Brasileirão Série A

Em ‘final’ contra o Flamengo, Atlético-MG terá que superar adversidades, incluindo algumas históricas

Atlético encara o Flamengo com uma das mais difíceis missões, que carrega ainda um peso histórico

O Atlético-MG encara nesta quarta-feira (29) a sua grande decisão no Campeonato Brasileiro, o confronto contra o Flamengo, que vai definir se o clube vai brigar de vez pelo título da competição ou dar adeus a esse sonho. Para seguir sonhando, o Galo precisa vencer e, para isso, superar algumas adversidades.

A primeira e mais óbvia adversidade que o Atlético vai encarar é o time do Flamengo, uma das equipes mais fortes do país. Apesar da temporada longe do espetacular do time rubro-negro, é fato que é uma equipe de muita qualidade e que foi potencializada ainda mais com a chegada de Tite. Desde que o ex-treinador da Seleção Brasileira assumiu, o Fla somou 19 dos 27 pontos que disputou, estando agora dividindo o topo da tabela com o Palmeiras.

Além disso, o Flamengo também teve uma melhora defensiva nesse período, sofrendo gol em apenas três dos nove jogos. Para rebater isso, o Atlético tem suas armas bem claras. Primeiro que é a melhor defesa do Brasileirão, com apenas 27 gols sofridos, 10 a menos que o adversário. Segundo que tem dois dos três artilheiros da competição, Paulinho (17) e Hulk (14), que formam hoje a melhor dupla do futebol brasileiro. Por fim, o Galo também está em uma crescente. São sete jogos sem perder, somando 17 dos últimos 21 pontos, que o colocam em 4° lugar, três atrás dos líderes.

Nos dois últimos jogos, o Atlético teve atuações de que precisam se repetir. Contra o Goiás, demonstrou muita raça e vontade para conquistar os três pontos mesmo com um a menos. Já contra o Grêmio, teve seu melhor desempenho do ano, amassando o rival. A junção desses dois estilos precisam entrar em campo para o Galo conseguir superar o Flamengo.

Inferno 2.0?

Outra adversidade que o Atlético vai encontrar é o Maracanã lotado e prometendo o “Inferno 2.0”. Esse movimento da torcida do Flamengo faz alusão ao que aconteceu em 2022, quando o Rubro-Negro recebeu o Galo no estádio pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Precisando vencer (havia perdido por 2×1 em MG), o atacante Gabigol afirmou que os atleticanos conheceriam o inferno no Maraca. E foi isso que aconteceu, com mosaico, cânticos e muita festa, o Fla venceu por 2 a 0 e eliminou o Alvinegro.

Para o jogo desta quarta, já há inúmeras manifestações de torcedores nas redes sociais sobre fazer algo parecido com o que fizeram em 2022, já que para o Flamengo o jogo também é uma final. O Atlético terá que superar então essa pressão que a torcida flamenguista promete fazer contra o time. No ano passado, o Galo não jogou bem e foi completamente dominado pelo adversário. Agora, a história precisa ser diferente.

Histórico vai contra o Atlético

Não foi só o confronto pela Copa do Brasil de 2022 que marcou a história do confronto entre Atlético e Flamengo. Os dois times não se bicam há décadas, e protagonizam uma das maiores rivalidades interestaduais do Brasil. Em Brasileiros, o Galo leva a pior em decisões como as de quarta, tendo perdido a final de 1981, que machucou muito o clube, e a semi de 87. O Alvinegro levou a melhor em 86, nas oitavas do torneio.

Além disso, ainda em Brasileiros, o Atlético não tem um histórico favorável nos jogos que visita o Flamengo. Foram 35 até o momento, com apenas nove vitórias alvinegras e 21 derrotas. A última vez que o Galo venceu em terras cariocas foi em 2020, na abertura do Brasileirão daquele ano.

Abrindo o leque para todas as competições, o Atlético ainda tem o Flamengo engasgado no polêmico jogo de desempate da Libertadores de 1981, quando o Galo teve cinco jogadores expulsos e acabou eliminado da competição. Aquele duelo era visto como uma final antecipada, que quem passasse seria o campeão. E foi o que aconteceu, com o Fla levantando o troféu. Essa partida é lembrada cada vez que os dois clubes se enfrentam e, do lado atleticano, é chamada de “Maior roubo da história do futebol”. Recentemente, o Alvinegro conseguiu estancar essas feridas ao eliminar o Rubro-Negro da Copa do Brasil de 2014 e ao superá-lo na Supercopa do Brasil de 2022.

O histórico não entra em campo nos jogos, mas em Atlético e Flamengo é diferente, ele sempre está ali de lado, pronto para ser lembrado em qualquer mínima oportunidade. Em campo, os duelos também costumam ser diferentes, mais pegados e mais inflamados pelas torcidas. O jogo, sem dúvida, é diferente, e é esse ponto que os jogadores do Galo precisam entender para conseguir superar todas essas questões citadas.

As chances do Atlético pelo título

Segundo a UFMG, o Atlético tem apenas 3,7% de chance de ser campeão. Apesar de pouco, a torcida, o clube e os jogadores acreditam e, para seguir sonhando, é crucial vencer o Flamengo, não só por ser um rival direto, mas também por seguir na cola do Palmeiras, já que só restarão duas rodadas depois desse jogo.

Com o que está se desenhando o campeonato, é possível que o título seja decidido no saldo de gols. Nesse quesito, o Atlético leva a melhor contra o Flamengo (19×17) no momento, mas fica bem atrás do Palmeiras (19×26). Por isso a chance do Galo é baixa, pois além dos pontos, pode ser que precise também de gols para mudar esse rumo.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo