Sem categoria

O Ballkani faz história para Kosovo, com um épico 4×3 arrancado nos acréscimos contra o Sivasspor na Turquia

O Ballkani registrou a primeira vitória de Kosovo em fases de grupos europeias, e com uma partida trepidante só resolvida no fim

O Ballkani eleva o futebol de Kosovo a patamares inéditos nesta temporada. Campeão nacional em 2022/23, o clube acumula feitos inéditos em sua primeira aparição em torneios continentais. Repescada da Champions, a equipe aproveitou a Rota dos Campeões na Conference League para despachar adversários de San Marino, Ilhas Faroe e Macedônia do Norte. Isso já valeu a inédita participação kosovar em fases de grupos das copas europeias. E, nesta quinta-feira, o Ballkani conquistou a primeira vitória de Kosovo na competição, graças a um épico. Dentro da Turquia, os pequeninos derrotaram o Sivasspor por 4 a 3. Os visitantes chegaram a sofrer o empate aos 47 do segundo tempo, mas o gol do apoteótico triunfo saiu aos 49. Festa de toda a nação.

Apesar do sucesso na Conference, o Ballkani não é um clube tão vencedor assim em Kosovo. O time fundado em 1947 está localizado numa cidadezinha de 10 mil habitantes e disputava as competições regionais nos tempos de Iugoslávia. Mesmo a progressão no Campeonato Kosovar demorou a acontecer, com somente seis temporadas na elite local. O título inédito aconteceu na temporada passada e abriu o caminho para um sucesso inimaginável nos torneios continentais – mesmo que o regulamento facilite com a Rota dos Campeões.

Durante as primeiras rodadas da fase de grupos da Conference, o Ballkani já tinha dado sinais positivos. A estreia aconteceu em casa, contra o Cluj. O empate por 1 a 1 garantia o primeiro ponto, mas não que o resultado fosse bom pelas circunstâncias: os kosovares abriram o placar no primeiro tempo e venciam até os 46 do segundo, quando veio o empate dos romenos. Já na segunda partida, o Ballkani visitou o Slavia Praga, um adversário duro e tarimbado nas competições continentais. Os tchecos sofreram para vencer por 3 a 2, num duelo em que os azarões ficaram duas vezes à frente no placar.

Assim, a vitória na Turquia contra o Sivasspor reforça esses bons indícios iniciais do Ballkani, mas não deixa de ser gigantesca. Os turcos anotaram o primeiro gol logo no minuto inicial, com Fredrik Ulvestad num chute cruzado. O Ballkani dominou a sequência da primeira etapa e virou antes do intervalo. Armend Thaqi assinalou um golaço aos 20, com um tapa colocado de fora da área que entrou na gaveta. Já aos 31, Arber Potoku definiu um cruzamento rasteiro na área. O resultado era merecido até ali.

O segundo tempo seria elétrico, com 24 finalizações. O Sivasspor controlou a posse e arriscou mais, mas o Ballkani não perdeu a agressividade. Prova disso é que o terceiro gol surgiu antes, com Meriton Korenica. Foi uma ótima troca de passes, até que o arremate rasante entrasse no canto. O Sivasspor abafou em busca da reação. Descontou primeiro aos 30, num lance envolvente para o gol de Erdogan Yesilyurt. Já o empate saiu aos 46, graças ao veterano Mustapha Yatabaré, que completou o cruzamento de Yesilyurt.

Apesar do baque, o Ballkani não desistiu. E saiu com o triunfo aos 47. Num contra-ataque, o goleiro Ali Vural teve que operar um milagre para evitar o gol contra do Sivasspor e Ermal Krasniqi estava à espreita para fazer o quarto dos kosovares no rebote. Ainda rolaram mais alguns minutos de pressão dos turcos, sem sucesso. O épico estava completo.

Não é exagero dizer que essa é a maior vitória do futebol de clubes de Kosovo desde o desmembramento da Iugoslávia. O próprio caminho do Ballkani à fase de grupos enfatiza isso, já que não pegou grandes adversários. Mesmo assim, o time apresenta seu valor num nível mais alto e não é impensável sua classificação para os mata-matas. Com quatro pontos, os kosovares ultrapassaram o próprio Sivasspor e lideram a chave equilibradíssima, em que todos somam quatro pontos. O fato de terem mais dois jogos em casa na metade final da campanha permite sonhar ainda mais.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo