Brasileirão Série A

Como Artur Jorge mudou a cara do Botafogo em apenas um mês de trabalho

Neste domingo, quando enfrenta o Bahia, pelo Brasileiro, o técnico Artur Jorge completa o primeiro mês de um trabalho promissor no Botafogo

Embalado por uma sequência de cinco vitórias seguidas, o técnico Artur Jorge completa, neste domingo (5), um mês de trabalho no Botafogo. Contra o Bahia, às 18h30 (horário de Brasília), no Nilton Santos, o português vai para o seu oitavo jogo no comando do Glorioso e tem a chance de seguir na liderança do Campeonato Brasileiro. E, mesmo com pouco tempo no time carioca, já é possível ver a influência — ou o dedo, com a torcida do Botafogo tem brincado —, de Artur Jorge neste bom momento do clube na temporada.

Artur Jorge foi anunciado pelo Botafogo no dia 5 de abril, depois de mais de 40 dias sob o comando do interino Fábio Matias. O começo de trabalho do português não foi fácil. A estreia foi logo contra a LDU, na altitude de Quito, pela Copa Libertadores. O Glorioso foi derrotado por 1 a 0 e passou a viver situação delicada na competição. Para completar, na sequência, o Botafogo também foi derrotado pelo Cruzeiro, no Mineirão, na estreia pelo Campeonato Brasileiro.

Desde então, a situação mudou. A primeira vitória, por 1 a 0 sobre o Atético-GO, não veio com boa atuação, mas deu tranquilidade para Artur Jorge seguir trabalhando neste começo de passagem pelo clube. Com mais tranquilidade, o treinador pode seguir implementando as mudanças que vinha realizando, como a escalação com quatro atacantes de origem, as alterações no meio e até mesmo mudanças no gol e na zaga.

Agora, já são cinco vitórias seguidas. Além de liderar o Campeonato Brasileiro, o Botafogo ganhou uma sobrevida na Copa Libertadores e está em vantagem contra o Vitória no confronto válido pela terceira fase da Copa do Brasil. O time de Artur Jorge já passa (muito) mais segurança defensiva e o técnico parece cada vez conhecer melhor o elenco que tem em mãos. Na última partida, contra o Vitória, foram sete alterações no time titular em relação ao jogo anterior, contra o Flamengo, pelo Brasileiro. Além disso, as mexidas feitas durante a partida também foram determinantes para o time conseguir o triunfo.

Neste curto período no comando do Botafogo, Artur Jorge ainda teve que lidar com as lesões dos dois únicos centroavantes que o clube tinha à disposição. Sem Tiquinho Soares e Matheus Nascimento — além de Janderson, que foi vendido ao Vitória —, o treinador precisou mexer na escalação. E, mesmo ainda buscando a melhor opção e passando por compreensíveis problemas de entrosamento, o Botafogo segue evoluindo na temporada.

Artur Jorge fala sobre influência no Botafogo

Depois do triunfo sobre o Vitória, na última quinta-feira, Artur Jorge foi perguntado sobre a sua influência neste momento do Botafogo em pouco tempo de trabalho. Ele ressaltou a importância de uma sequência maior para criar uma cara para o time, mas, com os pés no chão, fez questão de relembrar também das duas derrotas que a equipe teve no começo da sua passagem pelo Glorioso. Como de costume, também dividiu os méritos pela fase do time com os jogadores.

– Aquilo que tem no meu trabalho nas cinco vitórias é o mesmo do que teve nas derrotas. Tenho sete jogos. Conseguimos isso. O que precisamos é tempo para criar uma identidade, criar uma ideia. No pouco tempo que tivemos, no início da minha presença – afirmou Artur Jorge.

— Para mim o mais importante são os jogadores, o que desempenham com missão. A essa altura com a ideia mais próxima do que quero. Espero e quero que passe a ser a ideia deles. Quando é assim as coisas ficam mais fáceis — completou o treinador do Botafogo.

Números do Botafogo com Artur Jorge

  • Jogos: 7
  • Vitórias: 5
  • Empates: 0
  • Derrotas: 2
  • Gols marcados: 14
  • Gols sofridos: 6
  • Aproveitamento: 71,4%
Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo