Sul-Americana

Por que Romero não comemorou gols contra o Nacional-PAR?

Atacante do Corinthians não comemorou após balançar as redes contra os adversários paraguaios duas vezes na goleada pela Sul-Americana

Ángel Romero marcou dois gols e deu uma assistência na goleada do Corinthians sobre o Nacional-PAR por 4 a 0na última terça-feira (11), pela Copa Sul-Americana, quebrou dois recordes de artilharia do clube, mas não comemorou. E o motivo para a indiferença do atacante, mesmo tendo vivido uma noite mágica na Neo Química Arena, é a sua origem.

Nascido em Fernando de la Mora, cidade da Grande Assunção, capital do Paraguai, o camisa 11 do Timão atua pela seleção de seu país natal e tem uma forte relação com grandes equipes de lá. Aliás, ele iniciou a carreira no Cerro Porteño, ao lado do irmão gêmeo, Óscar.

— Difícil porque não consegui comemorar. Avisei que não iria comemorar contra clubes do meu país, não comemoro pelo respeito que tenho pelo futebol do Paraguai, mas fiquei feliz pela marca — afirmou o jogador após o confronto da última terça-feira (11).

Além de alcançar marcas históricas, outro ponto também tornou a partida muito simbólica para o jogador: o reencontro com um ex-técnico. O atual comandante do Nacional, Víctor Bernay, teve um papel importante no começo da carreira do paraguaio.

— Conheço ele muito bem, quando estava começando a carreira no Cerro (Porteño), eu e meu irmão, ele foi muito importante por acreditar em mim, me colocar no profissional e em um momento difícil. O clube não estava bem, tivemos essas oportunidades graças a ele. Sou grato por causa disso, e ajudou bastante nesse momento de aprendizagem — contou Romero.

Pronto para ser titular

Desde a chegada de António Oliveira, Romero ganhou um “chá de banco” do treinador. No esquema de jogo adotado pelo português, faltava espaço para o atacante. Pedro Raul vinha ganhando mais oportunidades como titular, enquanto o camisa 11 vinha sendo utilizado no segundo tempo. Ele mesmo admitiu ter sofrido uma lesão, que prejudicou sua sequência.

No entanto, a apresentação impressionante que o atacante paraguaio teve na segunda rodada da fase de grupos da Sul-Americana, deve mudar esse panorama.

— Sempre estive preparado, não estava jogando, participando, mas sempre focado para poder ajudar quando estivesse em campo. Não tive muita oportunidade no começo, quando joguei não estive bem, tive uma lesão no tornozelo que ninguém ficou sabendo, mas queria ajudar e participar. Estou me sentindo bem, foi importante terminar bem ano passado e não ser rebaixado. Começar bem esse ano foi muito importante, é preciso sempre acreditar em você para quando você tiver chance estar preparado — analisou.

Ídolo?

Questionado sobre a posição de ídolo, após ser decisivo em mais uma partida importante para o Timão, Romero despistou. Ainda que some uma legião de fãs na Fiel, o jogador também é alvo constante de críticos da torcida.

— Vamos deixar essa pergunta para o torcedor. Continuo minha carreira aqui, quando sair vou ver tudo que conquistei, mas ainda vou responder a mesma pergunta. Sou um cara que segue lutando, conquistei muitos títulos, mas quero continuar conquistando e quero mais. Conquistei duas marcas importantes na minha carreira, mas ídolo é difícil falar porque tem caras muito importantes aqui grandes.

Recordes

Romero anotou nove gols na temporada e está na liderança da artilharia do Timão em 2024. Na história, o cenário é no topo também. Nenhum outro estrangeiro fez mais gols do que ele, autor de 55 bolas nas redes rivais pelo Corinthians, superando ninguém menos do que Paolo Guerrero.

De quebra, Romero também se tornou o grande goleador da história de uma década da Neo Química Arena. O camisa 11 chegou a 32 gols e superou Róger Guedes, que deixou o clube no ano passado.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo