Alemanha

Por que Kompany, mesmo rebaixado com o Burnley, é o novo sonho do Bayern de Munique?

À procura de um técnico, o Bayern de Munique deve apostar suas fichas em Vincent Kompany, que caiu com o Burnley na Premier League

Lá se vão mais de três meses à procura de um substituto para Thomas Tuchel, que fez um acordo para deixar o Bayern de Munique no final da temporada. Contudo, os bávaros falharam em todas suas tentativas. Agora, a ficha da vez é Vincent Kompany, que foi rebaixado com o Burnley na Premier League, mas é a esperança dos alemães para voltar ao caminho dos títulos.

Antes de cogitar o nome do belga, o Bayern tentou (pelo menos) outras seis opções: Xabi Alonso (do Bayer Leverkusen), Julian Nagelsmann (da Alemanha), Ralf Rangnick (da Áustria), Oliver Glasner (do Crystal Palace) e Roger Schmidt (do Benfica). Todos, por motivos diferentes, disseram não aos Bávaros. A tendência é que o plano G vá para frente, e Kompany é esperado para 2024/25.

Segundo o The Guardian, as conversas entre o treinador e o Bayern de Munique estão avançadas, tanto que Alan Pace, dono dos Clarets, já discute uma taxa de compensação para liberar o belga para a Bundesliga. A expectativa é que um acordo seja formalizado até o final desta semana. Mas afinal de contas, por que Vincent Kompany, que caiu com o Burnley para a Championship, é visto como solução para os Bávaros?

Isso é o que a Trivela vai te responder.

Por que Bayern de Munique quer Kompany?

Com uma carreira de sucesso nos tempos de zagueiro, Kompany é (no mínimo) uma opção ousada para assumir o Bayern de Munique. Quem olha de longe acredita que um dos times mais importantes da Europa apostar em um treinador que foi rebaixado na Premier League é loucura.

Contudo, é preciso entender o contexto que envolve o belga, um dos discípulos de Pep Guardiola.

DNA compatível ao Bayern

Um ponto importante é que o DNA de Vincent Kompany é compatível ao do Bayern. O treinador é adepto de um estilo de jogo ofensivo e costuma usar o esquema 4-2-3-1. Ambas características são uma marca registrada dos bávaros na últimas décadas. O belga começou sua carreira na área técnica em 2020 no Anderlecht, seu clube do coração. Lá, ele deu seus primeiros passos e se mostrou muito promissor.

Não à toa, olheiros do Bayern de Munique ficaram impressionados com o estilo de Kompany liderar os Roxos e Brancos. À época, os funcionários dos Bávaros estavam acompanhando o desenvolvimento de Zirkzee, que estava emprestado ao Anderlecht. Mais do que a parte tática, o treinador belga também ganha pontos por ser fluente em alemão (jogou no Hamburgo nos tempos de atleta) e ter experiência em um campeonato tão difícil como a Premier League.

As ideias de Kompany

Em 2022, o Burnley contratou Vincent Kompany para o lugar de Sean Dyche, que ficou uma década no cargo e tinha uma filosofia baseada no jogo de ligação direta e contra-ataque. O belga, por sua vez, era o exato aposto de seu antecessor. O treinador promoveu uma verdadeira revolução nos Clarets logo em sua primeira temporada, o que rendeu o título da Championship e, consequentemente, o acesso à Premier League.

O Burnley somou incríveis 101 pontos em 46 rodadas na segunda divisão inglesa, sendo 29 vitórias, 14 empates e apenas três derrotas. Além disso, os Clarets tiveram o melhor ataque (87 gols) e a melhor defesa (35 gols) do campeonato. Nada disso seria possível se não fosse por Kompany, que implementou suas ideias e colheu o resultado dentro de campo. Para isso, basta comparar alguns pontos com Dyche.

Antes do treinador belga, o Burnley registrou uma média de 39,1% de posse de bola na Premier League 2021/22. Com Vincent Kompany, essa número saltou para 64,6% na Championship da temporada seguinte. Os Clarets do pupilo de Guardiola gostavam de ter a bola, controlando o adversário com vários toques e a movimentação dos jogadores. A saída no pé desde a defesa tinha como objetivo chegar ao último terço criando superioridade numérica.

Sem a posse, o Burnley de Kompany pressionava a defesa rival para recuperar a bola o mais rápido possível. A intensidade, aliada à organização, gerava novas chances de gol. Quando o adversário conseguia chegar ao campo de defesa dos Clarets, o treinador montava uma verdadeira barreira à frente de seu gol. Além disso, o belga sempre exigiu a evolução de seus jogadores, nunca os deixando na zona de conforto.

Material humano do Burnley bateu no teto com a Premier League

Mesmo na Premier League, o Burnley não abriu mão de seus princípios. Contudo, a dominância na Championship (contra equipes mais fracas) virou um penúltimo lugar em 2023/24. Fato é que o material humano à disposição de Vincent Kompany na temporada não permitia a permanência na elite inglesa. Com atletas de alto nível no Bayern de Munique, o estilo do treinador belga pode ser exponenciado.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo