Sem categoria

Chelsea avança com drama; Barça, tranquilo

Chelsea e Barcelona se classificaram nesta terça-feira e vão se enfrentar em uma das semifinais da Liga dos Campeões. Os Blues conquistaram a vaga em um empate dramático por 4 a 4 com o Liverpool, em Stamford Bridge. O time de Guus Hiddink havia vencido por 3 a 1 fora de casa, mas por duas vezes esteve a um gol da eliminação. Para o Barça, a noite foi mais tranquila: com vantagem de 4 a 0 conquistada no Camp Nou, o time blaugrana foi à Allianz Arena e ficou no 1 a 1.

O Barcelona será mandante do primeiro jogo da semifinal. O outro confronto será conhecido nesta quarta-feira, quando se enfrentam Porto e Manchester United (2 a 2 na ida), Arsenal e Villarreal (1 a 1). As partidas de ida serão nos dias 28 e 29 de abril, e a rodada de volta uma semana depois.

Chelsea leva sustos, mas se classifica

O Liverpool entrou em campo com uma tarefa difícil, especialmente pela ausência do capitão Steven Gerrard, vetado com uma lesão no tornozelo. Mas os Blues pareciam muito seguros da vantagem e permitiram que os visitantes fossem superiores desde o início da partida.

Aos 19 minutos, uma falha de Petr Cech permitiu ao Liverpool abrir o placar, em cobrança de falta de Fábio Aurélio. Esperando cruzamento na área, o goleiro tcheco deixou o canto esquerdo aberto e o brasileiro bateu direto, fazendo 1 a 0. O segundo gol, aos 29 minutos, também surgiu através de uma falta de Fábio Aurélio. Desta vez, o lateral levantou para a área e Xabi Alonso sofreu pênalti ao ser puxado por Branislav Ivanovic – destaque com dois gols no jogo de ida.

O Chelsea ainda estava em vantagem, mas apenas pelos gols fora de casa, e Guus Hiddink respondeu com uma alteração ainda no primeiro tempo, colocando o francês Nicolas Anelka no lugar de Salomon Kalou.

O panorama da partida mudou na segunda etapa. Depois de sair para o intervalo vaiado por sua torcida, o Chelsea tomou a iniciativa e foi buscar o primeiro gol logo aos 6 minutos. Desta vez, foi a vez de Pepe Reina falhar. Anelka cruzou rasteiro da direita e o leve desvio de Didier Drogba pareceu surpreender o goleiro espanhol, que empurrou a bola contra as próprias redes.

Aos 12 minutos, o Chelsea chegou ao gol de empate. Alex soltou uma bomba em cobrança de falta, forte e com efeito, e deixou tudo igual no placar, obrigando o Liverpool a marcar mais duas vezes para evitar a eliminação. O técnico Rafa Benítez, então, mandou o meia Albert Riera a campo no lugar de Javier Mascherano.

Com espaços para jogar no campo do adversário, o Chelsea ampliou sua vantagem no confronto aos 31 minutos. Michael Ballack roubou a bola na intermediária e passou para Drogba, que invadiu a área e cruzou rasteiro para a conclusão de curta distância de Frank Lampard. Os Reds pareciam até conformados com a eliminação, como dava a entender a saída de Fernando Torres para a entrada do francês David N'gog, mas o duelo permanecia aberto.

Aos 36 minutos, Lucas deixou o placar em 3 a 3, com um chute de fora da área que desviou em Michael Essien para tirar qualquer chance de defesa para Cech. Dois minutos depois, a virada: cruzamento de Riera da esquerda e cabeçada de Dirk Kuyt para fazer 4 a 3. Lançando sua última cartada, Benítez tirou o lateral Alvaro Arbeloa para colocar Ryan Babel.

A classificação só pôde ser dada como certa aos 44 minutos, quando Lampard voltou a marcar. Ele recebeu na entrada da área e acertou um chute que tocou nas duas traves antes de entrar: 4 a 4. Um gol que não apenas selou a passagem do Chelsea às semifinais, como ainda preservou uma invencibilidade de mais de dois anos do time em Stamford Bridge na Liga dos Campeões.

Barcelona só administra

Em Munique, cabia ao Bayern tentar uma despedida honrosa após a goleada no Camp Nou. Retornavam ao time de Jürgen Klinsmann o zagueiro Lucio e o lateral Philipp Lahm, ambos recuperados de lesões. O Barcelona começou a partida sem Thierry Henry, com febre, além do suspenso Rafa Márquez.

No primeiro tempo, as duas melhores oportunidades do Bayern caíram nos pés de Luca Toni. O italiano teve um gol corretamente anulado por impedimento, logo no início, e falhou na conclusão diante de Victor Valdés aos 43 minutos. O Barcelona se dava por satisfeito em administrar a vantagem e sair apenas nos contra-ataques.

Se o Bayern queria alguma esperança, ela veio aos 2 minutos do segundo tempo, quando Franck Ribéry recebeu passe de Zé Roberto, entrou na área e bateu para fazer 1 a 0. No entanto, o Barça se mantinha seguro e em momento algum parecia sentir sua vantagem ameaçada.

O gol de empate chegou aos 28 minutos, quando uma boa tabela entre Xavi e Andrés Iniesta terminou nos pés de Seydou Keita, que bateu de fora da área sem dar chances ao goleiro Hans-Jörg Butt. Dali até o fim do jogo, o ritmo diminuiu e os dois times se mostraram contentes com o placar.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo