Brasil

Artur Jorge explica Barboza no ataque e defende que Botafogo foi prejudicado pelo VAR

Criticado por improvisar um zagueiro de centroavante, Artur Jorge justificou suas ideias e criticou a arbitragem na derrota do Botafogo

O Botafogo bem que tentou, mas não evitou a derrota para o Bahia por 2 a 1 neste domingo (5), no Nilton Santos, pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Glorioso teve volume de jogo e arriscou finalizações, mas pecou na pontaria e foi punido em um contra-ataque mortal do Esquadrão. Em meio a esse cenário, Artur Jorge justificou suas ideias e fez críticas à arbitragem.

Aqui é preciso explicar que o Botafogo teve dois gols anulados por impedimento com auxílio do VAR diante do Bahia. O primeiro, marcado por Luiz Henrique no 1º tempo, não gerou dúvidas. O problema ficou por conta da atuação da tecnologia no tento anotado por Júnior Santos, na etapa final. Antes da bola chegar no atacante do Glorioso, Damián Suárez estava em uma posição ajustada com a marcação do Bahia.

As reclamações do Botafogo se baseiam no posicionamento das linhas, argumentando que o árbitro de vídeo considerou o impedimento no braço do lateral do Botafogo. Em sua coletiva, o técnico português defendeu que o Fogão foi prejudicado contra o Esquadrão nesse lance, pois entende que o gol não poderia ter sido invalidado da maneira que foi:

– Hoje (5) não foi o resultado que queríamos. Temos também que dar mérito ao adversário, que é uma boa equipe, individualmente, tem bons jogadores, mas não tivemos sucesso de concluir as jogadas. Fizemos três gols, apenas um contou. O segundo fica a vocês (jornalistas) avaliarem. Ficamos insatisfeitos com aquilo que produzimos. […] Fizemos um gol, que, para mim, é gol, e não há impedimento que justifique a invalidação.

Por que Barboza no ataque do Botafogo?

Polêmicas de arbitragem à parte, outra situação que chamou a atenção foi quando o Botafogo optou por colocar Barboza no ataque. Naquele momento, o Bahia estava sendo sufocado pelo Fogão, que buscava a virada. Artur Jorge então decidiu promover a entrada do zagueiro no lugar de Damián na esperança de cruzar a bola na área e conseguir um gol de cabeça.

A questão é que Barboza entrou improvisado na grande área e, pouco tempo depois, o Bahia conseguiu encontrar o caminho do gol com Rafael Ratão correndo em velocidade nas costas da defesa do Botafogo. Artur Jorge deixou claro que não treina o zagueiro individualmente como atacante, mas costuma realizar atividades com o argentino como opção aérea por sua aptidão física.

Apesar disso, os torcedores do Botafogo estranharam a presença de Barboza tão distante de sua posição de origem, o que também levantou dúvidas sobre uma carência no elenco para o setor ofensivo. Artur Jorge, por sua vez, reconheceu que, das opções que tinha disponível contra o Bahia, o zagueiro pareceu a melhor alternativa para tentar a vitória. Por fim, o treinador assumiu a responsabilidade pela escolha:

– Não foi uma decisão precipitada. Pensamos uma forma de chegar ao gol, tínhamos mais bolas nos nossos corredores. Pensamos em colocar mais um homem do lado do Júnior (Santos). Dos homens de área que nós temos, optamos pelo Barboza por ser forte. A intenção era ganhar o jogo. Acabou que não teve o efeito que desejávamos. Tenho que assumir a responsabilidade, mas que assim seja. Quando perdemos, que pelo menos tenhamos a ambição de ganhar.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo