Libertadores

Marcelo é suspenso da Libertadores pela Conmebol; Fluminense pede anulação

Lateral pegará três jogos de suspensão pela expulsão contra o Argentinos Juniors; Tricolor tenta anular julgamento por falta de provas

A Conmebol suspendeu o lateral-esquerdo Marcelo, do Fluminense, por três jogos por conta da expulsão no jogo de ida das oitavas de final contra o Argentinos Juniors. Assim, ele está fora das quartas de final da Libertadores. O Tricolor pedirá a anulação da decisão ainda esta semana.

Em julgamento da unidade disciplinar da Conmebol, nesta segunda-feira, Marcelo ainda foi punido com multa de US$ 6 mil (R$ 29,4 mil). O jogador já cumpriu uma partida de suspensão automática e só voltará a atuar nesta edição da Libertadores se o Fluminense avançar para as semifinais. Não cabe recurso para os jogos, apenas para a multa. Por isso, a única saída possível é a anulação do julgamento.

Marcelo foi suspenso por três jogos pela Conmebol e está fora das quartas de final da Libertadores - Foto: Reprodução
Marcelo foi suspenso por três jogos pela Conmebol e está fora das quartas de final da Libertadores – Foto: Reprodução

No lance, o zagueiro Sánchez sofreu grave lesão em imagem muito forte, que fez o camisa 12 do Tricolor chorar em campo. O Flu tentou até reverter a expulsão em julgamento de urgência antes da partida de volta, o que havia sido negado pela entidade máxima do futebol sul-americano.

A Trivela havia antecipado que a suspensão do jogador poderia ser maior do que apenas uma partida. A Conmebol costuma aplicar ao menos dois jogos de suspensão para expulsões com vermelho direto em decisões confirmadas pelo árbitro de vídeo (VAR).

O lance envolvendo Marcelo foi indicado na súmula pelo árbitro Piero Meza (CHI) como “jogo brusco grave”. O inciso I do artigo 14B é o mais brando dentre os possíveis — no mínimo um jogo de suspensão, em vez de dois ou cinco, nos outros incisos —, mas ainda assim, a punição foi de três partidas.

Fluminense entrará com recurso ainda esta semana

O Fluminense apresentará ainda nesta semana um recurso junto à Conmebol buscando a anulação do julgamento. a defesa do clube foi apresentada ontem, dia 9 de agosto (prazo previsto na lei), e solicitava a oitiva do atleta Marcelo, para que ele pudesse explicar o que ocorreu no lance na Argentina.

De acordo com o clube, em nota oficial:

Para a surpresa do Departamento Jurídico do Fluminense, o Tribunal da Conmebol ignorou o pedido de depoimento do jogador e proferiu decisão logo no dia seguinte da apresentação da defesa escrita. Diante disso, os advogados do clube irão apresentar o recurso pedindo anulação do julgamento pela falta de análise das provas solicitadas.”

Flu apostava que ausência de intenção reduziria punição

Em ofício que enviou à Conmebol para tentar defender Marcelo, o Fluminense tentou provar “ausência de dolo”, ou seja, falta de intenção do lateral-esquerdo no lance — o que de fato aconteceu.

O fato do jogador ter naturalmente reagido com choro e desespero com a lesão de Luciano Sánchez, do Argentinos Juniors, era visto como trunfo. O lateral do Flu foi ao vestiário pedir desculpas e trocar telefones com o zagueiro. Clube e jogador publicaram nas redes sociais desejos de pronta recuperação ao argentino. Mas nada adiantou.

A imagem forte e a revisão do VAR jogaram contra o Fluminense. Internamente, o caso já era considerado muito difícil de ser revertido. A Conmebol não reverteu cartões vermelhos diretos em nenhuma das edições com árbitro de vídeo. A Libertadores começou a usar o VAR nas quartas de final de 2018.

Fluminense na Libertadores 2023

  • Classificado às oitavas de final no 1º lugar do grupo D com 10 pontos
  • 55% de aproveitamento na fase de grupos
  • Bateu o Argentinos Juniors nas oitavas de final — placar agregado 3 x 1.
  • Aguarda Flamengo ou Olímpia (PAR) nas quartas de final
Foto de Caio Blois

Caio Blois

Jornalista pela UFRJ, pós-graduado em Comunicação pela Universidad de Navarra-ESP e mestre em Gestão do Desporto pela Universidade de Lisboa-POR. Antes da Trivela, passou por O Globo, UOL, O Estado de S. Paulo, GE, ESPN Brasil e TNT Sports.
Botão Voltar ao topo