Sem categoria

“Eu me senti um herói”

Autor de um dos gols mais bonitos do Campeonato Português, a bicicleta do zagueiro Anderson do Ó nos acréscimos arrancou um empate heróico para o Vitória de Setúbal contra o Benfica no Estádio da Luz, mês passado. Os ‘sadinos’ lutam para sair das últimas posições da tabela e o ex-defensor do Vasco da Gama fala à Trivela como está sendo sua experiência em terras lusitanas depois de duas temporadas no futebol grego. 

Existiram dificuldades para se adaptar ao futebol português?
Nenhuma. Aqui as coisas são bem mais fáceis: mesma língua e futebol bem mais jogado com a bola no chão.

Qual foi a sensação de marcar um gol contra o Benfica no finalzinho?
Naquele momento que a bola entrou eu me senti um herói, todo mundo me abraçando, comemorando, foi espetacular aquele gol, uma bicicleta certeira.

Como é o treinador Daúto Faquirá?
Uma excelente pessoa, de bom caráter, um bom pai mesmo, sabe levar os jogadores de forma natural.

A realidade do Vitória de Setúbal é boa?
Não estamos passando por um momento muito bom no aspecto financeiro. Os salários não estão em dia, há atrasos em alugueis dos jogadores, mas falam que aqui se cumpre tudo…

José Mourinho e o pai dele tem raízes aí no Vitória. Ainda se fala muito deles no clube?
Nunca ouvi falar deles aqui dentro, mas teve um jogo onde dois dos adjuntos de Mourinho estavam assistindo.

Em Portugal a disputa é muito restrita entre Porto, Benfica e Sporting. Você tem sentido que é quase impossível mudar isso?
Há muitos anos sim, mas nessa temporada estou vendo que alguma coisa pode vir a mudar. Até a 10ª rodada o Leixões era o líder. Podemos ter alguma incerteza nesse aspecto.

Quais os jogadores que mais te impressionaram pela qualidade em Portugal? Suazo, do Benfica, foi o atacante mais difícil que você marcou aí?
O que mais me impressionou foi o Luisão, gosto muito do futebol dele, que está muito bem aqui no Benfica. O Suazo é um excelente jogador, muito rápido, bom finalizador. Foi bem difícil de marcar, sim.

O Vitória pretende brigar por uma vaga na Copa Uefa ou a permanência é o bastante?
Sobre disputar uma vaga na Uefa, acho que na 1ª fase neste ano não fomos muito felizes, mas temos que continuar buscando os resultados pra chegar a Uefa novamente. Mas o pensamento é sempre o de se manter na 1ª divisão.

Em Portugal se joga um futebol muito diferente da Grécia?
Com certeza é bem diferente. Aqui o futebol é jogado com a bola no chão.

Você ficou triste pela queda do Vasco? Teve propostas para voltar ao Brasil?
É sempre ruim ver um clube de tradição na 2ª divisão. Não tive proposta nenhuma para voltar, mas se tiver quem sabe eu possa retornar, é um caso a se pensar.

Alguns jogadores brasileiros contam que mulher bonita em Portugal é meio raro, você concorda?
É verdade mesmo, muito raro ver alguma, mas já tenho a minha comigo, então isso não é um problema para mim (gargalhada).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo