Sul-Americana

Seabra explica ausência na Sul-Americana e indica mudanças no Cruzeiro

Treinador do Cruzeiro, Fernando Seabra não pôde participar da coletiva de imprensa de pós-jogo por não possuir a licença necessária

O Cruzeiro voltou a tropeçar na temporada após empatar por 0 a 0 com Unión La Calera, na noite dessa terça-feira, no Estádio Municipal de Concepción, em Concepción, no Chile. O time celeste jogou mal e se complicou no grupo B da Copa Sul-Americana, passando a depender de outros resultados para se classificar em primeiro. Após o fim da partida, o torcedor cruzeirense teve que esperar um pouco mais para ouvir o treinador Fernando Seabra, que não pôde participar da coletiva.

Foi o novo auxiliar técnico do Cruzeiro, Moisés Moura, quem concedeu entrevista de pós-jogo no lugar de Fernando Seabra, que não pôde participar por não ter a licença necessária para as competições da Conmebol. Ao seu lado, esteve o volante equatoriano José Cifuentes, titular na partida. Seabra atuou oficialmente como preparador físico do time celeste.

O treinador da Raposa só foi falar na zona mista da partida, onde concedeu entrevistas ao Canal Samuel Venâncio e a Itatiaia. Assim como Moisés Moura, Seabra creditou o mau resultado do Cruzeiro aos gols perdidos.

— Observamos algumas oportunidades no início do primeiro tempo, onde criamos chances de gol. Infelizmente, não conseguimos concretizá-las. Era um jogo que dependia muito da gente conseguir abrir o placar. A gente sabia que a tendência da equipe deles ao longo do jogo seria se fechar, colocar jogadores de estatura, fazer linha de cinco e apostar em bola aérea — analisou o treinador.

— No segundo tempo, a gente até volta com um jogo de aproximação, consegue algumas jogadas pelo lado esquerdo. À medida que o tempo vai passando, a gente perde um pouco do critério, da lucidez, e começa a bater bola longa em cima da defesa deles, que era uma linha de cinco alta e bem postada. Sofre com contra-ataques, disputa de segunda bola com time aberto e algumas bolas paradas que sabíamos que era um dos pontos fortes deles. A gente acabou levando o jogo para a característica deles e não para a nossa durante o segundo tempo — continuou.

Fernando Seabra indica que titulares do Cruzeiro voltam no domingo

Após ser atropelado pelo rival Atlético-MG no último sábado (20), o Cruzeiro iniciou a partida contra o Unión La Calera com uma equipe bastante modificada em relação àquela que vinha jogando. Foram sete mudanças, comemoradas pelos torcedores, que esperavam uma mudança imediata após um resultado tão ruim.

Mas para a tristeza dos cruzeirenses, além da nova formação não ter dado muito certo, Fernando Seabra indicou que as mudanças aconteceram tão somente por desgaste do time. A tendência é que os titulares voltem na partida de domingo (28), contra o Vitória, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

— Todos (que saíram do time titular) foram por desgaste. Opção técnica foram as entradas, todos os que saíram estavam desgastados. Precisavam de um refresco para estarem em condições de estarem competitivos no próximo jogo. La Calera jogou na sexta, não viajou, tinha mais tempo e descanso. O Vitória não jogou no meio de semana. Buscamos uma estratégia que colocasse a gente em uma desvantagem menor em relação aos adversários — argumentou Seabra.

Questionado sobre o fato de outros times também estarem desgastados, Seabra ponderou, afirmando que a situação do Cruzeiro é mais difícil que o normal desde que ele chegou.

— Desgaste tá pra todo mundo, mas nem todos estão jogando com intervalo de três dias. A gente não teve um intervalo de quatro dias desde que cheguei. Na verdade, com a quantidade de jogos, o que a gente precisa é sustentação do elenco e uma comissão que mantenha o nível. A única forma de você se contrapor a um calendário desses, é ter a quantidade de profissionais que trabalham com qualidade a sua disposição — apontou o treinador.

— A gente precisa ser criterioso e analisar com calma. A gente tem uma análise profunda, individual. Nesse momento é muito cedo, a gente tem que fazer com mais critério — afirmou Seabra, quando perguntado sobre mudanças para domingo.

Licença de treinador

Por fim, Fernando Seabra explicou os motivos de ainda não ter a licença para treinador exigida pela Conmebol. Segundo ele, o calendário apertado da base do Cruzeiro impediu que ele concluísse a formação.

— O que acontece é que eu não pude, em função do calendário da base, fazer os dias de aula presencial da licença A. Já era para eu ter terminado, mas o calendário não deixou. Tendo a carteirinha, eu posso voltar a assinar (a súmula) como treinador principal — contou Seabra.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa nasceu em Ipatinga, mas se radicou na Região dos Inconfidentes mineiros. Formado em Jornalismo na UFOP, em 2019, passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas. Atualmente, é setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo