Nordahl: “Il pompiere d'oro”

Hoje em dia, quando se fala em futebol sueco o nome que naturalmente vem à cabeça é o de Zlatan Ibrahimovic. Pudera. O atacante da Internazionale vem sendo o principal destaque do futebol italiano e nessa temporada ele tem boas chances de ser, pela primeira vez, o artilheiro da Série A. Nos anos 50, a referência em matéria de gols na Itália também era um sueco, mas que jogava no Milan. Trata-se do atacante Gunnar Nordahl, maior goleador da história do rubro-negro de Milão e por cinco vezes artilheiro do Campeonato Italiano.

O início e o ouro olímpico

Nascido no dia 19 de outubro de 1921, na cidade de Hörnefors, na Suécia, Gunnar Nordahl começou a jogar futebol no time da sua cidade, o Hörnefors IF, em 1937. Em três anos no clube, ele marcou 68 gols em apenas 41 jogos. Em 1940, o jogador foi para um clube maior, o Degerfors IF. Na época, o futebol sueco era totalmente amador. Por isso, Nordahl, além de jogar futebol, trabalhava como bombeiro.

Em quatro temporadas atuando pelo Degerfors, o atacante marcou 56 gols em 77 partidas. O bom desempenho fez com que ele fosse chamado para jogar no IFK Norrköping, um dos maiores clubes do país na época. Foi lá que a sua carreira deslanchou de vez. De 1945 a 1948, o time conquistou o tetracampeonato sueco e em todos esses anos Nordahl foi, também, o artilheiro da competição.

Mas foi nos Jogos Olímpicos de Londres, em 1948, que ele entrou de vez para a história do futebol do seu país. A seleção da Suécia conquistou a inédita medalha de ouro, ao derrotar a Iugoslávia na decisão. Nordahl, como de costume, foi o goleador máximo do torneio. Os outros destaques daquela equipe eram o meio-campista Nils Liedholm, companheiro de Nordahl no Norrköping, e o atacante Gunnar Gren, do IFK Gotemburgo. Os três chamaram a atenção do Milan, para onde se transferiram em 1949. Com isso, eles não puderam disputar a Copa do Mundo de 1950, no Brasil, já que a seleção sueca não convocava atletas profissionais. Mesmo sem o trio, a Suécia acabaria aquela Copa em terceiro lugar.

Sucesso na Itália

Ao lado dos compatriotas Liedholm e Gren, Nordahl rapidamente se tornou um dos destaques do Milan. Os três eram tidos como os principais astros da equipe, tanto que aquele trio ficou conhecido como “Gre-No-Li”, que até hoje é uma referência no clube. Nordahl ainda ganharia o apelido de “Pompiere” (bombeiro em italiano, por causa da sua antiga profissão na Suécia).

Na temporada 1949/50, a sua primeira completa na Itália, o atacante foi o artilheiro do Campeonato Italiano, com 35 gols marcados, recorde em um campeonato pelo Milan até hoje. Porém, o título daquele ano foi para a Juventus. O Milan, aliás, não conquistava um scudetto desde 1907. O jejum terminaria em 1951, quando Nordahl foi novamente o goleador da competição, dessa vez com 34 gols. Ele ainda foi o artilheiro da Série A por três vezes consecutivas, entre 1953 e 1955, este último ano novamente com a taça indo para o Milan.

Nordahl deixou o Milan ao final da temporada 1955/56 como o maior artilheiro da história do clube, com 221 gols, marca que pertence à ele até hoje. Ele ainda jogou por dois anos na Roma. No clube da capital o atacante não teve uma passagem marcante, mas marcou mais 15 gols em jogos do Campeonato Italiano, totalizando 225 no total, o que faz dele o segundo jogador com mais gols na história da competição. Ele perde apenas para Silvio Piola, que fez 274 gols.

Após encerrar a carreira, Gunnar Nordahl ainda teve algumas experiências como treinador, sem muito sucesso, na própria Roma, no Degerfors e no AIK, da Suécia. Ele faleceu no dia 15 de setembro de 1995, aos 73 anos.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo