Sul-Americana

Bruno Lage acerta ao chamar responsabilidade por eliminação do Botafogo na Sul-Americana

Com muitos reservas no primeiro jogo e substituições erradas na Argentina, Bruno Lage foi mal nos dois jogos contra o Defensa y Justicia

Depois de errar na escalação do primeiro jogo e mexer mal na partida de volta, o técnico Bruno Lage, enfim, acertou. Após a eliminação do Botafogo para o Defensa y Justicia, nas quartas de final da Copa Sul-Americana, o treinadou chamou a responsabilidade pela queda na competição. E não poderia ser diferente.

No Nilton Santos, o Glorioso entrou em campo com oito jogadores considerados reservas e ficou só no 1 a 1. Já nesta quarta-feira, o time demorou a entrar no jogo, Lage mexeu mal e o Botafogo perdeu por 2 a 1, ficando fora da Sul-Americana.

Sem arrependimentos, Bruno Lage aproveitou o final da coletiva de imprensa, na Argentina, para mandar um recado para os torcedores. Ele assumiu a culpa pela eliminação e pediu o apoio dos botafoguenses na sequência do Campeonato Brasileiro.

– O responsável sou eu. Eu tomei todas as decisões e não me arrependo de nenhuma. Peço para os torcedores continuarem apoiando. Venho trabalhando muito, de forma humilde. Aqui têm pessoas de caráter. Independentemente de coisas que possam acontecer no caminho, o torcedor precisa continuar apoiando o time, que vive um momento lindo. A minha exigência é ter um registro de equipe grande. O nosso trabalho é de exigência. É neste clube que entrei. A minha exigência é que eles continuem fazendo o que fizeram aqui e aumentar e os adeptos aparecerem nessa hora e dar apoio à equipe se sentir motivada – afirmou Bruno Lage em coletiva depois derrota para o Defensa y Justicia.

Bruno Lage enxerga Botafogo superior ao Defensa y Justicia

Apesar de assumir a responsabilidade pela eliminação do Botafogo, Bruno Lage exagerou ao dizer que o Botafogo foi superior ao Defensa y Justicia na totalidade do confronto. No Nilton Santos, o Botafogo foi melhor, mas não fez uma boa partida. Já nesta quarta, o Defensa foi superior, enquanto o alvinegro teve apenas poucos bons momentos. Mas, para o treinador, as oportunidades criadas justificam o Botafogo ter sido melhor no duelo com o time argentino.

– Faltou marcar gol. Não faça esse tipo de comparações, quem tem mais dinheiro, tem que respeitar os jogadores do outro lado. Tivemos várias oportunidades de fazer gols, duas vezes com Mateo… No conjunto dos dois jogos tivemos mais oportunidades e infelizmente sofremos três gols, mas não deveríamos ter sofrido. Sofremos três cruzamentos e levamos gols – disse Bruno Lage.

– Ficamos tristes porque saímos dessa competição e fomos a melhor equipe no conjunto. Não conseguimos marcar gols, no primeiro jogo tivemos a oportunidade de marcar três vezes, por isso o adversário venceu e agora é o momento certo que todos deem um passo à frente, eu como treinador e eles. Dos meus jogadores há um caráter muito forte, sei que terá um passo à frente deles. Nosso adeptos têm que fazer uma onda muito forte de torcida para em 70 horas voltarmos a entrar em campo – completou o treinador.

Sem “copo meio cheio” com eliminação

Bruno Lage rechaçou sentir algum tipo de alívio por, agora, ter apenas o Campeonato Brasileiro para disputar. Mas, quando perguntado sobre o calendário, voltou a criticar a marcação do clássico com o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, para o próximo sábado (2), às 21h (horário de Brasília), no Nilton Santos.

– As grandes equipes não podem lamentar aquilo que não conseguem atingir. É isso que temos feito. O campeonato, independentemente das viagens ou não, é igual a Europa. Já joguei assim, já joguei com distância maiores no Benfica, estar na Rússia numa quarta-feira e depois voltar para Portugal. A única crítica que faço e reforço é pelo jogo (contra o Flamengo) ser sábado. Um jogo tão importante e especial como o Botafogo e Flamengo ser disputado sábado à noite com dois dias de intervalo. Se nosso adversário jogasse hoje, eles jogariam sábado? Fica aberta nossa questão – finalizou Bruno Lage.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo