Eu sou Ibrahimovic, o sabotador

O reinado de Ibrahimovic no Vig Vrother Bárzea começou impiedoso. Após vencer a prova, o sueco foi premiado com o direito de assistir ao clássico entre Milan e Juventus no quarto do líder – consolação depois de ter esbofeteado Aronica. E Ibra não gostou nada do que viu. O gol legítimo de Muntari foi o mínimo. O pior era ver o genro do presidente ocupando a sua posição. Um pato que até Chiellini conseguiu marcar. Se não tivesse compromissado com um catalão alto e loiro, o narigudo até exigiria usar as joias de Bárbara Berlusconi ou participar dos “bunga bunga” de Silvião. Sabe-se lá de que lado da história.

Como resultado, Ibra passou a sabotar os outros vrothers. Colocou água que passarinho bebe no barril de carvalho de Adriano. Trocou o cd de cúmbia por um do Oasis no rádio de Carlitos Tevez. Deu anotações da prancheta de Papai Joel a Mourinho, dizendo que poderia ajudar contra o Rayo Vallecano. Escreveu uma carta falsa de demissão de André Villas-Boas e entregou a Terry. Escondeu o alvo de dardos de Balotelli.

Tiros pela culatra. Sóbrio como a muito tempo não se via, Adriano marcou o seu primeiro gol no ano. Carlitos voltou a conquistar a torcida do Manchester City com o novo estilo musical. O Real Madrid não sobrou, mas venceu o dérbi com o Rayo. Sem Terry no vestiário, o Chelsea voltou a vencer com propriedade – ainda que contra o “poderoso” Bolton. E, esquecendo-se dos dardos para pensar na bola, Balotelli nem precisou olhar para o gol ao anotar seu gol sobre o Blackburn. Não fosse a imunidade ganha pela liderança, Ibra tinha ido para o paredão.

No início da votação, o anjo José Mourinho deu a imunidade para Carlitos Tevez, talvez pensando em uma maneira de engordar ainda mais o ataque do Real Madrid. Sem o argentino para fuzilar, Ibrahimovic atacou outro jogador do Manchester City: Mario Balotelli era o seu indicado ao paredão. O sueco achou fofa a homenagem do bambino após o gol no sábado, mas preferiu se prevenir. Ele não aprovava declarações públicas às “marias chuteiras” e o voto foi sua arma para barrar a moda.

Já o restante vrothers tinha seu favorito para sair: John Terry. Tevez, Mourinho, Balotelli e Adriano votaram no beque. Se já era chato quando podia entrar em campo, o bad boy se tornou insuportável depois que trocou a chuteira pelo chinelinho, após sua última contusão. Não lavava a louça, arrumava a cama ou cozinhava, alegando estar contundido. A falta de participação queimou o inglês muito mais que os seus fuxicos nos vestiários.

Balotelli ou Terry? E aí, quem será o próximo eliminado no Vig Vrother Bárzea? A votação já está aberta na home da Trivela. O resultado sai na terça-feira.

Observação: Não entendeu nada? Então clique aqui e conheça o regulamento e os participantes do Vig Vrother Bárzea, o primeiro unreality show do futebol mundial.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo