Sem categoria

Começa fase final das Eliminatórias africanas

Neste sábado, às 10h00, a partida entre Quênia e Tunísia, em Nairobi, marcará o pontapé inicial na fase final das Eliminatórias da Zona Africana para a Copa do Mundo de 2010. O sistema de disputa será em cinco grupos, formados por quatro seleções cada um. As seleções de cada grupo jogarão entre si, com os vencedores das cinco chaves unindo-se à África do Sul, país-sede, como representantes do continente no Mundial.

No grupo A, o destaque é a estreia de Camarões, também neste sábado. Tentando regressar a uma Copa após a ausência em 2006, a equipe comandada pelo alemão Otto Pfister atuará completa, iniciando contra Togo (equipe treinada por Pfister na Copa de 2006). Os togoleses, por sua vez, têm dúvidas sobre a presença de sua maior estrela: lesionado na perna desde fevereiro, o atacante Emmanuel Adebayor ainda não está confirmado na escalação do técnico belga Jean Thissen. Além disso, devido a uma punição, a partida será disputada em campo neutro, na cidade ganense de Accra.

A Nigéria, por sua vez, jogará fora de casa, no domingo, contra Moçambique, pelo grupo B. As Super Águias terão como destaque a volta do atacante Obafemi Martins, que não participara das primeiras partidas das Eliminatórias por estar contundido. O desfalque para o treinador Shaibu Amodu armar o time é o lateral Joseph Yobo, lesionado na coxa. Seu substituto será, provavelmente, Rabiu Afolabi. Os moçambicanos não trouxeram muitas mudanças na convocação: a única alteração foi a volta do lateral-esquerdo Paito, ausente dos dois últimos jogos.

O grupo C conta com o Egito. Esperando conseguir a vaga para o que seria a terceira participação num Mundial, o time de Hassan Shehata estreará no domingo, jogando no Cairo, contra Zâmbia, e terá força máxima, com destaque para o meia Mohamed Aboutrika e o atacante Ahmed Hassan. Em Zâmbia, o técnico francês Herve Renard chamou dois atletas há muito longe da seleção: o zagueiro Edwin Phiri e o meia Misheck Lungu, que estiveram pela última vez no time em 2005.

A seleção de Gana também começará sua campanha, no grupo D, jogando em casa contra o Benin. Recuperado de grave lesão no ligamento cruzado anterior do joelho, o volante Michael Essien foi convocado e estará na escalação do sérvio Milovan Rajevac, unindo-se a Stephen Appiah e Sulley Muntari no meio-campo, enquanto que o atacante Rahim Ayew, filho de Abedi Pelé, pode receber uma chance no ataque. Do lado beninense, o meia Pascal Angan e os zagueiros John Glele e Reda Johnson foram convocados pela primeira vez, e a aposta continua sendo nos gols de Razak Omotoyossi, vice-artilheiro das Eliminatórias, com 6 gols, empatado com Samuel Eto’o.

Finalmente, o grupo E parece contar com o cenário mais equilibrado. A princípio, o favoritismo está com a Costa do Marfim. No entanto, o treinador Vahid Halilhodzic contou com dificuldades na convocação do elenco que estará presente contra Malauí, em Abidjan. Contundido, o volante Yaya Touré, do Barcelona, nem foi chamado. Seu provável substituto é Cheikh Tioté, do Twente, convocado pela primeira vez por Halilhodzic. A seleção de Burkina Fasso estreará, por sua vez, contra Guiné, contando com a boa fase de Moumouni Dagano, artilheiro das Eliminatórias, com 7 gols.

Eliminatórias Asiáticas

Pelo Grupo A da Fase Final, em Saitama, o Japão tenta aproveitar a ausência da seleção australiana (líder da chave, com 10 pontos), que só volta a campo na próxima quarta-feira, para tomar a ponta. O time de Takeshi Okada enfrentará, sábado, o Bahrein, terceiro colocado, com quatro pontos. Já o Catar, empatado em pontos com os barenitas, irá a Tashkent enfrentar o Uzbequistão, último colocado.

As maiores emoções, porém, estão no Grupo B. A líder Coreia do Sul folga, mas Coreia do Norte, Irã e Arábia Saudita, envolvidos na briga pelo segundo lugar, atuam neste sábado. Em terceiro lugar, com seis pontos, os iranianos podem assumir a liderança caso vençam o confronto direto contra os sauditas (em 4º, com quatro pontos), em Teerã, e os norte-coreanos empatem ou percam. Vice-líderes, com 7 pontos, os Cholima têm, contudo, uma tarefa mais fácil: em Pyongyang, enfrentam os Emirados Árabes Unidos, lanternas da chave.

Eliminatórias da CONCACAF

Tudo ou nada. Esse é o clima no México, em quinto lugar, que enfrentará a Costa Rica, líder do Hexagonal final que definirá as vagas na Copa. Após a derrota na estreia para os Estados Unidos, por 2 a 0, em fevereiro, La Tri enfrentará os Ticos no estádio Azteca, sob pressão por uma reação. Um novo tropeço aumentaria as possibilidades de demissão do treinador sueco Sven-Goran Eriksson da seleção.

Na terceira colocação, Trinidad e Tobago jogará, em Port of Spain, contra Honduras, que, derrotada na primeira partida do Hexagonal, sofreu duro golpe com a lesão que tirou da partida seu principal jogador, o atacante David Suazo. Em segundo lugar, mas com a mesma pontuação dos costarriquenhos, os Estados Unidos vão a San Salvador enfrentar El Salvador, na quarta posição.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo