Sem categoria

Brasil não empolga, mas derrota Peru

Com a tranquilidade de enfrentar o lanterna, a Seleção Brasileira derrotou por 3 a 0 na noite de quarta-feira o Peru, em Porto Alegre, e se redimiu do empate no Equador. Com o resultado, que contou com dois gols de Luis Fabiano, o Brasil retoma a vice-liderança, com 21 pontos, três atrás do primeiro colocado Paraguai.

Na capital gaúcha, a torcida no Gigante da Beira-Rio não deixou a rivalidade de lado só porque vestia verde e amarelo. Gremistas e colorados lançavam provocações que afloravam ainda mais emoções para a partida, que viu os primeiros gols brasileiros em casa em três partidas.

A partida foi fácil, e os anfitriões não tiveram dificuldade em manter a posse de bola e dominar em campo. Criou muito mais jogadas e chances de gol, além de não ter permitido que os adversários chegassem no campo de defesa. Júlio César pôde descansar, após levar a Seleção nas costas na partida de Quito. Não pelo desempenho brasileiro em si, mas especilamente pela falta de técnica mostrada pelos peruanos. Os visitantes entraram em campo entregues à derrota, e se esforçaram mais para não tomar uma vergonhosa goleada, do que para buscar uma vitória quase impossível.

O jogo

Logo no iníco, aos 4 minutos, Luis Fabiano recebeu passe de Elano, chegou com perigo e até colocou para o fundo das redes, mas o bandeirinha havia marcado impedimento no início do lance.

O Brasil claramente dominava mais a bola. O Peru chegou somente uma vez nos primeiros minutos, mas a defesa brasileira cortou a bola na entrada da área.

Pouco depois, mantendo o ritmo, Lúcio arrancou em um contra-ataque, mas a defesa peruana parou a jogada. No início do lance, Luisão caiu no chão, sentiu a perna, e deixou o campo em seguida, para a entrada de Miranda.

Em um raro lance dos adversários, Kaká e Miranda se atrapalham no meio de campo, permitindo que peruanos tomassem a bola, mas, num chute de longe, chegou muito fraca para Julio César.

Não demorou para que as investidas brasileiras dessem resultado. Aos 16, Kaká dominou a bola, pôs na frente dentro da área, mas foi derrubado na área por Zambrano: pênalti para o Brasil. Luis Fabiano cobrou no canto direito e abriu o placar, para o delírio da torcida do Beira-Rio, que gritava o nome do atacante.

Nem três minutos depois, Robinho chegou pela esquerda, pedalou, passou pelo zagueiro e chutou, mas a bola passou por cima do gol. Mas a superioridade se confirmou dez minutos depois do primeiro do Brasil: Luis Fabiano recebeu passe dentro da área, matou no peito, e chutou novamente no canto direito, ampliando a vantagem brasileira.

Robinho parecia nao se encontrar em campo. Em uma jogada pela direita no final do primeiro tempo, após perder a bola, o Brasil recuperou e voltou a tocar, mas o jogador do Manchester City apenas observou o lance, vendo a bola ser tocada à sua frente pelos colegas, mas sem participar.

A dois minutos do intervalo, o Brasil perder mais duas chances, com Daniel Alves e Elano, salvas pelo goleiro Butrón.

No segundo tempo, o Brasil voltou com menos velocidade, mas continuava dominando com tranquilidade. Aos 15 minutos, Luis Fabiano cabeceou uma bola perigosa, mas o goleiro peruano espalmou e salvou a equipe de tomar o terceiro do jogador do Sevilla.

Para compensar a perda três minutos depois, Felipe Melo fez jogada sozinho, puxando do meio de campo, e, na cara do gol, colocou a bola para dentro, ajudando a despertar uma seleção que começava a diminuir o ritmo. Foi o primeiro gol do brasileiro com a camisa do Brasil, em sua terceira partida como titular.

Se o Peru não ofereceu perigo no primeiro tempo, no segundo estava ainda mais apagado. Não só sua defesa desorganizada não conseguia impedir as investidas brasileiras, como seu ataque não conseguia chegar na área brasileira. Chutes de fora da área paravam nas mãos de Julio César, ou passavam longe das traves. Em apenas um lance de perigo, aos 21, Ramírez aproveitou o mau posicionamento de Júlio César, que estava adiantado, e chutou forte de longe, mas a bola bateu na trave, e os peruanos perderam sua única chance de diminuir na etapa.

Aos 25 minutos, Pato entrou no lugar de Robinho, para a alegria da torcida, que pedia a presença do gaúcho em campo. Minutos depois, Ronaldinho Gaúcho entrou no lugar de Elano, para atuar ao lado de Kaká, dupla que não jogava junta desde 2004.

Até o apito final, o Brasil atacou diversas vezes, mas o placar foi encerrado em 3 a 0 para a Seleção, que agora está a um ponto do Chile, terceiro colocado, depois de empatar em 0 a 0 com o Uruguai, e dois da Argentina, que, após a derrota por 6 a 1, caiu da segunda posição para o quarto lugar.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo