Os vrothers contra os manos de Mano

A disputa pela vitória no Vig Vrother Bárzea ia ficando cada vez mais limitada. A prova do líder desta quinta-feira contou com apenas cinco participantes. E, na disputa eterna entre sul-americanos e europeus, melhor para aqueles do velho continente, que ainda são representados por Mourinho, Balotelli e Ibrahimovic. Sinal da superioridade futebolística ou de primazia na hora de arranjar confusões?

Jérôme Valcke aproveitou suas relações íntimas com a CBF para a realização de mais uma prova do líder. Mano Menezes e seus comandados estavam reunidos na Suíça, certo? Pois o Bial francês deixou suas mordomias na sede da Fifa e seguiu até a concentração da seleção, convidando alguns jogadores para um aquecimento contra os convocáveis da seleção brasileira. Os moldes do confronto, porém, seriam diferentes: ao invés dos gramados, os jogadores teriam que se acostumar com o piso duro do futsal.

Os vrothers entraram em campo com Mourinho fazendo o papel de dublês de goleiro. Já entre os tupiniquins, Mano Menezes mandou somente a nata que foi chamada contra a poderosa Bósnia: Júlio César, David Luiz, Luisão, Ronaldinho Gaúcho e Hulk. O novo líder seria aquele que primeiro marcasse um gol nos brasileiros – o que, com David Luiz e Júlio César pela frente, não seria tarefa das mais difíceis. Para complicar um pouco mais a vida dos candidatos, porém, Valcke determinou que quem perdesse a bola estaria eliminado da prova.

O jogo começou com posse de bola para os vrothers, que iam trocando passes sem maiores dificuldades no campo de defesa. Só Hulk tentava alguma coisa, já que Ronaldinho estava bem acomodado na lateral esquerda da quadra. A situação só se complicou quando Ibrahimovic tentou partir para a definição. Na hora de driblar David Luiz, o sueco se embaraçou com os cabelos do samambaia e deixou a pelota escapulir pela linha de fundo. Estava fora.

Posse de bola para a seleção brasileira. Júlio César toca para Luisão, que deixou com David Luiz. O zagueirão do Chelsea saiu como um trem desgovernado, passando pela falsa marcação de Carlitos Tevez e Mario Balotelli. Ronaldinho Gaúcho deixou passar e a pelota chegou até Hulk, que encheu o pé em direção à área. A bomba bateu na barriga de Adriano e enganou Mourinho para morrer nas redes. Resultado: o portuga e o brazuca estavam sem chances de concorrer à liderança.

Por fim, só sobravam Balotelli e Tevez para concorrer ao posto de novo rei. Será que o (não) entrosamento da dupla no Manchester City iria ajudar? Que nada… Logo na saída de jogo, o ragazzo rolou para Carlitos, que recusou-se a dominar um passe dado por um fiel escudeiro de Roberto Mancini. Com a redonda nos pés de Luisão, o jogo estava definido. O Forte Apache entrava em festa, assim como as torcidas de Corinthians e Boca Juniors. Mais uma vez o quarto do líder seria embalado pelo ritmo da cúmbia.

Observação: Não entendeu nada? Então clique aqui e conheça o regulamento e os participantes do Vig Vrother Bárzea, o primeiro unreality show do futebol mundial.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo