Brasileirão Série ALibertadores

Fluminense tem esperança de contar com Alexsander nas quartas de final da Libertadores

Jovem de 19 anos está recuperado de lesão muscular, voltou aos treinos e pode ser novidade no time de Fernando Diniz

O Fluminense sofreu um baque com a suspensão de Marcelo pela Conmebol. Para amenizar, o Tricolor tem a esperança de contar com um reforço: Alexsander, fora do time há três meses por lesão muscular. O volante está de volta aos treinos e a ideia é que seja ao menos opção nas quartas de final da Libertadores.

O jovem de 19 anos rapidamente virou um dos pilares do time de Fernando Diniz, e sua contusão, junto com outros fatores, desencadeou uma queda de rendimento da equipe.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Fluminense F.C. (@fluminensefc)

Recuperado do estiramento no músculo posterior da coxa direita, sofrido após já se recuperar de uma lesão no ligamento colateral medial do joelho esquerdo, Alexsander não joga desde a vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, justamente a última como visitante do Flu na temporada.

De lá para cá, o Tricolor conviveu com altos e baixos. A vitória sobre o Argentinos Juniors não deu apenas a classificação às quartas da Libertadores, mas marcou também a primeira vez desde maio que o time venceu duas partidas seguidas — antes, vencera o Palmeiras, por 2 a 1, pelo Brasileirão.

Aproveitamento com o jovem em campo é altíssimo

Fernando Diniz pode não ser fã das estatísticas no futebol, mas o fato é que os números, neste caso, apenas registram o que é visível em campo. O Fluminense tem ótimo aproveitamento com Alexsander.

Em 20 jogos como profissional, o volante venceu 16 vezes, empatou uma e perdeu apenas três, para assombrosos 81,7% de aproveitamento. Ele marcou dois gols e deu duas assistências no período.

Desde que passou a ser utilizado, seja como lateral-esquerdo ou no meio, o Flu entrou em campo 28 vezes sem Alexsander. Foram 12 vitórias, sete empates e nove derrotas. O aproveitamento cai muito: 51,1% dos pontos.

O futebol, claro, é coletivo, e a estatística não pode ser confundida com mera causalidade. Mas é fato que a equipe viveu seus melhores momentos com Alexsander.

Planejamento é dar ritmo nos próximos jogos

Feita a transição e mantido um trabalho especial de reforço muscular, Alexsander está apto para entrar em campo e deve voltar antes mesmo da Libertadores.

O planejamento do Fluminense é dar minutos para o volante nos confrontos que antecedem os jogos de mata-mata, contra Grêmio e América-MG, pelo Brasileirão.

Isso porque Alexsander está fora há mais de três meses, e o Flu deseja dar ritmo de jogo ao jovem antes de contar com ele nas partidas decisivas na Libertadores.

Jogador pode ser substituto de Marcelo ou mudar time

Para que o camisa 5 volte ao time, Fernando Diniz precisará mexer. Marcelo, suspenso pela Conmebol, tem remotas chances de ver seu julgamento anulado. Nas quartas de final da Libertadores, Alexsander pode ser seu substituto.

Mas com Lima e Keno em má fase, a equipe pode ter mudanças. Polivalente, o jovem pode entrar na vaga de qualquer um no lado esquerdo. Na seleção sub-20, inclusive, atuou avançado, como um atacante, no time comandado por Ramon Menezes, mudando a formatação tática.

Mudanças que o campo vem pedindo para Fernando Diniz. Nos últimos jogos, a equipe só rendeu quando o Fluminense “ideal” (na ausência de Alexsander) foi modificado. Seja pela entrada de Marlon, Daniel, Martinelli ou John Kennedy, o Tricolor pode ter novidades nos próximos jogos.

Fluminense no Brasileirão 2023

  • 3ª colocação após 18 jogos disputados
  • 57% de aproveitamento até o momento
  • 31 pontos conquistados com 9 vitórias, 4 empates e 5 derrotas

Fluminense na Libertadores 2023

  • Classificado às oitavas de final no 1º lugar do grupo D com 10 pontos
  • 55% de aproveitamento na fase de grupos
  • Bateu o Argentinos Juniors nas oitavas de final — placar agregado 3 x 1
  • Enfrenta Olímpia (PAR) nas quartas de final, com datas a definir
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo