Sem categoria

Chelsea recebe Man Utd em busca de afirmação na LC

A quarta-feira terá o único confronto local na Liga dos Campeões. O Chelsea recebe o Manchester United no Stamford Bridge e tem como objetivo finalmente chegar ao sonhado título europeu, ainda inédito para o clube.

A competição continental é o maior sonho de Roman Abramovich, dono do clube, que foi capaz de gastar muito na janela de transferências de janeiro para reforçar o elenco dos Blues. O mais caro jogador da história do mercado interno da Inglaterra, Fernando Torres, poderá entrar em campo. Já David Luiz, outro contratado em janeiro, não pode jogar – já atuou pelo Benfica na fase anterior.

Além de David Luiz, o técnico Carlo Ancelotti não deve ter outros problemas. Sem o zagueiro brasileiro, José Bosingwa deve atuar na lateral direita enquanto Branislav Ivanovic joga no centro da zaga ao lado de John Terry, com Ashley Cole na lateral esquerda. Michael Essien, Ramires e Frank Lampard compõem o meio-campo, com Florent Malouda, Nicolas Anelka e Fernando Torres no ataque.

Apesar da badalação, Torres ainda não conseguiu marcar uma só vez com a camisa azul. Petr Cech, goleiro dos Blues, manifestou apoio ao atacante e Ancelotti mostra confiança continuando a escalar o jogador como titular, sendo que muitas vezes quem fica no banco é Didier Drogba.

Pelo lado do United, Alex Ferguson tem problemas principalmente na defesa. O técnico deve escalar o time com o lateral brasileiro Fabio na direita – o seu irmão Rafael está machucado, assim como John O’Shea e Wes Brown.

No centro da zaga, Nemanja Vidic é presença certa. Rio Ferdinand, machucado desde 5 de fevereiro, treinou com o time e pode retornar antes do esperado e sair jogando. Se ele não tiver condições, Chris Smalling é a opção no banco. Patrice Evra joga na lateral esquerda. No meio-campo, os mais cotados para começarem a partida são Antonio Valencia, Paul Scholes, Michael Carrick e Nani. No ataque, Wayne rooney e Chicharito Hernández devem ser os titulares.

“Nós obviamente conhecemos o Chelsea muito bem e eles nos conhecem muito bem também, então nenhum dos times terá muita vantagem nisso”, disse Michal Carrick. “Talvez os gols fora de casa tenham um papel importante. Nós temos forças e fraquezas diferentes em relação a eles, mas nós conhecemos tão bem um ao outro que iremos descobrir pouco agora. Por isso, acho que o jogo será muito duro”, afirmou ainda o volante.

Apesar de estar vivo em três frentes na temporada (FA Cup, Campeonato Inglês e Liga dos Campeões), o meio-campista admite que o United ainda não conseguiu mostrar o seu melhor futebol. “Eu não acho que nós atingimos o nível que esperávamos, mas tivemos bons resultados e defensivamente estivemos muito bem”, disse. “O equilíbrio tem sido bom, mas enquanto queremos marcar mais gols, a questão é sobre ganhar e avançar à próxima fase. Espero que possamos continuar com esse equilíbrio”, afirmou.

A afirmação de Carrick não é à toa: o Manchester United tem a melhor defesa da Europa, em número de gols sofridos, na Liga dos Campeões. Foram apenas dois gols marcados contra os Red Devils até aqui.

Os dois times se enfrentaram na final da Liga dos Campeões de 2007/08, quando o United levantou a taça em cobranças de pênaltis. Foi o mais perto que o Chelsea chegou do título. Desta vez, a intenção é acabar com a fila e chegar à final, no estádio de Wembley.

Barcelona encara surpreendente Shakhtar

Um dos maiores favoritos da Liga dos Campeões – se não for o maior favorito – é o Barcelona. Entre os oito que sobraram na competição, talvez o mais surpreendente é o Shakhtar Donetsk, time ucraniano que conta com nada menos do que seis brasileiros e que passou como um trator pela Roma nas oitavas de final.

Dos seis brasileiros, quatro devem começar a partida desta quarta-feira no Camp Nou: Douglas Costa, Jádson, William e Luiz Adriano. Isso sem contar com Eduardo da Silva e Marcelo Moreno. Fernandinho e Alex Teixeira podem ir para o banco de reservas.

No Barcelona, Pep Guardiola tem o desfalque do defensor Eric Abidal. Com isso, Adriano deve jogar ali e no centro da zaga o volante Sergio Busquets joga improvisado ao lado de Gerard Piqué. Com isso, Javier Mascherano joga no meio. Andrés Iniesta e Xavi completam o meio-campo, com Lionel Messi, Pedro e David Villa no ataque.

“Apesar de todo mundo pensar que será uma eliminatória fácil, eu acho que será difícil, pelo fato de que o Shakhtar é um time que gosta de jogar. Então será uma eliminatória muito aberta. Espero possamos dar um passo importante para o jogo de volta, pois é aonde vai se decidir tudo e se tivermos uma vantagem será muito melhor. Precisamos estar muito concentrados neste jogo para dar um passo importante na eliminatória e no jogo de volta”, disse Daniel Alves, titular da lateral direita.

O lateral direito do Shakhtar, Darijo Srna, mostrou respeito ao Barcelona, mas deixou claro que tudo é possível em um confronto eliminatório. “Tudo é possível. Mas não podemos esquecer quem são os adversários. Nós somos um time forte, mas o Barcelona é o melhor time do mundo – um dos melhores da história, na minha opinião. Nós temos que jogar o melhor que pudermos, mas as chances são 50% a 50% antes de começar a partida”, disse o croata, capital do Shakhtar.

O problema para o Barça é que Messi declarou nesta terça-feira que ainda não se sente em suas melhores condições físicas. Ainda assim, o atacante é o jogador mais perigoso dos Blaugranas. Ele marcou em 25 das últimas 30 partidas da Liga dos Campeões.

Confira a programação de TV para saber os horários e os canais que transmitirão as partidas no Brasil.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo