Brasil

Sem tempo, mas com paixão: O Atlético-MG chega a sua 18ª final seguida do Mineiro

Com Milito tendo apenas cinco dias de treinos, o Atlético-MG não teve muito tempo para se adaptar ao novo treinador

O Atlético-MG se prepara para a primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro, que acontece neste sábado (30), contra o Cruzeiro, na Arena MRV. Na sua 18ª final seguida, o Galo terá a estreia de Gabriel Milito no comando do time, que teve apenas esta semana, ou seja, cinco dias, para trabalhar com o grupo. O treinador garante que a paixão em campo vai compensar o pouco tempo que teve com o elenco.

Milito chegou ao Atlético na segunda-feira (25) e teve cinco dias de trabalho. Pouquíssimo tempo para quem tem uma filosofia de futebol completamente diferente da que tem Felipão, que estava no comando do Galo. Mesmo assim, ele acredita que o Alvinegro vai compensar em campo essa falta de tempo. Para isso, aposta pedir para os jogadores fazerem o que já sabem e o que os deixa confortáveis.

— Temos que nos preparar da melhor forma possível, de ter as coisas que gosto e que eles podem fazer. Não vou pedir nada que eles não podem fazer. Quero que eles aproveitem o campo, que eles se sintam à vontade — disse Milito

Não temos muito tempo, mas vamos compensar com a paixão. Vamos tentar ganhar, de alguma maneira, dando estilo à equipe. Se não conseguirmos, será por mérito do rival. Aqui estamos todos para dar tudo, para conseguir os objetivos — Gabriel Milito

Estrear em uma final e justamente em um clássico contra o maior rival não é algo muito comum de se ver. Mas, Milito já passou por uma pressão parecida em seu primeiro jogo como treinador. Em 2015, assumiu o Estudiantes com o time argentino precisando vencer o Barcelona de Guaiaquil fora de casa para avançar na Libertadores. E deu certo: “Conseguimos ganhar, foi uma experiência muito linda e foi minha primeira partida como treinador”.

— Claro que jogar uma final é muito importante, há um título em jogo, e é muito mais importante se é contra o seu rival. Vamos nos preparar para lutar, para competir e para ganhar. Sabemos que não é fácil, que o rival tem uma boa equipe, mas com confiança que podemos conquistar. Com paixão, ordem defensiva, como podemos atacar e a mentalidade ganhadora — destacou Milito

+ As várias possibilidades de escalação para o Atlético-MG com Gabriel Milito

O tempo de trabalho de Milito pode ter sido pouco, mas a mudança no comando técnico do time trouxe um ânimo diferente ao Atlético (principalmente para a torcida) e era necessária. Com Felipão, o Galo não tinha demonstrado evolução em 2024. Não à toa ele foi mandado embora mesmo chegando na final.

Para Milito, todos os jogos contam como final ou clássico

Questionado sobre essa situação de estrear logo em uma final contra o maior rival, Gabriel Milito fez questão de citar que sabe a importância desse tipo de jogo e que ele é especial, mas destacou que, para ele, todos os jogos são importantes e devem ser encarados da mesma maneira.

— Eu levo todas as partidas como clássico. Entendo que são partidas muito especiais. Clássico tem que ganhar. Mas, jogar contra o Cruzeiro ou qualquer outro rival, levo com a mesma paixão e responsabilidade. Não tenho dois comportamentos, tenho só um: levar cada partida como uma final — disse o treinador.

Milito ainda citou que sabe que a importância de um jogo desse para a torcida é maior, que a repercussão ao ganhar ou perder um clássico é diferente. No entanto, não é por isso que ele vai fazer um esforço diferente, já que, em qualquer jogo, independente do rival, o esforço tem que ser máximo.

— Meus jogadores também vão começar a sentir isso, que não importa o rival, se é um treinamento ou um clássico, todas as partidas tem que dar o máximo É assim que se compete. Temos que, além de criar o tático, criar essa mentalidade. Tem material para isso aqui, se não, não estaríamos aqui — afirmou.

Reencontro com Larcamón

Apesar de ser sua estreia pelo Atlético, não será a primeira vez que Gabriel Milito terá Nicolás Larcamón, técnico do Cruzeiro, como adversário. Os dois já se enfrentaram duas vezes no Chile, onde Milito treinou o O’Higgins e Larcamón o Antofagasta e o Huachipato. Cada um venceu um dos jogos, e agora terão a chance de desempatar esse confronto.

Milito afirmou que conhece e lembra dos duelos contra Larcamón, inclusive acompanhou o trabalho dele no México. Ele destacou que estão estudando o rival para conseguir se sair melhor em campo: “Temos bastante claro o que vamos encontrar”.

A 18ª final seguida do Atlético

Uma final de Campeonato Mineiro sem o Atlético é algo que muita gente não viu ainda. Isso porque a última vez que isso aconteceu foi em 2006. De lá para cá, o Galo esteve presente em todas as 18 finais, incluindo a deste ano. Foram 10 títulos no período, além de seis derrotas para o Cruzeiro e uma para o América.

O recorde atleticano é o maior do Brasil no momento, mas não o maior da história do Mineiro. Isso porque o Cruzeiro foi à final do estadual 26 vezes entre 1965 e 1990. Mas o Galo busca ainda uma nova marca, chegar no pentacampeonato, algo que não acontece há mais de 40 anos, quando o próprio Alvinegro foi não só penta, mas hexa, entre 1978 e 1983.

Na última vez que o Galo foi pentacampeão estadual, Reinaldo estava na ativa pelo clube (Pedro Souza/Atlético)

Nesta final de 2024, o Cruzeiro tem a vantagem de dois resultados iguais para sair campeão. Ou seja, dois empates ou dois resultados iguais (1×0 e 0x1), o título vai para o time celeste.

As 18 finais seguidas do Atlético – placar agregado

  • 2007: Atlético 4×2 Cruzeiro — Galo campeão
  • 2008: Atlético 0x6 Cruzeiro — Galo vice-campeão
  • 2009: Atlético 1×6 Cruzeiro — Galo vice-campeão
  • 2010: Atlético 5×2 Ipatinga — Galo campeão
  • 2011: Atlético 2×3 Cruzeiro — Galo vice-campeão
  • 2012: Atlético 4×1 América — Galo campeão
  • 2013: Atlético 4×2 Cruzeiro — Galo campeão
  • 2014: Atlético 0x0 Cruzeiro* — Galo vice-campeão
  • 2015: Atlético 2×1 Caldense — Galo campeão
  • 2016: Atlético 2×3 América — Galo vice-campeão
  • 2017: Atlético 2×1 Cruzeiro — Galo campeão
  • 2018: Atlético 3×3 Cruzeiro* — Galo vice-campeão
  • 2019: Atlético 2×3 Cruzeiro — Galo vice-campeão
  • 2020: Atlético 3×1 Tombense — Galo campeão
  • 2021: *Atlético 0x0 América — Galo campeão
  • 2022: Atlético 3×1 Cruzeiro — Galo campeão (jogo único)
  • 2023: Atlético 5×2 América — Galo campeão
  • 2024: Atlético x Cruzeiro — a definir
Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo