Sem categoria

Estônia tenta surpreender, Irlanda tenta voltar à Eurocopa

Nome das federações: Eesti Jalgpalli Liit x Football Association of Ireland
Participações na Eurocopa: 0x1 (1988, 1ª fase)
História de confrontos: 2J, 2V da Irlanda
Destaques: Joel Lindpere x Robbie Keane
Palpite da redação: Estônia 1×5 Irlanda

Entre as 53 seleções filiadas à Uefa, 21 deles nunca disputou uma grande competição )leia-se Eurocopa ou Copa do Mundo). A Estônia é uma delas. A pequena seleção do leste europeu tem a chance de chegar à sua primeira competição oficial, a Eurocopa de 2012. Para isso, precisa passar pela Irlanda, na repescagem, em dois confrontos que começam nesse dia 11, sexta-feira.

Na primeira fase das eliminatórias, a Estônia acabou em segundo lugar no Grupo C com 16 pontos, atrás apenas da Itália, com 26. O time derrubou a Sérvia, país também do leste europeu, mas com muito mais tradição no futebol, além de Eslovênia, Irlanda do Norte e Ilhas Faroe.

O time é modesto, conta com um grupo de jogadores pouco conhecidos. O nome mais ressonante talvez seja Joel Lindpere, jogador do New York Red Bulls, que tem 30 anos.  Ragnar Klavan é outro que alguns podem conhecer. O zagueiro do AZ é um dos poucos que atua em uma grande liga, junto com o defensor Rio Piiroja, que joga no Vitesse. No mais, alguns jogadores que atuam na Rússia, como Konstantin Vassijev, do Amkar Perm, que fez os dois gols da classificação.

O jogo contra a Irlanda, nesta sexta, em Tallin, deve ser o mais importante da recente história da seleção desde a independência do país, em 1991. Será também uma rara chance de jogar no estádio Le Coq Arena lotado, com dez mil ingressos vendidos.

Para a Irlanda, será a chance de chegar novamente a uma grande competição. Na repescagem para a Copa do Mundo de 2010, contra a França, a eliminação na prorrogação com o gol ilegal de William Gallas, após toque claro de mão de Thierry Henry. O time, porém, tem jogadores que atuam majoritariamente na Inglaterra, com mais experiência internacional do que os rivais.

Na Irlanda, quem deve comandar o ataque é o veterano atacante Robbie Keane. O jogador do Los Angeles Galaxy deve formar o ataque ao lado de Shane Long. O técnico Giovanni Trapattoni não poderá contar com Kevin Doyle, machucado.

O assistente técnico Marco Tardelli afirmou que esse será o “jogo da vida” da maioria dos jogadores do elenco irlandês. “Se um jogador joga bem em um campeonato e talvez ele jogue bem na Eurocopa, é possível assinar um novo contrato ou jogar na Premier League ou outro país”, disse o italiano, assistente de Trapattoni.

O problema para a Irlanda é que o time, embora mais experiente, falta um jogador decisivo. Robbie Keane, embora seja um nome conhecido do elenco, já não tem o mesmo desempenho de anos anteriores.

Os irlandeses contam com a fragilidade da defesa estoniana – que foi vazada em todos os dez jogos da fase de classificação. Será a sexta vez que a Irlanda joga uma repescagem, sendo que perdeu quatro e ganhou uma das anteriores. Esta será a primeira vez, porém, que a seleção irlandesa decidirá o confronto em casa.
 

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo