Brasileirão Série A

Botafogo conseguiu o impossível e tem chances minguadas de ficar no G4

Já sem chances de título do Campeonato Brasileiro, o Botafogo agora corre risco de ter mais uma vexame e ficar fora do G-4

Como se não bastasse a frustração de perder o título do Campeonato Brasileiro depois de liderar a competição por 31 rodadas, o Botafogo ainda pode dar outro vexame nesta temporada. Com o empate com o Cruzeiro, no último domingo (3), no Nilton Santos, o Glorioso conseguiu a proeza de chegar na última rodada do Brasileirão fora do G4 e precisando de uma combinação de resultados para se classificar direto para a fase de grupos da Copa Libertadores.

Há dez jogos sem vencer, além de deixar o título do Brasileiro escapar, o Botafogo ainda foi ultrapassado por Atlético-MG, Flamengo e Grêmio. Tudo isso neste último final de semana. Afinal, vale destacar que, mesmo nesta má fase, o Glorioso chegou na 37ª rodada na vice-liderança. Ou seja, dependia apenas de si para confirmar a vaga no G4 do Brasileirão.

No entanto, este último frustrante empate com o Cruzeiro complicou a situação do Botafogo. Agora na quinta colocação, com 64 pontos, o time de Tiago Nunes está um ponto atrás do Grêmio, atual quarto colocado. Além disso, Flamengo e Atlético-MG chegaram aos 66 pontos, dificultando ainda mais a situação do Botafogo na briga por uma vaga direta na fase de grupos.

Vale ressaltar, é claro, que o Botafogo já tem vaga garantida na próxima Copa Libertadores. Na última semana, quando o Athletico-PR empatou com o Vasco, na Ligga Arena, o Glorioso confirmou que ficaria, pelo menos, entre os seis primeiros colocados do Brasileiro. Mas, é claro, uma vaga na fase de grupos evitaria o transtorno das fases prévias e deixaria o calendário do começo do ano menos concorrido.

Empate com o Cruzeiro deixou o Botafogo sem chances de título do Brasileirão (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

O que o Botafogo precisa para ficar com a vaga no G4?

Apesar da dificuldade para conseguir a vaga direta na próxima Copa Libertadores, ainda mais devido ao recente desempenho do time de Tiago Nunes, a conta para o Botafogo é simples. O Glorioso precisa vencer o seu jogo contra o Inter, na próxima quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Beira-Rio, e torcer paria que o Grêmio, ou o Flamengo, ou o Atético-MG no máximo empatem os seus respectivos jogos na última rodada.

Em relação ao Grêmio, caso o Botafogo vença, iria a 67 pontos. Se empatar, o Tricolor iria aos 66 e ficaria atrás do Glorioso. Já em relação a Flamengo ou Atlético-MG, se um dos dois empatar, iria aos 67 – mesma possível pontuação do Botafogo em caso de vitória na quarta-feira. No entanto, o Glorioso levaria a melhor no saldo de gols.

Quais os jogos que interessam ao Botafogo?

  • Fluminense x Grêmio – quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Maracanã;
  • São Paulo x Flamengo – quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), no Morumbi;
  • Bahia x Atlético-MG – quarta-feira (6), às 21h30 (horário de Brasília), na Arena Fonte Nova.

Quais as chances do Botafogo garantir a vaga no G4?

Agora, o Botafogo faz cálculos pelo vaga no G4. De acordo com o grupo de estudos de probabilidade no futebol do Departamento de Matemática da UFMG, as chances do Botafogo conseguiu a vaga direta na próxima Copa Libertadores são de 25,6%.

Botafogo tem problemas para escalar o time contra o Inter

Além de todas frustração do Botafogo nesta reta final de Brasileiro, o técnico Tiago Nunes ainda ganhou mais problemas para escalar o time contra o Inter, na quarta-feira (6). Na última rodada do Brasileirão, o Glorioso não poderá contar com o zagueiro Adryelson, o meio-campista Gabriel Pires e o atacante Diego Costa. Todos foram suspensos pelos respectivos terceiros cartões amarelos recebidos no empate com o Cruzeiro, no último domingo (3).

Depois da partida com o Cruzeiro, o técnico Tiago Nunes falou sobre a preparação para o jogo com o Inter e deixou claro que a parte mental dos jogadores será avaliada para montar o time que entrará em campo no Beira-Rio.

– Primeiro temos que encontrar os jogadores que estão mentalmente capazes. Depois criar uma estrutura de equipe que consiga dar suporte a esses atletas. Desde a minha chegada a gente fez uma mudança significativa desde o jogo contra o Santos. Creio que a equipe teve uma boa resposta até o fatídico momento contra o Coritiba. A gente ali chegou no limite mentalmente. Foi muito difícil construir o ambiente para o jogo de hoje. As duas equipes pareciam cansadas e tem muito a ver com a parte mental. A gente precisa buscar quem reverta essa parte mental, talvez buscando jogadores que ainda não tiveram minutos. Como foi o caso do Newton hoje, que tinha feito bons treinos comigo. Eu não ligo muito para essa questão de idade – disse Tiago Nunes.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo