Sem categoria

Trota-mundos em Trinidad & Tobago

O brasileiro trota-mundos Zé Luiz (foto ao lado) teve mais uma aventura nesse ano de 2007. O versátil jogador que surgiu no futebol paranaense e rodou o planeta, atuou no W Connection, de Trinidad & Tobago. Neste rápido bate-papo, ele relata a Trivela como foi a nova experiência. Além de explicar a realidade do futebol deste país, que disputou pela primeira vez uma Copa do Mundo, ano passado, na Alemanha. Atualmente jogando futebol rápido* na América do Norte, Zé Luiz pretende voltar aos gramados em breve. Confira!

Você foi eleito o melhor lateral-esquerdo do mês de setembro e entrou para seleção da Liga de Trinidad & Tobago naquele mês. Mesmo assim, você deixou o W Connection para jogar em um time mexicano na Liga de futebol rápido dos Estados Unidos. Porque? Financeiramente era melhor?
Na verdade essa eleição me pegou de surpresa. Mas graças ao meu trabalho desempenhado surgiram esses frutos. Eu deixei o W Connection porque tive uma proposta melhor aqui em Monterrey (México) para jogar futebol rápido pelo Laraza. Eu já conhecia o Presidente do clube porque ele foi meu presidente quando eu joguei no Tigres, que também é um time aqui de Monterrey. Eu aceitei porque financeiramente era melhor e também meu filho vive com a mãe dele a duas horas daqui.

Há um ano você nos disse que os angolanos não gostam muito de estrangeiros atuando no campeonato deles. Em Trinidad & Tobago existe alguma resistência a jogadores de fora?
Não, em Trinidad & Tobago eles são muito carismáticos, excelentes pessoas e tratam os estrangeiros muito bem, sem nenhuma discriminação. No W Connection havia mais seis brasileiros comigo, quatro deles já jogavam lá há seis anos, e dois eram da minha cidade (Penápolis, São Paulo). Ai facilitou as coisas..

Quais as principais diferenças dentro e fora de campo entre o futebol de Angola e de Trinidad & Tobago?
Em Trinidad & Tobago são mais profissionais. A liga é muito mais organizada e tem mais valor. Angola tinha muita desorganização, mas não posso me queixar, pois foi uma passagem que serviu de muita experiência para mim.

Acredita que no futuro Trinidad & Tobago pode se tornar uma grande força na CONCACAF e ameaçar Estados Unidos e México ou isso ainda está muito longe de acontecer?
Eu acho que sim. Assim como em várias partes do mundo, o futebol em Trinidad & Tobago vem crescendo. Estão exportando muitos jogadores para Inglaterra. Em breve, pode se tornar uma ameaça, sim. Os jogadores tem muita força de vontade e jogam por amor, mesmo. O salário máximo de um jogador em Trinidad & Tobago gira em torno de mil dólares.

Existe uma competição chamada Shaka Hislop Tribute Cup, que é uma homenagem ao goleiro titular do país na última Copa do Mundo. Em Trinidad & Tobago se valoriza muito os ídolos, não?
Com certeza. Eles valorizam bastante os principais ídolos.

Como você avalia o trabalho feito no futebol de base em Trinidad & Tobago?
É como em qualquer outro centro, a diferença é a estrutura financeira e o material.

Uso de drogas e abusos nas noitadas são comuns entre os futebolistas de Trinidad & Tobago?
Drogas não posso dizer, mas noitadas, sim. Das vezes que eu sai ou conversando com meus companheiros nota-se o encanto que eles tem pela noite. Tanto que Trinidad & Tobago tem o maior índice de morte no trânsito por excesso de bebida e direção perigosa. Eles pegam pesado com a bebida.

Quais as impressões você teve do povo de Trinidad & Tobago?
São divertidos e alegres. Detalhe: é exagerada a quantidade de bêbados nas ruas (gargalhadas). É um pouco diferente do ambiente de pobreza e violência que vi em Angola.

Pretende mergulhar fundo nessa aventura do futebol rápido ou retornará aos gramados?
O futebol rápido é muito emocionante, muito corrido, tem suas manhas. Mas se pintar uma nova oportunidade eu volto para o campo.

Você já jogou em várias partes da América, na África e na Europa. Falta apenas atuar na Ásia e na Oceania para completar seu giro por todos os pontos do planeta. Ainda pretende realizar tal façanha?
Nunca havia pensado nisso. Aprendi muita coisa, ganhei experiência tendo contato com diversos jogadores. Quem sabe um dia apareça essa oportunidade de ir para esses dois continentes que me restam (risos).

*Conheça a Liga de futebol rápido onde Zé Luiz acabou de chegar: www.misl.net

FICHA

Nome: José Luiz Birche de Souza.

Data de Nascimento: 01/04/1981, Penápolis, São Paulo.

Clubes:
1999: Paraná
2000: Paraná
2001: Atlético/PR
2002: Botafogo/SP
2003: Fênix-URU
2004: Aarau-SUI
2005: Tigres-MEX
2006: Progresso Sambizanga-ANG
2007: W Connection-TT
2007/8: Laraza-MEX (futebol rápido)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo