Sem categoria

Rumo ao Mundial Sub-20

Pela primeira vez na história, a Venezuela irá disputar a fase final de uma competição realizada pela Fifa: classificou-se para o Mundial sub-20, que será realizado no Egito. Para não fazer feio na estreia, a seleção comandada por Cesar Farías, técnico da sub-20 e da seleção principal, vem se preparando, fazendo amistosos e organizando alguns pequenos campeonatos. O último deles foi o hexagonal Tarek William Saab, realizado no próprio país. Embora não tenha conquistado o título – o Brasil venceu – Farías pôde fazer alguns testes.

A princípio, o hexagonal seria disputado pelo país anfitrião, Brasil, Paraguai, Trinidad e Tobago, Costa Rica e o Egito, país anfitrião do Mundial sub-20. Como o sistema do torneio era de todos contra todos, os egípcios decidiram não participar porque não queriam um confronto contra os trinitinos e paraguaios, já que as duas equipes estão no grupo A do Mundial – a outra é a Itália. Como os africanos abandonaram o hexagonal, a federação decidiu não fazer um pentagonal e optou por duas seleções venezuelanas: Venezuela “A” e Venezuela “B”.

Veja como foi a participação das equipes:

BRASIL

Campanha: Campeão; 5j, 4v, 1e, 0d, 10gp, 3gc, 13pts
Time-base: Rafael, Raul, Renato, Tolói e Bertucci, Renan, Anselmo, Gabriel Pimba e Boquita; Ciro e Tales Cunha.

O torneio serviu de preparação para o treinador Rogério Lourenço definir os últimos convocados e achar um possível substituto para o atacante Walter, do Internacional, um dos destaques do Sul-Americano, com lesão no joelho. Rogério parece ter encontrado a solução. Um dos bons nomes do último Campeonato Pernambucano, do Campeonato Brasileiro da categoria e do Sport na Libertadores, Ciro, marcou gols importantes no torneio, três num só jogo, ajudando o Brasil na conquista do hexagonal, com 13 pontos.

Além de Ciro, outros bons nomes apareceram. Lourenço fez várias mudanças na equipe. Deu oportunidade para todos os jogadores. Testou os dois goleiros, a dupla de zaga, laterais, meias e duplas de ataque. Outro que mostrou bom futebol foi o lateral esquerdo Bruno Bertucci, do Corinthians, um dos destaques no título da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Sem contar com jogadores que atuam no futebol europeu e alguns titulares de suas equipes no Brasil, os que foram convocados deram conta do recado e mostraram que merecem uma vaga para o Mundial.

COSTA RICA

Campanha: Vice; 5j, 3v, 1e, 1d, 12gp, 4gc, 10pts
Time-base: Mainor Álvarez, Roy Smith, Óscar Duarte e Christopher Meneses; Cristian Gamboa Gustavo Arias, Daniel Varela, Ricardo Blanco, David Guzmán; Marco Ureña e Alejandro Castro.

O treinador Ronald González está satisfeito com a equipe, que teve o melhor ataque do torneio. Mesmo não tendo vencido, empatou de igual para igual no jogo contra o Brasil, rival direto no Mundial – as duas equipes estão no mesmo grupo. Os Ticos provaram que são a melhor equipe da Concacaf. Não é à toa que foram campeões do torneio classificatório.

O torneio serviu para Ronald definir o esquema de jogo que usará no Mundial. O mais provável deve ser com três zagueiros. Ficou muito satisfeito com o trio formado por Roy Smith, Óscar Duarte e Christopher Meneses.Outro nome que agradou foi do atacante Marlon Camble, que disputou o Mundial sub-20 em 2007. Camble disputa uma vaga na equipe titular.

VENEZUELA

Campanha: Terceiro; 5j, 3v, 0e, 2d, 9gp, 6gc, 9pts
Time-base: Rafael Romo, Juan Manuel Morales, Francisco Fajardo, Carlos Salazar, Óscar Rojas; Francisco Flores, Rafael Acosta, Carlos Fernández e Agnel Flores; Jonathan del Valle e Adrián Lezama.

Campanha (B): Último; 5j, 0v, 0e, 5d, 3gp, 16gc, 0pt
Time-base (B): Alvaro Forero, Juan Villarroel, John Briceño, Aquiles Toror, Kelvin Sierra, Mário Sanchez, Kristopher Pinero, Sandro Gamarra, Juan Garcia, Johandry Orozco e Jeison Rondón

Concentração ao máximo. Esta é a frase pregada pelo treinador Cesar Farías aos seus jogadores. Com duas seleções no torneio, o treinador observou melhor os jogadores. O time A chegou na última rodada com possibilidade do título. Perdeu para o Brasil no último jogo. Farías quer os jogadores concentrados na seleção.

Quem saiu ganhando com ele foi o meia Rafael Acosta, do Cagliari. O jogador estava de malas prontas para o futebol espanhol. A negociação estava praticamente acertada, só que a nova equipe disse que não ia liberar o jogador para a disputa do Mundial. Acosta não aceitou, e a transferência foi cancelada. Quem não teve tanta sorte foi o artilheiro da seleção e do Las Palmas, Salomon Rondón, assim como o meia Angelo Peña, nova contratação do Braga, que não foram liberados para a disputa do hexagonal, mas estarão no Mundial. Quem não teve sorte alguma foi o zagueiro Francisco Fajardo, que se machucou no torneio e está fora do Mundial.

PARAGUAI

Campanha:Quarto; 5j, 3v, 0e, 2d, 8gp, 6gc, 9pts
Time-base: Joel Silva, Francisco Silva, César Benítez, Rolando García e Juan Núñez; Diego Benítez, Jorge Moreira, Derlis Orué e Gustavo Cristaldo; Luis Páez e Lorenzo Melgarejo.

Altos e baixos. Assim se define o time do argentino Adrián Coria. Começou vencendo, depois perdeu, venceu de novo. Tornou a ganhar e fechou o campeonato com uma derrota. Venceram com facilidade Trinidad e Tobago, rival do Mundial sub-20. Quem aprovou a participação da seleção em solo caribenho foi o diretor da Associação Paraguaia de Futebol, e presidente da comitiva no torneio, Frederico Acosta. O diretor classificou como altamente positiva esta experiência, já que Coria, teve recorrer a jogadores mais novos, que, para ele, surpreenderam com o rendimento. O maior destaque foi o atacante do 12 de Octubre, Lorenzo Melgarejo. Após o torneio, os dirigentes esperam fechar uma série de amistosos contra equipes europeias.

TRINIDAD E TOBAGO

Campanha: Penúltimo; 5j, 1v, 0e, 4d, 5gp, 13gc, 3pts
Time-base: Jessi Fulerton, Mickail Willians, Curtis Gonzales, Robert Primys, Jeron Morris, Aubrey David, Chike Sullivan, Jean Luc Rochford, Marcus Joseph, Stephen Knox e Jamal Clarence.

Zoran Vranes terá muito trabalho pela frente, especialmente porque um de seus auxiliares, o jogador e técnico Russel Latapy, substituirá o colombiano Francisco Maturana na seleção principal. A equipe foi mal na Venezuela. Sofreu 13 gols e marcou apenas cinco. A classificação para o Mundial foi de forma suada. E o confronto contra o Paraguai foi desastroso. Vranes sabe do potencial da equipe e tem consciência de que a seleção pode render muito mais. Pouco antes do hexagonal, empatou com a forte Nigéria por 2 a 2. A seleção tem alguns jogadores com passagens pela seleção principal, entre eles o defensor Akeem Adams e o meia-atacante Trent Lougheed. Alguns jogadores que não estiveram contra a Nigéria disputaram o hexagonal. O atacante Stephen Knox e o zagueiro Sheldon Bateau estavam machucados e estão voltando aos poucos.

Outras matérias deste colaborador, clique aqui.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo