Sem categoria

Guia da 2ª divisão inglesa – Parte II

Nesta semana apresentamos a segunda parte do guia do Championship, a segundona inglesa.

Clique aqui para conferir a primeira parte.

Derby County

Entram:
Lee Croft (Norwich) – meio campo
Shaun Barker (Blackpool) – zagueiro

Saem:
Andy Todd (Perth Glory-AUS) – zagueiro
Mile Sterjovki (Perth Glory-AUS) – atacante
Emanuel Villa (Cruz Azul-MEX) – atacante
Liam Dickinson (Brighton & Holve) – atacante
Lewin Nyatanga (Bristol City) – defesa
Tyrone Mears (Burnley) – lateral direito
Lewis Price (Brentford) – goleiro

Breve Histórico: O Derby County Football Club, em atividade desde 1884, é um dos clubes de maior importância nas ligas da Inglaterra. O clube foi membro-fundador da Football League, tendo ganhado a 1º divisão em duas oportunidades, ambas na década de 70.

Estádio: Pride Park

Técnico: Nigel Clough

Destaque: Kris Commons

Briga: Promoção automática

Uma temporada após ser rebaixado na Premier League em 07/08, o Derby mostrou-se ainda muito abalado pelo fato de ter feito a pior campanha da história da competição. O técnico Paul Jewell, que começou a temporada passada, tinha um elenco forte, porém desacreditado, assim não conseguiu dar continuidade ao seu trabalho. Em dezembro de 2008 a diretoria demitiu o técnico, que, em 25 jogos, conquistou apenas sete vitórias. O time vivia o pesadelo de ser rebaixado duas vezes consecutivas. Para substituir Paul Jewell, a diretoria apostou em Nigel Clough, filho de Brian Clough, que dirigiu a equipe de 1967 a 73, faturando um campeonato inglês. Nigel tinha uma passagem de sucessos pelos “non-leaguers” do Burton Albion, mas não tinha experiências com grandes clubes.

Na estréia de Nigel no comando dos Rams, a equipe conquistou uma grande vitória por 1 a 0, em casa, sobre o Manchester United pela primeira partida semifinal da Carling Cup, com um show à parte de Kris Commons. No segundo jogo o United fez 4 a 2. Ao contrário do que se previa depois da chegada de Nigel, a equipe não conseguiu subir muito na tabela, terminando em 17º. Mas, graças aos bons jogos que fez pelas copas nacionais, a equipe recuperou a confiança e passou a mostrar um futebol mais atrativo.

Para a temporada os Rams perderam algumas peças importantes, como o defensor Nyatanga, mas souberam repor e, trouxeram Shaun Barker, destaque do Blackpool na última temporada. Nigel fará sua primeira temporada completa com a equipe, e o elenco é um dos mais fortes da competição. Com a confiança que o novo técnico trouxe, espera-se um time forte para brigar pela ponta.

Atual Elenco: Gol: Roy Carrol e Stephen Bywater; Defesa: Paul Connoly, James McEvely, Jordan Stewart, Dean Leackock, Claude Davis, Miles Addison, Martin Albrechtsen, Mitchell Hanson, Jason Beardsley, Mark Dudley, Mark O’Brien, Jake Buxton e Dean Moxey; Meio de Campo: Lee Croft, Stephen Pearson, Ruben Zadkovich, Gary Teale, Giles Barnes, Robbie Savage, Kris Commons e Paul Green; Ataque: Rob Hulse, Luke Varney, Steve Davies e Chris Porter;

Pitaco: O Derby poderia ser considerado candidato ao título, não fosse a presença de Newcastle e do Boro, mas visto pelo ponto de que o Newcastle vive incertezas em quanto ao novo dono e quem será o técnico, não custa nada sonhar.

Coventry City

Entram:
Sammy Clingan (Norwich City) – volante

Saem:
Scott Dann (Birmingham City) – zagueiro
Daniel Fox (Celtic-ESC) – lateral esquerdo

Breve Histórico: O Coventry City Football Club foi fundado em 1883. Desde a temporada 2000/01, quando caiu, o clube não disputa o primeiro nível do futebol inglês. O clube foi rebaixado após passar 34 temporadas seguidas na primeira divisão. Sua melhor classificação neste período foi em 1969/70, terminando o campeonato na sexta colocação.

Estádio: The Ricoh Arena, aberta em 2005 com capacidade para 32.609 pessoas, na temporada passada teve média de 17.407 por jogo.

Técnico: Chris Coleman

Destaque: Clinton Morrinson

Briga: Metade de cima da tabela

Na temporada passada o Coventry praticamente não brigou por nada no Championship. Não fosse boa campanha na FA Cup, quando o clube só foi eliminado nas quartas de final pelo Chelsea, a temporada passaria em branco para os SkyBlues. Para esta temporada o clube só contratou o volante, da seleção norte-irlandesa, Sammy Clingan. Perdeu duas peças importantes, Daniel Fox, lateral esquerdo que jogou 39 das 46 partidas que o clube disputou na liga, e o zagueiro Scott Dann, que fez uma boa temporada 08/09, sendo titular em 31 oportunidades.

Fazendo um balanço, a equipe entra no Championship desta temporada mais fraca que na anterior, o clube aposta na recuperação do artilheiro Eastwood, que só marcou 4 gols na última temporada, ao contrário do que fez no Southend United antes de ser contratado pelos SkyBlues, quando marcou 11 vezes. Se repetisse o feito na ultima temporada, terminaria como artilheiro da equipe.

Atual Elenco: Gol: Keiren Westwood e Daniel Ireland; Defesa: Stephen Wright, Marcus Hall, Elliot Ward, Ben Turner, James McPake, Jordon Clarke e Curtis Wynter; Meio campo: Ashley Cain, Sean Fraser, Adam Walker, David Bell, Isaac Osbourne, Aron Gunnarsson e Michael Doyle; Ataque: Leon Best, Freddy Eastwood, Leon McKenzie e Clinton Morrinson;

Pitaco: Chris Coleman tem um elenco razoavelmente bom nas mãos. Se Eastwood, antigo artilheiro do Southend, fizer os gols que dele se espera, o time deve ir bem.

Blackpool

Entram:
Jason Euell (sem clube) – meio campo

Saem:
David Fox (Colchester United) – meio campo
Shaun Barker (Derby County) – zagueiro
Joel Lynch (Nottingham Forest) – zagueiro

Breve Histórico:
Fundado em 1877, o Blackpool Football Club – Tangerines, como são apelidados pelo seu uniforme laranja -, totaliza 27 participações na primeira divisão sem ganhar nenhuma.

Estádio:
Bloomfield Road tem capacidade para 9.650. Na temporada passada, teve média de 7.863 fãs por partida.

Técnico:
Ian Holloway

Destaque:
Keith Southern

Briga:
Rebaixamento

Quando o clube inesperadamente conseguiu a promoção ao Championship em 2006, depois de seis anos na terceira divisão, tudo indicava que eles cairiam na temporada seguinte. Sem uma equipe competitiva para os padrões do Championship, o time se superou e conseguiu permanecer por mais um ano, terminando a temporada 07/08 na 19º colocação, duas colocações acima da zona do rebaixamento.

Na temporada passada, também foi cotado para ser rebaixado, e mais uma vez surpreendeu e, dessa vez, mostrando certa evolução, ficou na 16º colocação. Mais uma vez a equipe começa a temporada candidata ao rebaixamento. Sem o técnico Simon Grayson, que subiu com a equipe e foi responsável pela sua permanência no Championship, será mais complicado evitar a degola. A equipe conta, para esta temporada, com o ex-técnico do Leicester, Ian Holloway, mas desta vez será difícil surpreender e permanecer no Championship.

Atual Elenco: Gol: Paul Rachubka, Mark Halstead e Matthew Gilks; Defesa: Danny Coid, Stephen Crainey, Shaun Barker, Ian Evatt, Alex Baptiste e Ashley Eastham; Meio de Campo: Joe Martin, David Vaugham, Keith Southern; Ataque: Billie Clarke, Stephen McPhee, Ben Burgess, Brett Ormerod, Gary Taylor-Fletcher e Danny Mitchley;

Pitaco: Com pouquíssimas opções para o meio campo, o Blackpool, que se superou nas últimas temporadas ficando longe do rebaixamento, não fez contratações. Assim fica difícil não segurar a lanterna.

Crystal Palace

Entram:
Darren Ambrose (Charlton Athletic) – meio campo
Freddy Sears (West Ham) – atacante

Saem:
Scott Flinders (Hartlepool United) – goleiro
Paul Iffil (Wellington Phoenix-AUS) – atacante
Rhoy Wiggins (Norwich City) – lateral esquerdo
[Carl Fletcher (Plymouth) – meio campo]

Breve Histórico: O Crystal Palace Football Club foi fundado em 1905 no sul de Londres, tendo sua última participação no “Top Flight” na temporada 03/04. O clube nunca ganhou um título da 1º divisão.

Estádio: Com capacidade para 26.309 torcedores, o Selhurt Park recebeu, em média, 15.220 por jogo.

Técnico: Neil Warnock

Destaque: Nick Carle

Briga: Metade de cima da tabela

O Crystal Palace não brigou por boas posições na ultima temporada. Ao contrário dos últimos anos, o clube ficou na parte inferior da tabela de classificação, porém não chegou a lutar contra o rebaixamento. Para esta temporada o clube manteve a base titular da última temporada, mas não será o suficiente para um clube que pretende brigar por uma vaga nos play-offs. A concorrência está muito forte esta temporada e o clube não mostra que pode evoluir. Sendo assim, Neil Warnock, que pode se aposentar no fim da temporada, deverá ter trabalho para terminar bem sua carreira como técnico.

Atual Elenco: Gol: Julian Speroni; Defesa: Matthew Lawrence, Clint Hill, Patrick McCarthy, José Fonte, Lee Hills, Johannes Ertl e Nathanial Clyne; Meio Campo: Kieron Cadogan, James Comley, Kieran Djiliali, Nathanial Pinney, Neil Danns, Victor Moses, Nick Carle, Shaun Derry; Ataque: Alan Lee, Sean Scannell, Simon Thomas, Calvin Andrew, Rui Fonte, Shefki Kuqi e Freddy Sears;

Pitaco: O clube não dá sinais de evolução, mas conta com Neil Warnock, que já subiu de divisão com cinco equipes diferentes. Em seu último ano como técnico de futebol, o principal reforço do Crystal Palace será a motivação de um técnico experiente e acostumado a subir de divisão.

Doncaster Rovers

Entram:

Saem: Richie Wellens (Leicester City) – meio campo

Breve Histórico: Tendo surgido em 1879, o Doncaster Rovers Football Club nunca disputou a primeira divisão do futebol inglês.

Estádio: Keepmoat Stadium tem capacidade para 15.231 espectadores e, na última temporada, recebeu 11.964, em média, por jogo.

Técnico: Sean O’Driscoll

Destaque: Matthew Mills

Briga: Rebaixamento

A última temporada foi muito boa para o Doncaster. Era considerado candidato ao rebaixamento, porém a equipe foi crescendo no decorrer da temporada e deixou as últimas posições da tabela de classificação, chegando ao ponto chave da campanha, quando, em disputa pelas quartas de final da FA Cup, empataram em casa com o Aston Villa em um jogo sem gols. No replay o time deu trabalho, mas foi eliminado por 3 a 1 no Villa Park. A equipe terminou a temporada na 14ª colocação.

Sem ter mudado nada no elenco para esta temporada, a não ser a saída do bom meia Richie Wellens, os Vikings adquiriram experiência. O elenco está bem entrosado para o seu segundo ano consecutivo na segundona. O clube não disputava este nível desde a temporada 1949/50.

Atual Elenco: Gol: Neil Sullivan, Benjamin Smith e Gary Woods; Defesa: Charles Fisher, Sam Hird, Sean McDaid, Adam Lockwood, James Chambers, Matthew Mills, Jos van Nieuwstadt, Gareth Roberts e James O’Connor; Meio de Campo: Brian Stock, John Spicer, Mark Wilson, Martin Woods, Stuart Elliot, James Coppinger e Robert Clarke; Ataque: Wade Fairhurst, Dean Shiels, Paul Heffernan, James Hayter, Steve Brooker e Lewis Guy;

Pitaco: O Doncaster não terá a mesma facilidade que teve na última temporada, brigará para não cair, porém o clube deve segurar resultados em casa e se garantir em mais uma temporada no Championship, fazendo a alegria dos torcedores. O torcedor mais novo que viu o time na segundona tem sessentinha, imagine o mais velho!

Watford

Entram:
Scott Severin (Aberdeen-ESC) – meio campo
Danny Graham (Cralisle United) – atacante
Jure Travner (NK Celje-SVK) – lateral esquerdo

Saem:
Lee Willianson (Sheffield United) – meio campo
Theo Robinson (Huddersfield Town) – atacante

Breve Histórico: Watford Football Club foi fundado em 1881. Sua última participação na primeira divisão foi há quatro temporadas, quando terminou em último lugar com o pior ataque da competição. Teve o seu auge nos anos 80, quando, alavancado pelos investimentos de Elton John, fã declarado da equipe, terminou a temporada 82/83 como vice-campeão inglês sob comando de Graham Taylor, que ficou famoso por levar a equipe da quarta divisão à primeira em apenas cinco anos.

Estádio: Vicarage Road, capacidade para 17.000 espectadores, recebeu uma média de 14.858 na temporada passada.

Técnico: Malcolm Mackay

Destaque: Tommy Smith

Briga: Metade de cima da tabela

O Watford freqüentou bastante a zona do rebaixamento na última temporada. Tudo indicava que os Hornets seriam mais uma vítima da crise que abala os ex-clubes da Premier League, que ao cair da primeira para a segunda, sentem, a médio prazo, a falta que o dinheiro da PL faz, e ainda contando com um elenco caro para os padrões, encontram dificuldades para subir imediatamente, adquirindo dívidas a cada temporada até quebrar. Bons exemplos desta crise são Charlton, Southampton e Norwich, que caíram para a terceirona na última temporada depois de terem sido relegados da Premier League. O Watford teve uma boa evolução, e espantou a crise, vencendo 8 dos 14 jogos finais do Campeonato, se livrou da zona do rebaixamento e terminou a temporada em 13º lugar.

Para a temporada, os Hornets fizeram três contratações, com destaque para Scott Severin, ex-seleção escocesa. O técnico Malcky Mackay ainda conta com o elenco que teve um bom fim de campeonato na temporada passada, e a torcida espera que Tommy Smith repita o feito da última temporada, quando marcou 17 gols, para que possam brigar por play-offs.

Atual Elenco: Gol: Scott Loach, Richard Lee e Bo Antal; Defesa: Eddie Oshodi, Lee Hodson, Jordan Parkes, Robert Kiernan, Mathew Sadler, Mike Williamson, Dele Bennet, Jon Harley, Lloyd Doyley, Jay DeMerit, Adrian Mariappa e Jure Travner; Meio Campo: Scott Severin, Don Cowie, Tommy Smith, Jobi McAnuff, John-Joe O’Toole, Michael Bryan, Billy Gibson e Ross Jenkins; Ataque: Lewis Young, Marvin Sordell, Nathan Ellington, Liam Henderson, Will Hoskins, Danny Graham e Tomas Priskin;

Pitaco: O Watford tem um elenco regular, e deve fazer uma temporada também regular. Sem altos e baixos, a equipe deve terminar a temporada na metade de cima da tabela.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo