Sul-Americana

Corinthians respira aliviado na Sul-Americana, mas tem nova dor de cabeça no DM

Matheuzinho sofreu uma entorse no tornozelo direito, justamente no lance no segundo gol da vitória sobre o Nacional-PAR

O Corinthians convive com uma série de lesões no elenco. O desgaste físico e mental dos atletas tem sido uma grande barreira para o técnico António Oliveira, que viu três de seus atletas se lesionarem dentro de campo em um período de sete jogos disputados. Na última terça-feira (7), Matheuzinho sofreu uma entorse no tornozelo direito, justamente no lance do segundo gol da vitória sobre o Nacional-PAR (2×0), pela Copa Sul-Americana, e preocupa a comissão.

— As primeiras 24h ou 48h são decisivas. Foi uma entorse e sozinho. Era única coisa que não queria hoje: perder mais jogadores, porque temos sido castigados por lesões, principalmente na zona do meio, que não temos opções, como, por exemplo, o Maycon, que não podemos contar — lamentou António durante coletiva.

— Vamos esperar as próximas horas, o Matheus fará os exames para ver a extensão da lesão. Tomara que não seja nada grave e ele possa estar apto para o próximo jogo — completou.

Lesões e mexidas

A sequência de lesões começou ainda na segunda rodada do Campeonato Brasileiro, quando Maycon sofreu uma ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito, em partida diante do Juventude. Ele se machucou sozinho, como normalmente acontece neste tipo de lesão. O meia já foi submetido a um procedimento cirúrgico para a reconstrução do ligamento, mas deve perder o restante da temporada em recuperação.

Depois dele, mais baixas surgiram, como Igor Coronado, que mal havia retornado do departamento médico, mas começou a sentir dores no quadril direito. Agora, ele recuperado, mas ainda ocupa o banco de reservas. Foi o que aconteceu na vitória no Paraguai.

— Temos que entender que somos seres humanos e gente que se dedica a uma causa que tem sido esse clube. Sabemos a dimensão que esse clube traz. Com o Igor Coronado no banco de suplentes, fizeram esforço enorme para estar aqui. Tiveram grande tolerância às lesões que têm e se sacrificaram. Tem que ter esse reconhecimento. Eles não poderiam jogar de início, tinham limitação de tempo — ponderou.

Na sequência, Yuri Alberto foi diagnosticado com uma tendinite no bíceps femural da perna esquerda. O camisa 9 foi relacionado pela primeira vez na última terça-feira, entrou no segundo tempo e abriu o placar, mas confessou não estar 100% fisicamente.

Neste meio tempo, o zagueiro Gustavo Henrique teve um quadro de dengue, e chegou a perder quatro quilos. Por isso, ainda não retornou. Por fim, antes de Matheuzinho se lesionar em campo, as mais recentes baixas no plantel foram de Raniele (trauma no tornozelo esquerdo), Fausto Vera (dores na região posterior da coxa esquerda). Os três ficaram fora do último compromisso corintiano.

— Não é necessário fazer mexidas, mas podemos ajustar comportamento com os mesmos jogadores. Faço por necessidade, para alterar algo no jogo. A inclusão do Gustavo Henrique, por exemplo, o jogo seria direto com um homem na frente no lugar de um volante. É aquilo que o jogo nos fornece. No que o jogo pede, eu respondo. Às vezes erro, às vezes acerto — acrescentou.

Viagens desgastantes

A preocupação de António se alia a um ponto pertinente, que, na visão do comandante, intensifica o desgaste físico dos atletas. Analisado os últimos compromissos, o técnico apontou as longas viagens como um agravante para o alto índice de lesões.

— Parabéns aos jogadores pelo esforço e dedicação que estão tendo nessa sequência de quatro jogos em dez dias. É uma carga grande, é um destrato a todos os profissionais. Eu estou cansado, imagina essa gente que está em treinos, viagens, concentrações, competindo, no desgaste emocional. Felizmente tenho jogadores com orgulho imenso — disse.

Quais são os próximos jogos do Corinthians?

  • Flamengo x Corinthians — 6ª rodada do Campeonato Brasileiro — Maracanã — sábado, 11 de maio, às 16h (horário de Brasília).
  • Corinthians x Argentinos Juniors — 5ª rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana — Neo Química Arena — 14 de maio, às 21h30 (horário de Brasília).
Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo