Sem categoria

No Egito, uma questão cultural

A edição de maio da Revista Trivela trouxe uma matéria sobre o fraco desempenho da seleção do Egito nas eliminatórias africanas para a Copa do Mundo. Um contraste quando comparado com a participação dos Faraós na Copa Africana de Nações – o Egito é o maior vencedor da competição, com cinco títulos.

Abaixo, você pode conferir a entrevista completa com a jornalista Sarah Korshid, correspondente do Middle East Times no Cairo e redatora do site IslamOnline.net. Ela explicou um pouco sobre os fatores sociais do futebol no país e a paixão que os egípcios têm pelo esporte.

Qual é a relação que os egípcios têm com o futebol? Tem crescido muito nos últimos anos?
Os egípcios têm se tornado cada vez mais interessados no futebol, especialmente nos últimos quatro, cinco anos. Os jovens, as crianças e até mesmo as mulheres aumentaram muito seu interesse no esporte e têm ido aos estádios acompanhar as partidas, o que não acontecia anteriormente.

Os principais adversários do Egito no continente possuem jogadores atuando na Europa. Já os principais atletas egípcios atuam no próprio país. Como os torcedores lidam com a seleção nacional?
Os egípcios são grandes entusiastas da seleção nacional. Nas ruas do Egito, há um senso comum de orgulho pelas performances da equipe e do Egito como um país. Interessantemente, os egípcios consideram muito o futebol como um assunto nacional. Uma questão patriótica. Os jogadores da seleção egípcia são considerados faros patriotas, que jogam em nome do Egito. O sucesso deles é considerado um sucesso do Egito como uma nação. O futebol vai além simplesmente do esporte, é mais uma questão nacional.

O Egito disputou somente duas Copas do Mundo (1934 e 90). Mesmo assim, existe muita pressão sobre a seleção por bons resultados?
Sim, o futebol sempre foi popular no Egito. Sua popularidade no passado apresentou muitos altos e baixos, e estava relativamente baixa na metade e no final dos anos 90.

O futebol no Egito pode ser encarado também como uma forma de fuga dos problemas do cotidiano?
Alguns analistas acreditam que os egípcios procuram no futebol uma razão feliz e otimista para suas vidas, especialmente pelos avanços que a seleção tem apresentado. Por “razão feliz e otimista”, eles dizem que os egípcios tentam escapar de todos os problemas em torno dele, como a predominante corrupção, a crescente inflação, os insuportáveis congestionamentos no trânsito e as muitas outras dificuldades encontradas em suas vidas. Já outros analistas acrescentam que o Governo, atualmente, está encorajando a seleção nacional e para tentar se aproveitar do sucesso do time e distrair a população egípcia da péssima performance do Governo e da decadente condição de vida do povo.
 

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo