Partizan se aproxima do rival

Na temporada passada, o Partizan Belgrado já havia estabelecido um recorde ao conquistar o tetracampeonato sérvio. Nunca, em toda história iugoslava, uma equipe havia atingido tal marca. Nem mesmo o grande rival Estrela Vermelha em seu momento mais glorioso, no início dos anos 1990, quando conquistou a Copa dos Campeões da Europa e o Mundial Interclubes, com um inesquecível esquadrão que tinha, entre outros, Sinisa Mihajlovic, Robert Prosinecki e Dejan Savicevic em seu elenco. Mas parece que o domínio do Partiza na Sérvia não tem data para terminar.

Neste final de semana, o time alvinegro de Belgrado venceu o Campeonato Sérvio pela quinta vez consecutiva e 24a em sua história, ficando agora a apenas uma conquista de seu rival. Bateu o Borac Cacak por 4 a 0, fora de casa, e manteve 12 pontos de vantagem na ponta, faltando quatro rodadas.

Os Crno-Beli contam na equipe com apenas dois brasileiros, Anderson Marques e Eduardo (ambos ex-São Caetano), que não tiveram destaque na campanha vitoriosa. Bem diferente do Crvena Zvezda, que tem Evandro (ex-Palmeiras e Atlético-MG), como maior destaque. Quem merece os holofotes, mesmo, é um jovem lateral-esquerdo macedônio: Aleksandar Lazevski.

Aos 24 anos, ele se tornou o primeiro jogador da história a conquistar cinco títulos de primeira divisão na Sérvia/Iugoslávia de maneira consecutiva. “Disputei todas essas temporadas e enfrentei muitos desafios. Agora, faço parte da história do Partizan. Posso dizer que estou muito, muito orgulhoso e feliz”.

O pentacampeonato, no entanto, não foi tranquilo. Na pausa de inverno, a diretoria demitiu o técnico Aleksandar Stanojevic e contratou para seu lugar o experiente Avram Grant. O título nacional conquistado foi o primeiro do treinador israelense fora de seu país. Com o Chelsea, Grant foi vice-campeão da Premier League, da Copa da Liga e da Liga dos Campeões, enquanto no Portsmouth perdeu uma final de FA Cup.

Vale lembrar, também, que os clássicos entre os rivais nesta temporada foram bem conturbados (Torcedor que torce). E para aproveitar, relembro minha passagem pela capital sérvia no ano passado (A receosa Belgrado).

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo