Brasil

Atlético-MG busca volta por cima pós-clássico e tentar evitar pior início no Mineiro contra o Athletic

Atlético entra em campo nesta quinta para tentar amenizar derrota no clássico, mas vai encarar um sempre complicado Athletic

Precisando dar uma resposta após a derrota para o Cruzeiro em plena Arena MRV, o Atlético-MG entra em campo nesta quinta-feira (8), às 21h, para encarar o complicado time do Athletic, em São João del-Rei. O Galo precisa vencer para não ter o pior início de sua história no Campeonato Mineiro desde que ele passou a ter 12 times, como é atualmente.

Derrotado no último sábado para o arquirrival Cruzeiro dentro de casa, o Atlético entra em campo nesta quinta sob muita pressão de dar alguma resposta. Além do resultado, o Galo também precisa demonstrar um bom futebol, algo que passou longe de ser visto na Arena MRV.

Mas a vida atleticana não será fácil. O Athletic é um time que vem evoluindo muito nos últimos anos e cada vez dando mais trabalho aos times da capital. Em 2023, eles foram o adversário do Galo na semifinal do Mineiro e, no primeiro jogo, em São João, venceram por 1 a 0. Na volta, fizeram jogo duro e perderam pelo mesmo placar, sendo eliminados pelo Atlético ter a vantagem de dois resultados iguais. No decorrer da temporada, subiram pela primeira vez para a Série C e prometem vir ainda mais forte em 2024.

– Usar a experiência que o grupo tem. Jogadores de altíssimo nível. Depois de um clássico com uma derrota, claro que a gente fica chateado, mas tem que girar a chave. Vai ser um grande jogo contra o Athletic, uma equipe que dentro da sua casa é forte — afirmou Guilherme Arana, que cobrou postura diferente dos jogadores após o desempenho ruim contra o Cruzeiro.

Felipão terá time modificado

Para encarar o Athletic, Felipão terá que fazer algumas modificações no time que perdeu para o Cruzeiro. Ele não poderá contar com o zagueiro Mauricio Lemos e o meia Matías Zaracho, que saíram do clássico lesionados e não têm prazo de recuperação estipulado. Além disso, Edenilson, titular do time nos três jogos até aqui, sentiu desconforto muscular e não viajou.

Para o duelo em São João del-Rei, Felipão voltou a relacionar os jovens da base, que ficaram de fora até do banco no clássico. Rômulo (zagueiro), Paulo Vitor (volante), Alisson (meia) e Cadu (atacante) viajaram. O único que ficou de fora foi Isaac, que iria deixar o Galo por falta de oportunidades, mas foi convencido a ficar. Ele não viaja mesmo com Scolari fazendo a opção de também não levar Alan Kardec, muito criticado pelas atuações ruins.

O provável time do Atlético tem: Everson; Mariano (Saravia), Jemerson, Igor Rabello (Bruno Fuchs) e Guilherme Arana; Otávio, Battaglia (Alan Franco), Gustavo Scarpa e Igor Gomes; Paulinho e Hulk.

Para evitar o pior início do Atlético no Mineiro

O jogo desta quinta não serve só para o Atlético recuperar a confiança e dar uma resposta depois do revés no clássico, mas também para evitar seu pior início de Mineiro desde 2005, quando o campeonato começou a ter 12 times – número que segue até hoje.

Com duas derrotas e uma vitória em três jogos, o Atlético tem apenas 33,3% de aproveitamento no campeonato, o que faz o time estar em segundo lugar no Grupo B, liderado pelo Villa Nova, com seis pontos. Vale lembrar que, na primeira fase do Mineiro, só os líderes de cada grupo e o melhor segundo colocado avançam. Nesse momento, o Galo está fora da fase final.

Por isso, voltar de São João del-Rei com três pontos na bagagem é essencial. Até porque, se empatar, o Galo iguala seu pior início na competição, que teve uma vitória, um empate e duas derrotas em 2007 e em 2014. Agora, se perder, será isoladamente seu pior início no estadual, com uma vitória e três derrotas, o que, além de atingir essa marca negativa, também complicaria com relação a classificação para a próxima fase.

O Atlético foi campeão Mineiro, até com certa tranquilidade, nas últimas quatro edições do estadual. Em 2021, assim como agora, perdeu o clássico da primeira fase para o Cruzeiro. O Galo espera repetir então o roteiro não só daquela edição, quando terminou com a taça, mas do ano, sendo campeão Brasileiro e da Copa do Brasil.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo