Brasileirão Série A

Cruzeiro terá um América-MG desfalcado e desesperado pela frente no domingo

O jogo entre Clássico entre Cruzeiro e América-MG será disputado no domingo (1), no Mineirão, às 16h, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro

O clássico entre Cruzeiro e América-MG, que acontece neste domingo (1), às 16h, no Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro promete ser uma partida carregada de tensões e emoção. Ambas as equipes estão na segunda metade da tabela e lutam contra o rebaixamento para a Série B.

Mandante, o Cruzeiro ocupa a 12ª colocação, com 29 pontos em 24 jogos, quatro a mais que o Bahia, primeiro time da zona de rebaixamento. O clube celeste joga sua primeira Série A num período de quatro anos, sabendo que uma nova queda seria desastrosa para as aspirações institucionais da gestão da SAF estrelada.

Já o América-MG, que se mantém na primeira divisão desde que subiu no ano de 2020, amarga a vice-lanterna do Brasileirão, tendo feito apenas 17 pontos nas mesmas 24 partidas do adversário da próxima rodada. A campanha de 2023 do Coelho tem sido muito decepcionante, levando-se em conta que o alviverde participou de competições internacionais, Copa Sul-Americana e Copa Libertadores, na temporada atual e na passada, respectivamente.

América-MG entra em modo de sobrevivência

Após a partida dessa segunda-feira (25), em que o América-MG vinha dominando Vasco, outro adversário direto na luta contra o rebaixamento, mas viu a situação complicar com a expulsão do zagueiro Iago Maidana, após cotovelada no final da primeira etapa, e se tornar uma derrota dolorosa, com o gol vascaíno saindo aos 46 da segunda etapa, o time mineiro precisou ligar, de vez, o “modo sobrevivência”, para permanecer na Série A.

Para se ter ideia, no primeiro tempo de jogo, o América-MG finalizou 14 vezes, sendo sete delas em direção ao gol. O Vasco, por sua vez, não chutou uma bola sequer. No segundo tempo, com um a menos, o Coelho viu os cariocas crescerem na partida, com 15 chutes, sendo 3 no gol, contra quatro do time mineiro, sendo apenas um deles certo.

A pressão vascaína surtiu efeito e aos 46 da segunda etapa, Paulinho Paula cobrou falta da esquerda e o volante Jair apareceu em meio aos defensores americanos para desviar e dar a vitória ao cruz-maltino, que, de quebra, saiu do Z4.

Desesperado, o América-MG sabe que a situação do clube é de difícil reversão, mas que se há alguma esperança, os resultados precisam começar a acontecer agora. O aproveitamento do Coelho neste Brasileirão é de 23,6%. Para alcançar os 45 pontos, quantidade que extingue chances de rebaixamento, o time mineiro precisa fazer mais 28 em 14 jogos, o que significa um aproveitamento de 66,6%, quase o triplo do atual.

América-MG sofre com desfalques

O Coelho chega para enfrentar o Cruzeiro com desfalques importantes. Três titulares ficam de fora por suspensão. Contra o Vasco, o zagueiro Maidana e o atacante Felipe Azevedo foram expulsos, segundo o segundo por reclamação já do banco de reservas. Já o meia Emmanuel Martínez recebeu o terceiro cartão amarelo e está suspenso.

“Operação salva-Vasco”

Com a corda no pescoço, jogadores e dirigentes do América-MG atacaram fortemente a arbitragem e a CBF após a partida dessa segunda. De acordo com jogadores e dirigentes, há uma “operação” em curso para evitar que o Vasco seja rebaixado.

Logo após o apito final, o volante Juninho, capitão do América-MG, fez fortes críticas ao árbitro da partida, o catarinense Ramon Abatti Abel, que não teria marcado uma falta cometida pelo Vasco antes do lance que gerou o gol cruz-maltino.

— É muito mais fácil tirar (da zona de rebaixamento) o Vasco do que o América. Isso que vão fazer. Pode ter certeza. Se os caras tiverem que criar algo ou fazer algo para tirar, vão tirar o Vasco. Todo mundo conhece o futebol brasileiro. Temos que tomar cuidado no jogo para não dar margem para que aconteça um lance como esse. É isso. O Vasco não cai, porque vão fazer de tudo para ele não cair — disparou o volante.

Juninho questionou, ainda, a expulsão de Iago Maidana, ainda no primeiro tempo, além de elogiar o desempenho de sua equipe.

— Nosso primeiro tempo foi perfeito. O Vasco não estava conseguindo fazer nada. Com todo respeito, não estou criticando ninguém, mas nem ele deu falta no lance. Mas parabenizo a torcida do Vasco, que fez uma grande festa. Mas você pode ter certeza que o Vasco não vai cair, não. Vasco não cai. Por tudo que estão fazendo. Lógico que tenho que tomar cuidado com as minhas palavras. Mas não pode fazer isso. O que o Abbati fez hoje, não pode fazer não. Não quero tirar o mérito da equipe do Vasco nem nossos erros durante a temporada — falou o camisa 8.

Marcus Salum, presidente da SAF do América-MG, foi mais um a fazer duras críticas contra a arbitragem, além de cunhar a expressão “operação salva-Vasco”. Segundo o dirigente, o América-MG foi “roubado”.

— Todos os grandes clubes subiram para a Primeira Divisão. Aí mudou a gestão, mudou a gestão de arbitragem. Aí dá no que dá. Se você rouba de um time menor, não vai ter problema na CBF. Aí eles vão ajeitando. Não tem critério técnico de arbitragem, o critério é a camisa — atacou Salum.

— Faz quatro, cinco anos que o futebol passou a ser equilibrado, com VAR e decisões equilibradas para todos os lados. Infelizmente, o que nós vimos aqui hoje foi a ‘Operação Salva Vasco’. O que nós vimos é o seguinte: a camisa pesa de novo no futebol brasileiro. Foi uma vergonha o que foi feito com o América. Mas eles não tem vergonha, não, porque quando a gente vai reclamar, eles não dão atenção — disse o presidente da SAF do Coelho em pronunciamento após a partida.

Marcos Salum também questionou uma suposta irregularidade no gol vascaíno, no qual afirmou ter acontecido “uma falta indecente”.

— Agora, é só ir no VAR e olhar o gol do Vasco. No lance anterior ao gol, nosso zagueiro sofreu uma falta com sola, feita pelo Paulinho. A bola foi para o ataque, eles lançaram e resultou na falta do gol. Todo mundo pediu para o juiz olhar o VAR. Ele disse que não era para expulsão. Como que não era? Senão era, pelo menos a falta. Ele tinha que anular o gol. Foi uma falta indecente — afirmou.

Vasco rechaça acusações

Em nota oficial, o Vasco da Gama classificou como desrespeitosos os protestos americanos.

— Dizer que existe um favorecimento ao Vasco no Campeonato Brasileiro é, no mínimo, uma total falta de conhecimento sobre nossa trajetória até aqui. Existe uma “operação Salva Vasco” sim, mas ela é liderada por pessoas do próprio clube, profissionais e atletas, que se dedicam diariamente para devolver o Vasco ao seu verdadeiro lugar, como protagonista do cenário nacional — dizia parte do comunicado.

Cruzeiro x América-MG promete ser quente

Com toda a repercussão da derrota americana e a necessidade cada vez mais urgente do Coelho pontuar, a expectativa é que o jogo do domingo (1), no Mineirão, seja muito quente. Fugindo dos méritos de erros ou acertos da partida entre América-MG x Vasco, a tendência é que o alviverde entre mordido contra o rival Cruzeiro, que, inclusive, venceu por 4 a 0 o jogo do primeiro turno.

Mas assim como contra o Vasco, a derrota em si, em especial pelo placar elástico, acaba escondendo virtudes americanas. Na partida de ontem o América-MG jogou bem, pressionou os cariocas e parou em grande atuação do goleiro Léo Jardim. Contra o Cruzeiro, o Coelho também criou bastante, mandou bolas na trave, mas pagou caro pelos erros defensivos — os 50 gols sofridos pelo time alviverde no Brasileirão deixam a equipe com a segunda pior defesa, à frente somente do Coritiba, que levou 51 — e acabou goleado.

Por isso, o Cruzeiro terá que lidar com um adversário internamente motivado que, por vezes, é mais perigoso do que os resultados e a colocação na tabela indicam. Por outro lado, pressionado, ainda mais que a Raposa, o América-MG poderá sofrer caso o time celeste saiba utilizar o momento ao seu favor. O clássico de domingo promete muitas emoções. E quem perder estará, ainda mais, em maus lençóis.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo