Brasileirão Série A

Abel nega má relação e prega perdão a Dudu no Palmeiras: ‘Que atire a 1ª pedra’

Após vitória contra o Atlético-MG, técnico do Palmeiras mostrou abraçar o atacante que recuou de ida ao Cruzeiro

Abel Ferrreira não fugiu das perguntas sobre Dudu, após a goleada por 4 a 0 sobre Atlético-MG na noite de segunda-feira (17). Apontado como desafeto do atacante, o treinador se mostrou indignado com o rumor.

— Para os anti-palmeirenses que dizem que o Abel tem má relação com o Dudu, isso é mentira. Até a lesão, ele foi um dos jogadores que mais jogou. Acho que em 2022, foi o jogador que mais jogou, quando teve uma temporada completa comigo. Vou dizer coisas que não devia: só fui à casa de um único jogador para churrasco, que foi a do Dudu. Tenho uma ótima relação com Dudu, como tenho com todos os jogadores do Palmeiras — disse o técnico, demonstrando irritação.

— Fui lendo o que a assessoria do Dudu passou a informação de que o treinador tinha mentido. Vou voltar a repetir o que disse. Foi uma semana que falei muito com ele se ele estava preparado para o jogo, contra o Vasco. Se lembrar, foi contra o Vasco que ele se lesionou. Como disse, no dia do jogo, e esta é a única verdade e quem fugir disso está mentindo — bradou o técnico.

Abel Ferreira foi perguntado também sobre a semelhança entre sua quase saída para o Al Sadd e a questão de Dudu com o Cruzeiro. E não gostou da pergunta.

— Não misture água com vinho — disse Abel, antes de responder sobre como lidaria com Dudu de volta ao elenco:

— Como Deus lida conosco. Quem nunca errou, que atire a primeira pedra.

Veja o que mais Abel falou:

Dudu contra o Vasco

— O Dudu veio falar comigo e pediu para não jogar. Eu pedi a ele “quero que venhas e ajude da forma que puderes” e o Dudu disse “professor, mas durante o jogo vão cantar meu nome”, e eu disse “não faço equipes para torcida, faço para ganhar jogos e dar alegrias à torcida”.

Dudu contra o Galo

— Tivemos uma conversa ontem em que o Dudu veio falar comigo e disse “Professor, estou aqui, estou disponível para o jogo”. Como vocês leram, e muito bem, o comunicado muito claro do clube, o Departamento de Futebol decidiu, diante dessa novela, preservar o jogador e esperar que isso se resolvesse. É a única questão. A presidente já foi muito clara no que disse. O mais importante é que o Dudu renovou no ano passado e tem contrato até 2025

— Como lhe disse nas conversas particulares, o que quero e espero dele é que se recupere, entre e faça o que ele sabe: rendimento, gols e assistências, é isso que eu e todos os torcedores esperam de um jogador como Dudu. A maior estrela que o Palmeiras tem são duas: o periquito e o porco. São os únicos que não são substituíveis. O resto, meus amigos, o clube fica e todos nós vamos passar e vamos aplaudir esse grande clube que é o Palmeiras.

Novela

— Quem gere a carreira do jogador é o seu agente e ele. Não eu. Quem dirige o clube é a presidente e o (Anderson) Barros. Eu treino a equipe. Isto é muito claro entre todos nós, portanto viram jogadores mandando mensagem, ele tem contrato até 2025, melhorou as condições contratuais. Como falei, o que eu espero dele é que ele recupere, entre e faça o que ele saber e nos mostrou, rendimento, gols e assistências. O eu e todos esperamos de um jogador como o Dudu. Tudo que se falar à volta disso, esta novela não sou ator principal, nem secundário, nem figurante.

Jogo do Palmeiras

— Foi um jogo em que entramos muito forte, conseguimos marcar primeiro. Depois pode acontecer, contingências do jogo, e não vou falar da expulsão, porque não é a mim que me cabe. Com a expulsão e o 1 a 0, o jogo ficou menos difícil, mas adversário corrigiu no intervalo, passou para o 4-2-3. Viemos preparados para isso, fizemos um jogo inteligente, maduro, corajoso, em um estádio lindíssimo, que particularmente gosto, gosto da grama.

— Nossos jogadores e o Atlético-MG merecem bons espetáculos. Felizmente veio para o nosso lado, e o Palmeiras mostrou toda a sua força coletiva e por aí que jogamos. Uma coragem de vir ao jogo, discutir desde o primeiro minuto.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo