação.

— Reduzir preços é muito complexo. Se for fazer média nacional, com certeza o nosso é um dos mais baratos do Brasileiro. É muito fácil chegar aqui e dizer que o ingresso está caro. Pega a média e vai ver que o nosso é um dos cinco mais baratos do Campeonato Brasileiro — falou Ronaldo.

O Cruzeiro colocou 37.073 torcedores no Mineirão, com renda de R$ 1.590.985,00. O ticket médio para a partida foi de R$ 42,91.

Ronaldo ainda sugeriu que os ataques recebidos acontecem, pois na atual gestão, torcidas organizadas não são recebem benefícios.

— Talvez seja também que no passado, antes da minha gestão, uma parte da torcida tinha muitos benefícios para não gritar, não xingar, não… Aqui esse tipo de benefício não vai ter, a gente vai fazer um preço justo, o que a gente acha que é justo, colocando sempre em perspectiva uma média nacional — apontou o Fenômeno.

Para Ronaldo, os torcedores são os principais culpados da fase lamentável do Cruzeiro
Mais de 37 mil torcedores acompanharam mais um tropeço celeste no Mineirão – Foto: Gilson Lobo/Icon Sport

“Se não por mim, pelo Cruzeiro”

Pontuo, rapidamente, o momento da declaração em que Ronaldo pediu para que o torcedor, que tem enchido o Mineirão, apoiando em bom número, inclusive, o time sub-20, que rezou em volta do ônibus que levaria a delegação celeste para pegar o avião para Cuiabá, não abandonasse o time. Ele ainda afirmou que, se não por ele, se não pela gestão, que fizessem isso pelo clube. Uma explanação, no mínimo, curiosa, que fica a cargo que cada um a interpretação.

O Cruzeiro volta a campo no domingo (22), quando pega o Atlético-MG na Arena MRV, às 16h. Se tropeçar, o time celeste pode terminar a próxima rodada na zona de rebaixamento. A Raposa ocupa a 15ª colocação, com 31 pontos em 27 jogos. Vasco, Santos e Goiás, que vem na sequência, respectivamente, possuem 30 pontos cada um.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo