Ásia/Oceania

Carlos Eduardo, Lima e Paulinho: brasileiros brilharam na Champions League asiática

Nos últimos dias 25 e 26 de agosto, oito times entraram em campo para começarem a definir os quatro classificados às semifinais da Liga dos Campeões da Ásia 2015. Em três confrontos era fácil identificar o favorito a avançar e todos eles se deram bem, com a ajuda dos seus craques brasileiros. O único empate foi no jogo entre Jeonbuk Motors (Coreia do Sul) e Gamba Osaka (Japão), o que pode não representar grande vantagem para os japoneses, que jogaram fora de casa e vão ter de atacar o adversário em Osaka, em 16 de setembro – todos os jogos acontecem no mesmo dia.

LEIA MAIS: Regido por Éverton, e agora com Lima, Al Ahli desponta como favorito na Champions asiática

Lima mostra faro de gols

A coluna já havia falado que Lima era uma ótima contratação para o Al Ahli Dubai (Emirados Árabes Unidos) e é o que o atacante brasileiro vem mostrando. Depois de fazer dois gols em sua estreia na liga nacional, Lima foi titular e aproveitou falha da defesa do Naft Tehran (Irã), que o deixou livre no meio da pequena área…

Aí foi só mergulhar e cabecear tirando do goleiro, aos 17 minutos do segundo tempo. Ponto também para Éverton Ribeiro, que cobrou o escanteio na primeira trave. Lima poderia ter feito outro no primeiro tempo, mas tocou a bola de cabeça para fora, mesmo estando livre.

Até aquele momento, a partida ia caminhando do jeito que o time iraniano gostaria, pois a equipe tem o elenco mais barato e é a principal zebra da competição. Com a vitória fora de casa, o Al Ahli Dubai se aproxima muito da vaga e só um desastre tira o time de Lima e Everton Ribeiro das semifinais da Liga dos Campeões da Ásia 2015.

Show de Carlos Eduardo

Por um momento se pensou que a falta de apoio da torcida poderia atrapalhar o Al Hilal (o time foi punido e jogou com portões fechados diante do Lekhwiya, do Catar). Porém, o time da Arábia Saudita nem se importou com isso (sabe-se lá por que 1.190 pessoas estiveram nas arquibancadas; provavelmente são xeiques endinheirados acima da lei) e terminou o primeiro tempo com vitória de 3 a 1, depois de ter levado o empate.

O atacante brasileiro Aílton Almeida, revelado no Atlético Mineiro, abriu o placar aos 11 minutos com a ajuda do goleiro adversário, que demorou tanto a dar um chutão que quando o fez a bola bateu no brasileiro e parou dentro do gol. Mas o meia tunisiano Youssef Msakini (como nenhum clube maior não o contratou ainda?) conseguiu empatar após roubada de bola na intermediária e toque de cavadinha, surpreendendo o goleiro saudita.

Aí veio o show de Carlos Eduardo, que não é aquele mais famoso revelado no Grêmio, mas um que começou no Desportivo Brasil e jogou no Grêmio Prudente e no Fluminense – seu maior destaque foi ter marcado cinco gols pelo Nice na goleada de 7 a 2 sobre o Guingamp no Campeonato Francês e um golaço de voleio diante do Lyon.

Ele marcou aos 36 minutos da etapa inicial e a quatro minutos do fim da partida. Com a goleada de 4 a 1, o Al Hilal poderá perder por até dois gols no Catar. Não está garantido nas semifinais, mas tem boas chances de passar e sonhar com a taça da Liga dos Campeões da Ásia 2015, mesmo com a saída de Thiago Neves para o Al Jazira (Emirados Árabes Unidos) nas oitavas de final.

Paulinho volta a fazer gol

A maior vantagem pertence ao Guangzhou Evergrande (China), que visitou o Kashiwa Reysol (Japão) e nem ligou para os 14 mil torcedores do adversário e começou vencendo logo aos cinco minutos, graças a gol contra de um zagueiro, que cabeceou para as próprias redes.

O momento alto da partida ocorreu aos 40 minutos, quando o Kashiwa Reysol esperava levar a desvantagem de 1 a 0 para o intervalo para voltar em busca da virada. Em cobrança de falta quase do meio-campo, Paulinho soltou a bomba e quase acertou o ângulo do goleiro adversário, que ficou imóvel! Golaço e ótimo retorno do brasileiro às redes, já que seu último gol em partidas oficiais foi em 14 de janeiro de 2015, ainda pelo Tottenham.

Combalido, o Kashiwa Reysol levou o terceiro no início da etapa final (13 minutos) e só marcou um já aos 44 minutos. É praticamente impossível que os japoneses consigam vencer os chineses por 3 a 0 fora de casa.

Com brasileiros, mas sem gols

Jeonbuk Motors e Gamba Osaka decepcionaram os 23.300 torcedores no estádio, que certamente queriam ver gols. Do lado sul-coreano, Leonardo Pereira esteve em campo nos 90 minutos, mas não conseguiu balançar as redes, o mesmo acontecendo com Patric, titular e atuante em toda a partida, e Lins, que entrou faltando quatro minutos para o fim.

Se você acredita em superstição, é bem provável que o Gamba Osaka saia classificado no jogo da volta, em casa. Nas quatro partidas em seus domínios até aqui, o time japonês perdeu de 2 a 0 para o Guangzhou R&F (China) e empatou com o Buriram United (Tailândia). Detalhe que as duas vitórias foram contra equipes da Coreia do Sul: 2 a 1 no Seongnam, na primeira fase, e 3 a 2 diante do FC Seoul, nas oitavas de final. E três dos cinco gols foram brasileiros, dois de Lins e um de Patric.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo