Ásia/OceaniaColunas

Semifinais da Liga dos Campeões da Ásia estão em aberto. Quem vai para a final?

Os dois jogos de ida das semifinais da Liga dos Campeões da Ásia 2015 já foram disputados, e a vantagem dos que se saíram melhor é pequena. Como era de se esperar, Al Hilal (Arábia Saudita) e Al Ahli Dubai (Emirados Árabes Unidos) tiveram um confronto bem parelho.

O mesmo se observou no embate entre Guangzhou Evergrande (China) e Gamba Osaka (Japão), que dificultou a vida do técnico Luiz Felipe Scolari, que elegeu o adversário como o melhor que enfrentou até aqui. Veja o que rolou de mais importante nos jogos de ida das semifinais da Liga dos Campeões da Ásia 2015.

VEJA TAMBÉM: Técnico de time bósnio descobre que foi demitido com post no Facebook do clube

Brasileiros definem jogo entre sauditas e emiratenses

Com mais de 53 mil torcedores no estádio, o Al Hilal teve imenso apoio, mas não conseguiu um bom resultado. No primeiro tempo, ninguém balançou as redes, mas o Al Hilal quase aproveitou uma lambança do goleiro adversário.

Na etapa final, os brasileiros se fizeram presentes. Em cobrança de falta na direita, perto da lateral, o meia Everton Ribeiro colocou a bola na cabeça do exímio atacante Lima (autor de oito gols em sete jogos com a camisa do Al Ahli Dubai), que se antecipou ao marcador e mandou a bola para as redes sauditas.

A maior lambança do futebol! No segundo tempo, aconteceu algo provavelmente inédito no futebol. Em disputa de bola dentro da área, um jogador do Al Hilal foi desarmado pelo lateral-direito emiratense Salmin Khamis. A bola tinha a trajetória da linha de fundo, mas foi rolando bem devagar, ficando parcialmente em cima da linha.

Incrivelmente, Khamis não percebeu que a bola ainda estava em jogo, segurou-a com as mãos e a jogou para o goleiro. O bandeirinha, claro, apontou a penalidade máxima, confirmada pelo árbitro. Porém, para sorte do Al Ahli Dubai, a pelota explodiu na trave.

A oito minutos do fim, a salvação: em cobrança de escanteio, a bola foi para o meio da área e lá estava Aílton Almeida, que saltou com total tranquilidade e cabeceou para as redes, empatando o jogo. No finalzinho, Lima ainda teve duas chances de marcar no mesmo lance, mas o goleiro impediu.

Pode-se pensar que o Al Ahli Dubai tem grande vantagem em razão do gol marcado fora de casa, mas isso é muito pouco. O confronto está em aberto, e os técnicos terão de torcer para os brasileiros estarem em um bom dia no próximo 20 de outubro. A presença de Lima, em ótima fase, dá mais esperança de vaga na final aos emiratenses.

Al Hilal contra emiratenses: 11 vitórias, nove empates e sete derrotas (41 gols a favor e 31 contra);

Al Ahli Dubai contra sauditas: uma vitória, seis empates e quatro derrotas (17 gols a favor e 21 contra);

Al Hilal x Al Ahli Dubai: três vitórias sauditas e quatro empates, 12 gols sauditas e oito emiratenses.

Só teve gol do Evergrande, mas um deles foi a favor do Gamba Osaka

No outro confronto de semifinais, Guangzhou Evergrande e Gamba Osaka se apresentaram bem, com cada um dominando um tempo. Cinco brasileiros estiveram em campo, três pelo time chinês (Paulinho, Ricardo Goulart e Elkeson) e dois pelo Gamba Osaka (Patric e Lins), mas ninguém balançou as redes.

Esperava-se que os japoneses fossem ficar na defesa, mas o Gamba Osaka surpreendeu o técnico Felipão e abriu o placar logo aos 13 minutos, após cruzamento da direita que o zagueiro chinês Feng Xiaoting impediu que chegasse ao atacante amapaense Patric. Entretanto, o defensor cabeceou a bola para as próprias redes, tirando-a do alcance do goleiro, o que calou a maioria dos quase 49 mil torcedores no estádio.

Claro, o Guangzhou Evergrande se lançou ao ataque em busca do empate, dando espaços ao Gamba Osaka, que não aproveitou. Então, aos 36 minutos, o ex-botafoguense Elkeson saiu da área e deu uma de garçom com um lindo lançamento, facilitando a vida do atacante chinês Huang Bowen, que finalizou de primeira num bonito giro, um chute que não é tão fácil de executar.

Na etapa final, o Gamba Osaka continuou recuado, e o Guangzhou Evergrande passou a dominar todas as ações. Depois de perder três boas chances, mais uma vez Elkeson saiu da área, agora caindo pela esquerda. Quase na linha de fundo, ele cruzou para o meio da área, Zheng Zhi aproveitou o cochilo do zagueiro e foi inteligente ao cabecear, tirando do goleiro adversário.

Apesar da derrota de virada, o Gamba Osaka provou a si próprio que pode encarar o Guangzhou Evergrande fora de casa. Com o apoio da torcida no próximo dia 21 de outubro, não será uma grande zebra se o time japonês fizer 1 a 0, o suficiente para alcançar a classificação.

Evergrande contra japoneses: 10 vitórias, três empates e três derrotas (36 gols a favor, 17 contra);

Gamba Osaka contra chineses: cinco vitórias, dois empates e quatro derrotas (18 gols a favor, 10 contra);

Evergrande x Gamba Osaka: uma vitória chinesa, dois gols chineses, um japonês.

Os dois confrontos da Liga dos Campeões da Ásia 2015 estão indefinidos, e qualquer um pode vencer. Serão dois jogos de grande emoção, mas qual o seu palpite para os finalistas?

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo