Sem categoria

Guia da Copa Uefa 2008/09 – Grupo E

MILAN

Nome completo: Associazione Calcio Milan
Site: www.acmilan.com
Principais títulos: 4 Mundiais de Clubes, 7 Liga dos Campeões, 2 Recopas, 17 Campeonatos Italianos e 5 Copas Itália
Técnico: Carlo Ancelotti
Principal jogador: Kaká
Como chegou até aqui: Quinto colocado no último campeonato nacional. Eliminou o Zürich, da Suíça, na primeira fase
Estádio: San Siro (82.955 lugares)

O Milan é favorito a qualquer competição da qual faça parte. No entanto, a situação na atual Copa Uefa é ainda mais séria. Depois de sofrer a “humilhação” (para alguns milanistas) de não se classificar para a Liga dos Campeões, os Rossoneri têm obrigação de conquistar o título do torneio que consideram uma consolação. Pior para os adversários, que terão pela frente um time que claramente é de outro nível.

Dos últimos quatro prêmios de melhor jogador do ano concedidos pela Fifa, três estão no Milan (dois com Ronaldinho e um com Kaká). À dupla de craques brasileiros se soma um ataque que tem Shevchenko, Inzaghi e o ainda não-consolidado Alexandre Pato. O meio-campo, um dos mais talentosos e completos do mundo, tem a técnica de Seedorf e Pirlo, o potencial de crescimento de Flamini e a determinação de Gattuso e Ambrosini. A defesa está envelhacida, mas Maldini, Zambrotta, Kaladze e Jankulovski merece respeito, até porque tem o reforço do forte (e não tão técnico) Senderos.

No papel, o time é um dos melhores do mundo. No entanto, há pontos fracos que podem ser explorados pelos adversários. Kaká ainda não está completamente recuperado de contusão. O resto do meio-campo inspira dúvidas, pois Pirlo anda em má fase e Ancelotti precisa descobrir como colocar em campo Ronaldinho – também fora de forma – e Seedorf. No ataque, Shevchenko teve duas temporadas quase sem atuar no Chelsea, Pato dá sinais claros de imaturidade e Inzaghi não tem fôlego para uma seqüência de jogos longa.

A retaguarda também merece atenção. A linha defensiva tem média de idade relativamente alta e, para piorar, o elenco não tem um goleiro que mereça confiança. O titular é Abbiati, que foi dispensado do Atlético de Madrid depois de uma temporada no banco. O problema é que seus reservas são o decadente Dida e o, com o perdão da palavra, frangueiro Kalac.

Esses problemas mostram a vulnerabilidade do Milan. Nada que tire o favoritismo, ainda mais na fase de grupos. Mas dá a chance de se ver alguma surpresa.

HEERENVEEN

Nome completo: Sportclub Heerenveen
Site: www.sc-heerenveen.nl
Principais títulos: nenhum
Técnico: Trond Sollied
Principal jogador: Bonaventure Kalou
Como chegou até aqui: vencedor do playoff holandês para a Copa Uefa. Eliminou o Vitória de Setúbal, de Portugal, na primeira fase
Estádio: Abe Lenstra (26.100 lugares)

O padrão é desconsiderar a força de qualquer equipe pequena da Holanda. A regra será aplicada ao Heerenveen, que, de fato, não á favorito no Grupo E da Copa Uefa. No entanto, é preciso reconhecer que os frísios têm argumentos para brigar no cenário internacional. O que ficou claro com a vitória por 5 a 2 sobre o Ajax na semana passada.

O setor mais forte da equipe é o ataque. O marfinense Bonaventure Kalou, Sibon (membro da seleção holandesa que disputou os Jogos Olímpicos) e o brasileiro Paulo Henrique (ex-Atlético-MG) dão poder de fogo “àquele time da Holanda”. Nos outros setores, os destaques são o defensor sino-holandês Calvin Jong-a-Ping e o meia Danijel Pranjic.

Outra virtude dos frísios é contar com um técnico experiente. O norueguês Trond Sollied já comandou equipes de tradição local como Rosenborg, Olympiacos e Club Brugge. Assim, teve experiência em montar equipes com orçamento mediano para disputar competições internacionais. Um know-how que pode ser muito válido ao time holandês.

BRAGA

Nome completo: Sporting Clube de Braga
Site: www.scbraga.pt
Principais títulos: 1 Copa de Portugal
Técnico: Jorge Jesus
Principal jogador: Wason Rentería
Como chegou até aqui: Um dos vencedores da Copa Intertoto. Eliminou o Artmedia, da Eslováquia, na primeira fase.
Estádio: AXA (30.154 lugares)

No papel, é uma das equipes que menos impressiona do Grupo E. Os minhotos têm um time claramente barato, contratando jogadores brasileiros – e eventualmente alguns de outros países – sem tanto mercado na Europa. Ainda assim, o Braga tem tido resultados relativamente interessantes e pode, ao menos, dar trabalho na Copa Uefa.

As principais figuras do elenco arsenalista estão no ataque. O camaronês Meyong Ze fracassou na Espanha, mas tem crédito em Portugal após ser o artilheiro da Superliga com o Belenenses. Roland Linz é um atacante de recursos técnicos limitados, mas foi importante para o Braga na Copa Uefa 2007/8. Rentería ainda não explodiu na Europa (e a sensação é de que não o fará), mas ainda pode ser visto como jogador com potencial.

Os portugueses mais importantes do elenco estão atrás, com o lateral-direito João Pereira e o zagueiro Frechaut. Para os brasileiros, vale a curiosidade de acompanhar o zagueiro André Leone e o meia Márcio Mossoró. De qualquer modo, é um time que luta apenas para fazer um papel digno e, com sorte, beliscar uma vaga se um favorito bobear.

PORTSMOUTH

Nome completo: Portsmouth Football Club
Site: www.pompeyfc.premiumtv.co.uk
Principais títulos: 2 Campeonatos Ingleses e 2 FA Cups
Técnico: Harry Redknapp
Principal jogador: Peter Crouch
Como chegou até aqui: campeão da última FA Cup. Eliminou o Vitória de Guimarães, de Portugal, na primeira fase
Estádio: Fratton Park (20.688 lugares)

Apesar de não ser um time grande da Inglaterra, é a segunda força do grupo. Os milhões do empresário franco-russo-israelense Alexandre Gaydamak fez do Pompey ym clube relativamente rico. Se não para concorrer com Chelsea e Manchester United, o suficiente para se consolidar no segundo pelotão da Premier League. Assim, a quantidade de jogadores de bom nível no elenco é acima da média da Copa Uefa.

No gol, o Portsmouth tem David James, que recuperou a titularidade na seleção inglesa com a chegada de Fabio Capello. A defesa tem Glen Johnson (ex-Chelsea), Kaboul (ex-Tottenham), Lauren (ex-Arsenal) e o capitão Sol Campbell (ex-seleção inglesa). O meio-campo conta com Lassana Diarra (ex-Chelsea e Arsenal) e Niko Kranjcar, um dos melhores jogadores da Croácia. No ataque, o técnico Harry Redknapp pode usar Kanu (sim, aquele mesmo), Jermain Defoe e Peter Crouch (que é mais útil e inteligente do que muita gente acha).

Resta saber se o torneio será prioridade na temporada do clube. Em caso positivo, o Pompey tem uma base para ir longe na competição. Ainda que tenha sofrido muito mais que o esperado para superar o Vitória de Guimarães na primeira fase.

WOLFSBURG

Nome completo: Verein für Leibesübungen Wolfsburg Fussball
Site: www.vfl-wolfsburg.de
Principais títulos: nenhum
Técnico: Felix Magath
Principal jogador: Zvjezdan Misimovic
Como chegou até aqui: Quinto colocado no último campeonato nacional. Eliminou o Rapid Bucareste, da Romênia, na primeira fase
Estádio: Volkswagen Arena (30.000 lugares)

Nos últimos anos, a Alemanha tem criado uma desagradável tradição de fracassar clamorosamente na Copa Uefa. Mesmo nas raras boas campanhas (Bayern de Munique em 2007/8, Bayer Leverkusen e Werder Bremen em 2006/7), a desclassificação se dá de modo tão contundente que apaga o bom desempenho até aquele momento. Uma situação que deixa o Wolfsburg sob suspeita.

O elenco dos Wölfe não é dos piores. Pelo contrário, há jogadores medianos que, juntos, podem formar um grupo homogêneo e sólido. Casos do goleiro suíço Benaglio, os laterais italianos Zaccardo e Barzagli, os meias Jonathan Santana (argentino-paraguaio), Krzynówek (polonês) e Misimovic (bósnio) e os atacantes Grafite e Ashkan Dejagah.

É um time que pode atrapalhar o Milan e deve brigar como azarão com o Portsmouth pela segunda posição. Mas, se perder pontos tolos, não está imune a qualquer assédio de Heerenveen e Braga.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo